WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia
shopping jequitiba prefeitura ilheus secom bahia solidaria Neste site
junho 2020
D S T Q Q S S
« maio    
 123456
78910111213
14151617181920
21222324252627
282930  

:: ‘redes sociais’

A ILUSÃO DAS REDES SOCIAIS

DULCE CRITELLI/ CARTA CAPITAL
redes sociaisÉ indiscutível o importante papel que as redes sociais desempenham hoje nos rumos de nossa vida política e privada. São indiscutíveis também os avanços que introduziram nas comunicações, favorecendo o reencontro e a aproximação entre as pessoas e, se forem redes profissionais, facilitando a visibilidade e a circulação de pessoas e produtos no mercado de trabalho. A velocidade com que elas veiculam notícias, a extensão territorial alcançada e a imensa quantidade de pessoas que atingem simultaneamente não eram presumíveis cerca de uma década atrás, nem mesmo pelos seus criadores. Temos sido testemunhas, e também alvo, do seu poder de convocação e mobilização, assim como da sua eficiência em estabelecer interesses comuns rapidamente, a ponto de atuarem como disparadoras das várias manifestações e movimentos populares em todo o mundo atual.

Portanto, não podemos sequer supor que elas tragam somente meras mudanças de costumes, porque seu peso, associado ao desenvolvimento da informática, é semelhante à introdução da imprensa, da máquina a vapor ou da industrialização na dinâmica do nosso mundo. As redes sociais provocam mudanças de fundo no modo como as nossas relações ocorrem, intervindo significativamente no nosso comportamento social e político. Isso merece a nossa atenção, pois acredito que uma característica das redes sociais é, por mais contraditório que pareça, a implantação do isolamento como padrão para as relações humanas.

Ao participar das redes sociais acreditamos ter muitos amigos à nossa volta, sermos populares, estarmos ligados a todos os acontecimentos e participando efetivamente de tudo. Isso é uma verdade, mas também uma ilusão, porque essas conexões são superficiais e instáveis. Os contatos se formam e se desfazem com imensa rapidez; os vínculos estabelecidos são voláteis e atrelados a interesses momentâneos.

:: LEIA MAIS »

JABES PREFERE OS MÉTODOS “ARCAICOS” DE COMUNICAÇÃO

sinal de fumaçaSe durante a campanha eleitoral do ano passado, o prefeito Jabes Ribeiro era um assíduo frequentador das redes sociais, depois de eleito isso já não aconteceu.
Bastou sair o resultado das urnas, onde se sagrou vencedor, para que o então prefeito eleito, cessasse de usar tal ferramenta comunicacional, que, de certa forma, o aproximava da população, ou melhor, dos seus eleitores.
E pelo visto, Jabes não tem a menor pretensão de voltar a atualizar o seu perfil na rede social. Talvez por acreditar que não é uma ferramenta importante. O que, diga-se de passagem, é um grande equívoco.
Na contramão das novas técnicas comunicacionais, o prefeito prefere adotar os antigos métodos, que hoje em dia não tem o mesmo efeito de antigamente, ou mais precisamente, quando ele deixou o Paranaguá em sua terceira gestão, no ano de 2004.
Indo quase que semanalmente em um programa de rádio e mandando distribuir cópias de uma entrevista concedida a um jornal impresso local, Jabes mostra preocupação com o ato de comunicar. Mas com certeza lhe falta uma “atualização”.
O tempo passou Jabes, as coisas mudaram e seguem mudando em uma velocidade impressionante. Logo, não negligencie o poder de comunicação das redes sociais. Use-a, explicitando as dificuldades que vossa senhoria afirma passar a prefeitura. Se aproxime da população, interaja, debata, mostre a cara. É óbvio, caso seja isso o que vossa senhoria deseja.
Seria um bom começo, ante um final nada aprazível para sua imagem, que tende a se desenhar em um futuro nem tão remoto.
Quer apostar? 

ESQUIZOFRENIA POLÍTICA

loucosA vida dos partidários do jabismo está cada vez mais difícil. Com destaque especial para as redes sociais, onde fervorosos embates costumam se suceder.
Com índices de rejeição em galopante escala ascendente, o jabismo vem gradativamente perdendo simpatizantes, restando apenas alguns poucos, que, por motivações “estranhas”, insistem em remar contra a maré.
Com um início de gestão tido por especialistas políticos como o pior de toda História, o desgaste da nova gestão já começa a preocupar seriamente a alta cúpula do paço Paranaguá.
Mas mesmo assim, os seus fieis defensores, que hoje em dia já são possíveis de enumerar com uma mão apenas, seguem com suas argumentações risíveis e que muitas vezes beiram o ridículo.
Destaque para um deles, que, de tanto fazer feio nas redes sociais, defendendo o que não tem defesa, já vem sendo classificado como esquizofrênico terminal, ou quem sabe digital.
São coisas da política… 



dom eduardo

lm mudancas













WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia