WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia
coronavirus 155 Neste site
abril 2020
D S T Q Q S S
« mar    
 1234
567891011
12131415161718
19202122232425
2627282930  

:: ‘TPI’

CARAVANA TRÊS MARIAS SE APRESENTA EM ILHÉUS

O valor do ingresso (em cada um dos três espetáculos) está R$ 4,00 inteira e R$ 2,00 meia.

Fechando a programação do mês de abril na Tenda Teatro Popular de Ilhéus tem a “Caravana Três Marias”, nos dias 27, 28 e 29 (de sexta-feira a domingo). Três espetáculos solos de Salvador vêm à cidade, com linguagens e estéticas bem diferentes, porém com os nomes de suas personagens  em comum: Maria. O projeto tem como objetivo promover meios de sustentabilidade de espetáculos solos, estimulando o encontro e trocas de experiências entre artistas e profissionais da cena, bem como questionar sua posição nas atuais políticas e práticas culturais.

Na sexta-feira (27/03), às 20h, a atriz Simone Brault vive Dolores Maria, uma travesti carismática e performática no “Solo Almodóvar”. Além das discussões de gênero e sexualidade, a montagem inspirada no universo de Pedro Almodóvar diverte e estabelece uma cumplicidade com o público. O espetáculo mescla realidade e ficção com sarcasmo, humor, tragédia e melodrama entremeados por músicas utilizadas nas películas.

Sábado (28/04) acontece “Amanheceu”, às 20h, com Juliana Bebé. O espetáculo discorre sobre o dia a dia de mais uma Maria, costureira, fã de música sertaneja que passa as madrugadas trabalhando, para entregar suas encomendas tendo como companheiro um rádio. Maria da Silva, leva sua vida tranquilamente, com leveza e humor, até que numa noite insone acaba tomando conhecimento, através de seu rádio, de casos de violência contra a mulher. O espetáculo traz à tona, de forma inusitada com humor e reflexão, temáticas sobre a violência contra a mulher. Vale destacar também o uso de extrema sutileza para transitar entre a comédia (gênero que predomina no solo) e o drama. A música original é composta por Milton Nascimento especialmente para o espetáculo.

 Domingo (29/04), às 19h é a vez de Bruno de Souza viver “Benedita”.  O solo traz à tona a preservação de Patrimônio Imaterial Cultural quando leva o público a conhecer de perto Maria Benedita, uma simpática senhora genuinamente brasileira, contadora de histórias, lavadeira-curandeira-bruxa-feiticeira, com uma imponente relação com o misticismo e com o indizível. Ela perpassa o curandeirismo e a espiritualidade, traços inerentes à cultura popular e brinda o espectador com histórias de riso, amor, tragédia e solidão. :: LEIA MAIS »

TEATRO POPULAR DE ILHÉUS ABRE INSCRIÇÕES PARA CURSOS DE TEATRO

Tenda Teatro Popular de Ilhéus, armada na avenida Soares Lopes. Foto: Felipe de Paula.

O Teatro Popular de Ilhéus, instituição cultural mantida pelo programa de Ações Continuadas de Instituições Culturais do Estado da Bahia, abre as inscrições para três turmas de teatro na Tenda TPI.

As turmas serão divididas por faixa etária. Tânia Barbosa, diretora e atriz do TPI desde a fundação do grupo, é a responsável pela Turma 1 (destinada a crianças de 07 a 11 anos). A turma 2 (para jovens de 12 a 17 anos) será ministrada por Pedro Albuquerque, ator formado pelo curso de Artes Cênicas da UFBA e membro do TPI desde 2005.

A Turma 3 (para maiores de 18 anos) será ministrada por Romualdo Lisboa, diretor do Teatro Popular de Ilhéus.

As aulas começarão no dia 03 de abril e seguem até 21 de junho, data da conclusão do curso, entrega de certificados e estreia das montagens resultantes das oficinas.

:: LEIA MAIS »

VEJA O QUE VAI ROLAR NA TENDA DO TPI

Espetáculo sobe ao palco neste fim de semana.

Espetáculo sobe ao palco neste fim de semana.

O espetáculo de dança Casa de Farinha estará em cartaz nesta sexta-feira (29), na Tenda Teatro Popular de Ilhéus (TPI). A montagem da Cia de Dança Sôanne Marry começa às 20 horas, com entradas ao preço de R$ 20 inteira e R$ 10 meia. Titulares do Cartão TPI – programa de fidelidade do espaço cultural – pagam meia-entrada em todas as atrações. 

Casa de Farinha é inspirado nos livros Farinha, Madeiras e Cabotagem: a capitania de Ilhéus no antigo sistema colonial, do historiador Marcelo Henrique Dias, e Tambores de Angola, de Robson Pinheiro. O espetáculo traz uma combinação de linguagens artísticas. Dança, música e poesia tomam conta do palco para contar as dores e alegrias dos escravos. Além dos bailarinos da Cia Sôanne Marry,Casa de Farinha também traz membros do Ballet Folclórico do IFBA de Ilhéus, criado no ano passado.

Segundo a diretora do espetáculo, Sôanne Marry, quando se fala em escravidão, remete-se imediatamente ao sofrimento dos cativos. “As casas de farinha dos engenhos eram subsídio de trabalho e também de divertimento para os escravos”, complementou a diretora e coreógrafa Sôanne Marry.

Inspetor Geral no TCA

Após a estreia do projeto de ocupação artística Shakespeare – Teatro Popular em Construção, com a apresentação de Teodorico Majestade, o Teatro Popular de Ilhéus vai apresentar O Inspetor Geral, na sala principal do Teatro Castro Alves (TCA), em Salvador. A sátira em cordel será apresentada às 19 horas e os ingressos custam R$ 20 e R$ 10. Após a peça, haverá bate-papo entre o elenco e o público.

O TPI foi o contemplado pelo edital TCA.Núcleo “Em Construção”, em seleção organizada pela Fundação Cultural do Estado da Bahia (Funceb) e ocupará o Complexo Teatro Castro Alves ate dezembro. Neste período, haverá intercâmbio com o grupo Clowns de Shakespeare, do Rio Grande do Norte, apresentações de espetáculos, seminários, oficinas e a montagem da nova peça, baseada na obra de Shakespeare Medida por Medida, que fechará a trilogia composta por Teodorico Majestade O Inspetor Geral. 

TEATRO POPULAR DE ILHÉUS ESTREIA “OCUPAÇÃO” NO TCA

Estreia no TCA.

Estreia no TCA.

O Teatro Popular de Ilhéus (TPI) estreou o projeto de ocupação artística do complexo Teatro Castro Alves (TCA) Shakespeare – Teatro Popular em Construção. A solenidade aconteceu na noite da última segunda-feira (25), com apresentação da sátira em cordelTeodorico Majestade – as últimas horas de um prefeito. No próximo sábado (30), o grupo ilheense apresenta O Inspetor Geral, às 19 horas, na sala principal do TCA. As entradas custam R$ 20 e R$ 10. Após o espetáculo, haverá bate-papo entre o elenco e o público.

A cerimônia de lançamento do projeto aconteceu no foyer do TCA, tendo como plano de fundo o mural concebido pelo célebre artista plástico Carybé. A apresentação foi prestigiada por autoridades públicas, classe artística, imprensa e público em geral. A recepção foi calorosa, envolta em uma atmosfera descontraída e irreverente, seguindo a tônica da cultura popular. Ao final, houve confraternização entre a plateia e o elenco do TPI.

O diretor artístico, Romualdo Lisboa destacou que o Teatro Popular de Ilhéus, enquanto grupo de pesquisa, pretende fazer intercâmbios com outros grupos, produzir e fazer um trabalho de qualidade. O grupo dedicou a apresentação de Teodorico Majestade à memória do dramaturgo Ariano Suassuna e do pesquisador e crítico teatral Sebastião Milaré, ambos falecidos neste ano.

Na semana passada, o Teatro Popular de Ilhéus deu início aos trabalhos de preparação corporal com o professor de balé do TCA, Gilmar Sampaio. Os artistas trabalharam a técnica do “mondrongo”, desenvolvida pelo TPI ao longo dos seus 19 anos. Através da deformação do corpo, os artistas se distanciam da realidade e adotam um posicionamento crítico do que desejam representar. Ao longo desta semana, o elenco vai focar nos ensaios de O Inspetor Geral para a apresentação de sábado.

O grupo ilheense foi o primeiro colocado na seleção organizada pela Fundação Cultural do Estado da Bahia (Funceb) do edital TCA.Núcleo “Em Construção”. O TPI ocupará o Complexo TCA até dezembro deste ano, com intercâmbio com o grupo Clowns de Shakespeare, do Rio Grande do Norte, apresentações de espetáculos, seminários, oficinas e a montagem da nova peça do TPI, baseada na obra de Shakespeare Medida por Medida, que fechará a trilogia composta por Teodorico Majestade O Inspetor Geral.

TEATRO: “1789” TERÁ SESSÃO EXTRA NO SÁBADO EM ILHÉUS

Misturando personagens reais e fictícios, a série de acontecimentos retrata o contexto que culminou na carta de reivindicações escrita pelos negros, durante a revolta no Engenho de Santana. Foto: Felipe de Paula.

Misturando personagens reais e fictícios, a peça retrata o contexto que culminou na carta de reivindicações escrita pelos negros, durante a revolta no Engenho de Santana. Foto: Felipe de Paula.

Devido à grande procura por ingressos para esta sexta-feira (04) às 20 horas, a ópera afro-rock “1789” terá sessão extra na noite deste sábado (05), na Tenda Teatro Popular de Ilhéus (TPI). A apresentação acontecerá às 19 horas, com entradas a R$ 20 inteira e R$ 10 meia para estudantes, idosos e titulares do Cartão TPI. Os ingressos podem ser pagos em dinheiro, nos cartões de crédito ou débito e ainda com o Vale Cultura.
O enredo de “1789″ começa em uma fábrica de processamento de cacau, em uma fictícia Ilhéus do ano de 2089. Os trabalhadores lutam por melhores condições, desejam parar de exportar a matéria-prima e produzir o próprio chocolate. A partir disso, são dados saltos no tempo e espaço até o século XVIII, entre Brasil e Portugal.  Misturando personagens reais e fictícios, a série de acontecimentos retrata o contexto que culminou na carta de reivindicações escrita pelos negros, durante a revolta no Engenho de Santana.
A rebelião histórica aconteceu entre os anos de 1789 e 1791, no atual povoado ilheense de Rio do Engenho, quando os cativos ficaram insatisfeitos com o tratamento recebido, paralisaram suas atividades e tentaram negociar melhorias. Além de contar o fato, considerado embrião do movimento sindical no Brasil, a ópera afro-rock apresenta questões mais profundas, como a necessidade de novos olhares e posturas.
O elenco é composto por artistas do TPI e do Terreiro Matamba Tombenci Neto, descendente dos escravos que protagonizaram o fato histórico. A trilha sonora é executada ao vivo, com direção musical de Elielton Cabeça, coreografia de Zebrinha e maquiagem de Guto Pacheco. O texto e a direção são de Romualdo Lisboa. O espetáculo volta à programação da Tenda TPI no dia 11, às 20 horas.

PARCERIA ENTRE TPI E IFBA VISA CRIAÇÃO DE NOVO PROGRAMA DE GERENCIAMENTO

Representantes do Ifba e do Teatro Popular, durante reunião. Foto: Karoline Vital.

Representantes do Ifba e do Teatro Popular, durante reunião. Foto: Karoline Vital.

O Teatro Popular de Ilhéus e o Instituto Federal da Bahia (Ifba) Campus Ilhéus, firmaram parceria para criação de um novo programa de gerenciamento de público. O software será desenvolvido pelo aluno do curso Técnico em Informática, Almir Souza. Orientado pelo professor Regilan Silva, o produto fará parte do trabalho de conclusão de curso do estudante. Através da parceria, será possível organizar os dados para traçar o perfil dos frequentadores da Tenda TPI.
O primeiro contato entre os membros do Ifba e TPI serviu para apresentar a atual rotina de funcionamento da Tenda e recursos disponíveis e demandas. De acordo com o professor Regilan, a fase de levantamento é a espinha dorsal do programa que será criado. “Primeiramente, precisamos fazer a análise de dados para estabelecermos o que é possível ser feito”, afirmou.
Para o coordenador administrativo do Teatro Popular de Ilhéus, Antônio Melo, a parceria com o Ifba auxiliará na organização da bilheteria como um todo e na criação de relatórios estatísticos de público. “Entendendo as rotinas e preferências daqueles que vêm à Tenda, poderemos direcionar as atividades e personalizar os atendimentos, principalmente aos titulares do nosso programa de fidelidade, o Cartão TPI”, declarou.
O estudante do quarto módulo direcionará as 160 horas de atividades práticas profissionais, obrigatórias para a conclusão do curso Técnico em Informática, à criação do novo software. O objetivo é que o produto desenvolvido por Almir Souza possa servir também como modelo para outros grupos que administram espaços culturais.
No ano de 2013, o Teatro Popular de Ilhéus captou, aproximadamente, 690 mil reais em recursos públicos e privados. A intenção do grupo é cadastrar mais de mil pessoas no Cartão TPI até dezembro. Além disso, no próximo mês, será feita uma pesquisa pública a fim de entender as preferências e conceitos de lazer.  “Com o programa desenvolvido pelo aluno do Ifba, será possível otimizar o gerenciamento dos dados e recursos”, complementou Romualdo Lisboa.

CORTEJO AFRO E LANÇAMENTO DE LIVRO EM ILHÉUS

Peça do TPI virou livro.

Peça do TPI virou livro.

Para celebrar o Dia da Consciência Negra, o Teatro Popular de Ilhéus (TPI) realizará uma série de atividades especiais na Tenda. Nesta quarta-feira (20) às 16 horas, acontece a saída do Cortejo Afro, que percorrerá a Avenida Soares Lopes até a Praça Dom Eduardo
E às 19 horas, será apresentada a ópera afro-rock 1789, seguida do lançamento de livro homônimo, que traz o texto da peça escrita e dirigida por Romualdo Lisboa. As entradas custam R$ 20 inteira e R$ 10 para estudantes, idosos e associados do Cartão TPI.

MITOLOGIA AFRICANA É TEMA DO CONTO E CANTIGAS DESTE SÁBADO

Conto e Cantigas na Tenda TPI.

Conto e Cantigas na Tenda TPI.

A mitologia africana é o tema da segunda edição do projeto Conto e Cantigas. Neste sábado (09), as crianças poderão viajar pelo imaginário das lendas e mitos trazidos da África, através da contação de histórias acompanhada de trilha sonora. A atividade começa às 16 horas, na Tenda Teatro Popular de Ilhéus (TPI). Para participar basta doar um livro infantojuvenil, que será incluído no acervo da Biblioteca Jorge de Souza Araújo, montada no espaço cultural.
Conto e Cantigas estreou no último Dia das Crianças. Para este mês, quando se comemora o Dia da Consciência Negra, foi escolhida a temática relacionada à cultura afro. A intenção é que os encontros passem a ser quinzenais, sempre com novas histórias e canções.
Além de estimular a criatividade dos pequenos, que incrementam a história com suas contribuições, a iniciativa tem a proposta de incentivar a leitura e musicalização. A professora Luciene Nunes fica encarregada da narrativa, enquanto o músico Elielton Cabeça executa a música e efeitos sonoros ao vivo.
A segunda edição do projeto traz uma novidade para os participantes mais assíduos: o cartão Clubinho Conto e Cantigas. Assim como o Cartão TPI para os adultos, as crianças poderão participar de atividades exclusivas para associados, ter 10% de desconto em cursos e oficinas e concorrer a brindes em cada encontro. A taxa de adesão é de R$15 por ano.
Show da Banda Dilazenze
Ainda no sábado, às 20 horas, a Banda Afro Dilazenze se apresenta na Tenda TPI. O espetáculo musical faz parte da programação Novembro Negro, que traz uma série de espetáculos e eventos afro-culturais. As entradas custam R$ 20 a inteira e R$ 10 para estudantes, idosos e associados do Cartão TPI.

NOVEMBRO NEGRO NA TENDA DO TEATRO POPULAR DE ILHÉUS

Espetáculo Otambi abriu Novembro Negro.

Espetáculo Otambi abriu Novembro Negro.

O Cineclube Équio Reis e o projeto de debates Improviso, Oxente! estão juntos na programação do Novembro Negro. Todas as terças-feiras, a partir das 19 horas, serão exibidos vídeos sobre os blocos afro ilheenses Mini-Kongo e Dilazenze, seguidos de bate-papo sobre a cultura negra. Amanhã (05), o centro da discussão será “A experiência da ONG Gongombira na preservação da memória do Terreiro Matamba Tombenci Neto”. As atividades acontecem na Tenda Teatro Popular de Ilhéus (TPI) e a entrada é gratuita.
Os vídeos exibidos no Cineclube Équio Reis fazem parte do acervo do Centro de Documentação e Memória Regional (CEDOC) da Universidade Estadual de Santa Cruz (UESC) e parceiros. O presidente da ONG Gongombira de Cultura e Cidadania, Marinho Rodrigues, é o convidado do Improviso, Oxente!, que mescla debates à improvisações artísticas.
A programação do Novembro Negro foi aberta na última sexta-feira (1º), com apresentação do espetáculo Ingomas,da Orquestra de Tambores do Terreiro Matamba Tombenci Neto. O show aconteceu na Tenda TPI, um dos locais onde serão realizadas as atividades comemorativas ao mês da Consciência Negra. Até o dia 30, outras ações acontecerão também no Terreiro Matamba Tombenci Neto, sede do Dilazenze e Avenida Soares Lopes.
Para o coordenador artístico do Teatro Popular de Ilhéus, Romualdo Lisboa, “a programação do Novembro Negro apresenta a diversidade habitual de espetáculos e eventos, mas com uma novidade: a diversidade de espaços também”. Entre os parceiros estão o Conselho das Entidades Afro-Culturais de Ilhéus (CEACI), a Rede Nacional de Religiões Afro-Brasileiras e Saúde (RENAFRO), as Secretarias Municipais de Turismo e de Cultura, a Rede Matamba Tombenci Neto, o CEDOC, artistas e grupos residentes da Tenda.
Conto e Cantigas
Para o mês da Consciência Negra, a mitologia africana estará presente no projeto Conto e Cantigas. A iniciativa é voltada para crianças a partir de quatro anos, com a professora Luciene Nunes conduzindo a contação de histórias e o músico Elielton Cabeça fazendo a trilha sonora ao vivo. A atividade acontece no próximo sábado (09), às 16 horas, na Tenda TPI.

DANÇA NA TENDA DO TPI

dança no TPI
O projeto Changement traz no mês de setembro duas oficinas, que serão oferecidas na tenda do Teatro Popular de Ilhéus.
No dia 21, às 17h, as professoras Bianca Lavigne e Isabela Kruschewsky, com o grupo de dança da Melhor Idade, desenvolverão oficina de dança destinada a esse público.
O objetivo da aula será trabalhar no público da citada faixa-etária, elementos motores como coordenação, equilíbrio, lateralidade, memória, e principalmente a questão da socialização de maneira bem humorada e divertida.
As inscrições estão sendo realizadas na tenda, sitiada na avenida Soares Lopes, ou pelo telefone: (73) 4102-0580.



dom eduardo

lm mudancas













WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia