dengue prefeitura de ilheus
geraldo simoes
setembro 2014
D S T Q Q S S
« ago    
 123456
78910111213
14151617181920
21222324252627
282930  

:: ‘reúne ilheus’

JABES TÁ COM MEDO DO REÚNE ILHÉUS?

Bastou repercutir nas redes sociais, o grito de convocação para uma assembleia do movimento Reúne Ilhéus, objetivando mobilizar a população contra a manobra da prefeitura, em parceria com as empresas São Miguel e a Viametro,visando o reajuste da tarifa da passagem dos coletivos, que o prefeito Jabes Ribeiro mandou reforçar o policiamento no palácio Paranaguá.  Será que o prefeito teme que a população, mais uma vez, tome a sede do poder público municipal? Ou será que ele percebeu que a estratégia adotada pelo seu grupo, afirmando ser contra o reajuste, foi desmascarada? A foto é de Jerberson Josué.

Bastou repercutir nas redes sociais, o grito de convocação para uma assembleia do movimento Reúne Ilhéus, objetivando mobilizar a população contra a manobra da prefeitura, em parceria com as empresas São Miguel e a Viametro,visando o reajuste da tarifa da passagem dos coletivos, que o prefeito Jabes Ribeiro mandou reforçar o policiamento no palácio Paranaguá. Será que o prefeito teme que a população, mais uma vez, tome a sede do poder público municipal? Ou será que ele percebeu que a estratégia adotada pelo seu grupo, afirmando ser contra o reajuste, foi desmascarada? Diz o ditado que “quem não deve, não teme”. Pelo visto, Jabes teme, logo, é porque deve alguma coisa. A foto é de Jerberson Josué.

POR DESOCUPAÇÃO TRUCULENTA, PREFEITURA DE ILHÉUS PODE PAGAR R$ 1 MILHÃO EM MULTA

Estudantes na delegacia.

Estudantes na delegacia.

O movimento Reúne Ilhéus retornou à delegacia na tarde de ontem (terça, 26). Diante da delegada Rita de Cassia Ribeiro, os integrantes do movimento contaram como foram pegos de surpresa com a chegada de um grupo de homens que desarmou o acampamento sem apresentar nenhuma identificação ou documentação, levando material do movimento e pertences pessoais de alguns integrantes.
A desocupação do acampamento, que estava montado em frente à sede do governo ilheense, aconteceu no dia 21 de outubro, por volta das 06h, de forma brusca.
Também ontem, funcionários da prefeitura que participaram da operação falaram à delegada. Numa audiência anterior, os representantes da prefeitura não quiseram nomear um responsável pela operação.
No início de novembro, a delegada emitiu ordem para que a prefeitura devolvesse os pertences dos estudantes, o que aconteceu, mas com vários objetos com avarias.
PROCESSO JUDICIAL
Pela forma truculenta como ocorreu a desocupação, o movimento processou a prefeitura de Ilhéus. Na última semana, a justiça determinou prazo para que o município se pronunciasse, o que ainda não fez. Caso continue muda e surda, a prefeitura pode ser multada em um milhão de reais.

SERVIDOR MUNICIPAL, QUE É MEMBRO DO REÚNE ILHÉUS, TEM SALÁRIO CORTADO POR ORDEM DE JABES

shiQual a melhor forma de lidar com os movimento sociais, que lutam por melhorias em suas cidades?
Sentar à mesa e dialogar, buscando ouvir suas reivindicações e procurar soluções?
Bem, definitivamente não é essa a postura do prefeito Jabes Ribeiro, ante os anseios do movimento Reúne Ilhéus.
Até porque a principal pauta do citado movimento, a questão dos preços das passagens dos coletivos e o questionamento ante a lógica que faz com que Ilhéus tenha uma das tarifas mais caras do país, vai de encontro com interesses particulares da atual gestão municipal.
Isso mesmo. Para quem não sabe, a família Carlleto, uma das donas da empresa de ônibus Via Metro, foi uma das principais doadoras para a campanha de Jabes no ano passado.
Ou seja, entregar as documentações exigidas pelo Reúne Ilhéus, é algo que colocará em xeque a lógica exploratória da Via Metro, empresa que Jabes deve grandes favores.
Tomado pelo sentimento de ira, ao ver que as ações e questionamentos do Reúne, somado a outros fatores, estão significando o gradativo aumento da rejeição do seu nome, o prefeito Jabes Ribeiro resolveu utilizar táticas dignas de tiranos totalitários, ao se verem enfrentados e acuados: Tentar prejudicar pessoalmente as pessoas que compõem o citado movimento.
O servidor municipal e membro atuante do Reúne, Shi Mário Schneider, que é fiscal de postura da prefeitura de Ilhéus, está há dois meses sem receber seu salário. Isso, segundo informações do próprio movimento, por ordens expressas do prefeito Jabes Ribeiro e acatada pelo setor municipal de Recursos Humanos.
É a execrável faceta ditatorial e perseguidora do prefeito se evidenciando de maneira covarde e vergonhosa.
São coisas da nossa Ilhéus.

DELEGADA INTIMA SECRETÁRIO A DEVOLVER PERTENCES DO REÚNE ILHÉUS

Documento enviado à secretaria.

Documento enviado à secretaria.

A delegada Rita de Cássia Ribeiro de Oliveira enviou ofício à secretaria de serviços públicos de Ilhéus, comandada por Isaac Albagli, solicitando que devolva todos os pertences levados do acampamento montado em frente à prefeitura. A ocupação do Reúne Ilhéus foi desmontado na segunda-feira (21), na surdina, após determinação judicial.
Segundo membros do Reúne, roupas, barracas, cadeiras, mesas e até dinheiro foi levado pelos funcionários da secretaria. Os homens que trabalharam na operação não apresentaram qualquer ordem, afirmam os jovens.
Com a palavra, Isaac Albagli.

JABES X REÚNE ILHÉUS: NÃO CUSTA NADA COMPARAR

JABES-E-REÚNE-ILHÉUS-FOTO-LUIZ-FERNANDES-FERREIRA
Como noticiamos mais cedo, o prefeito Jabes Ribeiro, através da Procuradoria Geral do Município, pretende processar alguns membros do Reúne Ilhéus.
O motivo? Segundo ele, porque após reunião do secretariado no Paranaguá, na última segunda-feira, alguns secretários municipais teriam sido agredidos na saída da reunião.
Fato, aliás, que um vídeo divulgado pelos militantes do movimento, desmente. (ASSISTA)
Mas raciocinemos.
Quem será de fato que merece ser processado, e, se possível, detido pela polícia?
Um movimento de estudantes, cuja missão é questionar a lógica exploratória que faz com que Ilhéus tenha uma das passagens de ônibus mais caras do país?
Ou um prefeito que vive a choramingar, afirmando que a prefeitura não tem dinheiro, mas que, desde que reassumiu o comando, cerca de R$ 170 milhões já passaram pelos cofres municipais, sem contar recursos de impostos e multas. Mas, mesmo assim cortou benefícios e horas extra de servidores, fechou postos de saúde e demitiu servidores concursados para contratar apaniguados. Sem falar que na educação, antes da greve, não havia professores, e, depois da greve, muitas continuam sem aula por falta deles.
Vejamos. Quem merece mesmo ser condenado? Quem merece mesmo ser preso?

PREFEITURA ACUSA MEMBROS DO REÚNE ILHÉUS POR AGRESSÃO E PEDE CONDENAÇÕES

Integrantes do movimento Reúne Ilhéus poderão ser acionados judicialmente por terem, segundo a Procuradoria Geral do Município, ofendido e agredido verbalmente secretários municipais que participaram de uma reunião no Palácio Paranaguá, na segunda-feira (21).
A representação da PGM foi feita ontem (quarta-feira, 23), junto ao Ministério Público do Estado, pedindo providências contra o grupo.
Segundo o documento, foram agredidos secretários, o vice-prefeito Carlos Machado (Cacá) e o prefeito Jabes Ribeiro, além de terem cercado e amassado o carro da secretária de Educação, professora Marlúcia Rocha, impedindo que ela saísse do local onde o veículo estava estacionado.
Em  nota, a prefeitura afirma que alguns dos integrantes identificados na representação criminal, agiram de forma agressiva e só foram contidos pela Polícia Militar depois que um contingente da corporação chegou ao local.
Na representação, a Procuradoria Geral do Município acusa os agressores de terem cometido os crimes de desacato (ofensa a funcionário público no exercício da função), danos materiais e morais.
A PGM solicitou, na representação criminal, que o MPE requisite a instauração de inquérito policial e, posteriormente, proponha uma ação penal pública contra os agressores. Além da ação do órgão, os ofendidos também poderão propor uma ação, com vistas à reparação dos danos sofridos, inclusive morais.
Num vídeo divulgado na internet, membros do movimento aparecem abordando alguns secretários, sem mostrar qualquer agressão. Você pode ver as imagens aqui.
Tentamos contato com um dos líderes do movimento, para comentar o caso, mas não obtivemos êxito.

REÚNE ILHÉUS FAZ AULA PÚBLICA PARA O ENEM

aula publica do enem
O coletivo Reúne Ilhéus convida os ilheenses que farão Enem para uma aula pública sobre o Movimento Passe Livre. O evento aberto será realizado no dia 25, sexta-feira, a partir das 17h, na escadaria da Prefeitura.
O tema é cotado como um dos possíveis para a redação do exame, que começa no sábado (26). Além disso, o dia 26 de outubro é lembrado como marco para a luta pelo transporte coletivo de qualidade, em analogia à Revolta da Catraca, que aconteceu em 2004, em Florianópolis.

REÚNE ILHÉUS EMITE NOTA SOBRE DESOCUPAÇÃO

Ontem (21/10) pela manhã, fomos surpreendidos com a forma que o Acampamento Wagner Bastos foi retirado , a forma truculenta em que nossas coisas foram levadas em nenhum momento lembra a dita democracia que vivemos. Nesses 98 dias em que ficamos acampados em frente ao Palácio Paranaguá, não houve sequer um diálogo por parte da Prefeitura para poder resolvermos nossas questões. O movimento Reúne Ilhéus lamenta a forma de tratamento em que o Poder Executivo teve para assuntos tão importantes para a população, mas desistir não faz parte do nosso vocabulário. Enquanto houver pessoas compromissadas e determinadas a lutar por uma cidade melhor , o Reúne Ilhéus estará presente e bem representado. Continuaremos acompanhando o desenrolar da CEI do Transporte Coletivo, as análises do Ministério Público e a Auditoria dos Transportes e ainda fortalecendo nossas pautas e buscando cada vez mais o apoio e a participação popular nas decisões da nossa cidade. Agradecemos a todos que nos apoiaram, que fizeram doações e que acreditam na nossa luta e dizer que continuaremos firme na busca da construção de uma Ilhéus melhor
Reúne Ilhéus

REÚNE ILHÉUS FAZ B.O CONTRA JABES E RECLAMA SUMIÇO DE ROUPAS E DINHEIRO

BO feito pelo Reúne. A foto é de Fábio Roberto. Clique para ampliar.

BO feito pelo Reúne. A foto é de Fábio Roberto. Clique para ampliar.

Homens da prefeitura de Ilhéus meterem a mão em tudo que estava no acampamento montado há 97 dias em frente à sede do governo e acabaram com a ocupação. Segundo a assessoria de comunicação do município, a ordem partiu da justiça e foi cumprida na manhã de ontem (segunda, 21), como noticiamos em primeira mão, lembre aqui.
Mais tarde, os estudantes do Reúne Ilhéus, que cobram melhorias no sistema de transportes, foram à delegacia e registraram Boletim de Ocorrência contra o prefeito Jabes Ribeiro.
Na denúncia, alguns membros do movimento afirmam que os homens responsáveis pelo desmonte do acampamento chegaram sem apresentar qualquer ordem de desocupação e levaram até pertences pessoais.
No BO, o grupo registra que foram levadas barracas, roupas, cadeiras, mesas, equipamentos eletrônicos e até dinheiro, cerca de 400 reais em espécie.
As imagens feitas pela própria prefeitura mostram que todo o material retirado do acampamento foi amontoado num caminhão, mas o destino ainda é desconhecido.
Ontem à noite, os jovens fizeram vigília na porta da prefeitura, à espera do prefeito, que não apareceu para uma reunião de secretariado.

ACAMPAMENTO DO REÚNE ILHÉUS É DESMONTADO NA “SURDINA”

Os jovens estudantes do movimento Reúne Ilhéus foram surpreendidos na manhã desta segunda-feira (21). Homens sem identificação chegaram logo cedo ao acampamento montado em frente à prefeitura e iniciaram a retirada de barracas e todas as estruturas que estavam no local.
Segundo a estudante Clara Gabriela, todos ainda dormiam quando a desocupação começou, sem qualquer aviso prévio ou apresentação de mandado judicial.
O grupo foi totalmente surpreendido. A este blog, Clara confirmou a participação da polícia, mas de longe, sem qualquer ação direta.
Somente na tarde desta segunda, a prefeitura de Ilhéus se pronunciou sobre o caso. O pedido de desocupação foi feito à justiça pela prefeitura e cumprido hoje de forma pacífica.
Em nota, o município afirmou que o acampamento trazia transtornos ao comércio e à população de modo geral e afirmou que as exigências feitas há três meses pelo grupo serão atendidas, como a auditoria do sistema de transportes, que pode determinar a redução da tarifa na cidade.
Membros do Reúne Ilhéus estão reunidos, durante toda a noite, para decidir o rumo do movimento.

 

MEMBRO DO REÚNE ILHÉUS FOI ASSEDIADA SEXUALMENTE POR ASSOCIADO DO IATE CLUBE, AFIRMA BLOG

elisa
Segundo matéria publicada no Blog do Gusmão, a integrante do coletivo Reúne Ilhéus, Elisabeth Zorgetz, afirmou ter sofrido assédio sexual e moral no período em que trabalhou no Iate Clube de Ilhéus.
De acordo com o site, Elisabeth teria declarado que quando começou a trabalhar lá, há três semanas, seu desempenho chegou a ser elogiado, mas que isso teria mudado depois que o chefe de gabinete da prefeitura de Ilhéus, Victor da Veiga, foi almoçar no local.
A publicação relata que um dia após a visita de Victor, uma pessoa teria abordado Elisabeth, querendo marcar uma entrevista no programa radiofônico de Vila Nova. Segundo ela, afirma o site, essa pessoa queria informações que pudessem manchar a reputação do Reúne Ilhéus e teria a assediado moralmente e sexualmente, como costuma fazer com outros funcionários do Iate.
Ainda de acordo com o blog, uma semana depois do fato ocorrido a jovem foi demitida, com a justificativa de que havia o temor de que ela tocasse fogo no clube e promovesse ações revoltosas entre os funcionários.

A CDL PODERIA SE PREOCUPAR COM OUTRAS COISAS

Diretores da CDL, Major Câmara e o radialista Vila Nova.

Diretores da CDL, Major Câmara e o radialista Vila Nova.

A Câmara dos Dirigentes Lojistas de Ilhéus perdeu, por duas vezes num curto espaço de tempo, a chance de ficar em silêncio. Há um mês, o presidente da entidade, Paulo Ganem, disse que o movimento Reúne Ilhéus e a greve dos servidores municipais eram os responsáveis pela queda de 30% nas vendas do comércio.
A greve acabou e o comércio ainda não recuperou o fôlego. Indicativo de que o problema apontado por Ganem não era tão nocivo aos lojistas.
Já ontem (sexta, 11), dirigentes da CDL procuraram o comando da polícia militar na cidade para que negociem com os estudantes a retirada do acampamento do Reúne Ilhéus da Praça em frente à prefeitura.
O motivo alegado é de que o acampamento atrapalha o comércio e atrasa a colocação dos enfeites de natal.
Nas redes sociais, os estudantes reagiram à postura da entidade e afirmaram que a CDL poderia se engajar noutras lutas, como a melhoria do comércio e até mesmo na vida política da cidade.
Os estudantes veem também uma ação de bastidor do prefeito Jabes Ribeiro, que há quase 3 meses não comparece ao trabalho na prefeitura por causa da ocupação.

OLHA ELIZABETH AÍ GENTE

Foto da visita de hoje.

Foto da visita de hoje.

Quem vibrou com o suposto racha no movimento Reúne Ilhéus e que teria culminado até com o afastamento de uma das puxadoras do grupo, se deu mal. Nesta sexta (04), a estudante Elizabeth Zorgetz, uma das precursoras dos atos de junho em Ilhéus, passou toda a tarde no plenário da câmara, onde o coletivo está acampando desde terça-feira (01).
Desde ontem (quinta, 3), veículos de imprensa comentam que Elizabeth deixou o grupo por discordâncias e estaria em conflito com o restante do grupo. A visita de hoje joga por terra o pensamento e mostra que o Reúne continua firme na luta por melhorias no sistema de transporte.

“TEM MUITO MOLEQUE, VAGABUNDO”. VEJA VÍDEO DE VEREADOR OFENDENDO JOVENS EM ILHÉUS

O Instituto Nossa Ilhéus divulgou, no Youtube, o vídeo da discussão entre o vereador Aldemir Almeida (PSB) e estudantes do movimento Reúne Ilhéus, na sessão da última terça-feira (01).
No vídeo, fica claro o tom de ironia usado por Aldemir para dizer que o movimento Reúne Ilhéus quer aparecer.  “Tem gente que gosta de plateia”, disse. A partir daí, os estudantes que estavam no plenário ensaiam a vaia.
Irritado, Aldemir chamou o movimento de vagabundo e desocupado. Ao fundo, dá para ouvir um dos jovens chamando o vereador de psicopata.
A atitude do parlamentar deve ser levada à comissão de ética da câmara, o que resultará, no máximo, numa advertência.
Depois da confusão, os jovens decidiram acampar no prédio do legislativo na mesma noite, onde continuam até hoje. Eles reivindicam o início dos trabalhos das duas Comissões Especiais de Inquérito (CEI) que investigarão o sistema de transporte do município. Os grupos de trabalho foram criados há um mês, mas ainda não se reuniram.
Confira o vídeo.

 

ALDEMIR SERÁ JULGADO PELA COMISSÃO DE ÉTICA

Aldemir e a indecência. Montagem de Igor.

Aldemir e a indecência. Montagem de Igor.

A mesa diretora da câmara de Ilhéus estuda a possibilidade de levar o caso do vereador Aldemir Almeida à comissão de ética da casa. Na sessão de ontem (terça, 01), o parlamentar, do plenário, chamou estudantes de vagabundos, desocupados, usou palavras de baixo calão e ainda incitou a violência ao chamar os jovens para a porrada.
Segundo o regimento da câmara, a atitude de Aldemir caracteriza quebra de decoro parlamentar, o que pode resultar em cassação. Como o corporativismo impera nessas situações, vide a manutenção do mandato do deputado presidiário em Brasília, o vereador pode ficar tranquilo que não deve chegar a tanto.

DEPOIS DE SEREM CHAMADOS DE VAGABUNDOS, JOVENS DORMEM NA CÂMARA DE ILHÉUS

Jovens conversam com o presidente da câmara Dr. Jó. Foto de Fábio Roberto.

Jovens conversam com o presidente da câmara Dr. Jó. Foto de Fábio Roberto.

O movimento Reúne Ilhéus dormiu no plenário da câmara de vereadores nesta madrugada de quarta (02). Os jovens continuam acampados no prédio e usam o ato para pressionar o legislativo para que realize a primeira reunião das Comissões Especiais de Inquérito (CEI) que investigarão o sistema de transporte e o último reajuste da tarifa.
Ao ILHÉUS 24H, Danilo Oliveira, um dos ocupantes, disse que há o diálogo com a presidência da câmara e que nenhuma restrição de acesso foi feita ao prédio. Água, banheiro, copa e internet da câmara foram mantidas.
Segundo Danillo, o presidente da câmara, Dr. Jó (PCdoB), afirmou que a primeira reunião das comissões deve ocorrer já nesta quinta-feira (03).
A ocupação foi iniciada ontem (terça, 01), quando, no meio da sessão, o vereador Aldemir Almeida insinuou que os jovens acampados em frente à sede do governo queriam aparecer. Ele foi vaiado e reagiu chamando os estudantes de vagabundos e desocupados.
FIM DAS OCUPAÇÕES
De acordo com o membro do movimento, o início das atividades das CEIs pode marcar o fim dos acampamentos em frente à prefeitura e o recém-instalado na câmara. Assim que as CEIs começarem a operar, uma assembleia será feita pelos jovens para deliberar sobre o assunto.

REÚNE ILHÉUS CONVOCA ASSEMBLEIA

O movimento Reúne Ilhéus chama toda a população ilheense para participar do seu espaço de decisão e proposição. O encontro é aberto para qualquer um que queira participar, com direito a voz e a voto.
A assembleia será na Praça J.J.Seabra, em frente a Prefeitura, a partir das 19h desta quinta-feira (26).

REÚNE ILHÉUS COMEMORA 60 DIAS DE OCUPAÇÃO COM BOLO

Bolo pra marcar a data.

Bolo pra marcar a data.

O movimento Reúne Ilhéus completou, nesta sexta-feira (13), 60 dias de ocupação à rua em frente à sede do governo municipal. A data foi comemorada com direito a bolo e guaraná. Além dos dias comemorados, inegavelmente, o grupo de jovens tem muito mais a festejar.
Apesar da intransigência do prefeito, sintoma clássico do jabismo, o movimento conseguiu por um foco de luz sobre a caixa preta do transporte, cavou fundo e praticamente obrigou JR a auditar as contas das empresas, além de ser exitoso na missão de instalar, na câmara de vereadores, uma Comissão Especial de Inquérito (CEI) para investigar o sistema de transporte do município.
Motivos não faltam pra comemorar.

A PEDIDO DE JABES, JUSTIÇA MANDA ACABAR COM ACAMPAMENTO DO REÚNE ILHÉUS

Apesar da decisão judicial para desocupação, cabe ao prefeito acionar a polícia para concretizá-la.

Apesar da decisão judicial para desocupação, cabe ao prefeito acionar a polícia para concretizá-la.

A justiça notificou quinze integrantes do movimento Reúne Ilhéus, na última segunda-feira (09), para que desocupem a porta da prefeitura. A decisão judicial determina a saída imediata dos acampados, a “devolução” dos bancos da praça, retirada dos cartazes pendurados nos muros da prefeitura, além de multa diária de dois mil reais em caso de descumprimento.
Ao ILHÉUS 24H, membros do movimento disseram que a decisão não será cumprida, mas sim recorrida.
O grupo ocupa a porta do Palácio Paranaguá há dois meses. Vale a pena registrar que, em todo esse tempo, o prefeito Jabes Ribeiro, autor da ação de desapropriação, nunca sentou à mesa para negociar com o movimento, e preferiu acionar a justiça.

AS RECEITAS DO VELHO OLÍMPIO

Foto: Fábio Roberto.

Foto: Fábio Roberto.

Conhecido internacionalmente pelos seus dotes culinários e grande destreza na arte da pescaria, o ex-prefeito ilheense Antônio Olímpio visitou o acampamento Wagner Bastos, que há mais de 40 dias concentra membros do Reúne Ilhéus em frente à sede da prefeitura.
Entre conselhos e “causos” peculiares que só o folclórico AO conhece, há quem diga que a culinária também esteve presente na conversa.
Bastante atenciosos, os jovens militantes ouviram os detalhes de uma das receitas passadas por Olímpio: Cozimento de prefeito à banho Maria.
Uma coisa é certa, tal prato dará má digestão a muitas pessoas na cidade.
curta costa do cacau


grapiuna web pop

twitter
facebook