WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia
Neste site
novembro 2019
D S T Q Q S S
« out    
 12
3456789
10111213141516
17181920212223
24252627282930

:: ‘pst’

CALOTE NATALINO DA SECRETARIA DE EDUCAÇÃO DO ESTADO?

calote-cirurgia
É justamente isso que temem muitos professores da rede estadual de Educação, contratados diretamente pela citada pasta pelo sistema de Prestação de Serviço Temporário (PST).
Após acumularem em alguns casos, cinco meses de atraso, foi liberado o pagamento de dois meses há cerca de três semanas, porém, o Governo do Estado ainda está devendo aos profissionais, que, vale salientar, já cumpriram com todas as suas obrigações ante o ano letivo de 2013.
Vejamos o caso do Colégio Modelo de Canavieiras. Por lá, sem a presença dos professores PST, o funcionamento da escola estaria seriamente comprometido. Ou melhor, não funcionaria. Mesmo assim, o histórico desse ano foi de descaso e desrespeito com a categoria, mesmo sendo eles essenciais para que a unidade de educação funcionasse.
Com a proximidade dos festejos de fim de ano, os professores temem que o calote seja consolidado e que eles não recebam os seus vencimentos atrasados.
E a Direc 6, o que tem a falar sobre essa situação?
Isso tudo, sem esquecermos de citar o caso onde a contratação PST se dá com o intermédio de uma empresa terceirizada, onde os contratados também temem o calote e veem com desespero a possibilidade de terem trabalhado e ficarem sem receber nesse período do ano.
Um absurdo sem precedentes na Bahia.

GOVERNO DA BAHIA VAI DAR CALOTE EM PROFESSORES CONTRATADOS PELO PST?

descasoBem, essa foi a informação recebida por um diretor de um colégio estadual do município de Canavieiras, após ir a Salvador, munido de documentações, cobrando à secretaria estadual de Educação o pagamento atrasado de professores e funcionários contratados pelo regime de Prestação Temporária de Serviço (PST).
Na ocasião, ele foi informado que o orçamento de 2013 já tinha sido fechado e publicado no Diário Oficial pela secretaria estadual da Fazenda, e que os salários dos servidores PST, alguns com até cinco meses de atraso, não seriam pagos.
Isso acarretou em desespero por parte de quem está trabalhando, acumulando dívidas e passando necessidades, incluindo cortes de energia elétrica e falta de comida em casa.
Como forma de pressionar, os professores afirmam que trabalharão normalmente até o final do ano letivo, para que os alunos não sejam prejudicados, mas que não repassarão as notas para a Direc.
Caso o calote se configure de fato como realidade, será uma das maiores vergonhas protagonizadas pelo governo Jaques Wagner, e, com certeza, será utilizado por seus adversários políticos nas eleições governamentais do ano que vem, onde o atual governador pretende eleger um sucessor.

CONTRATADOS DO PST PENAM PARA RECEBER SALÁRIOS

Quem trabalha para o governo do Estado com contrato por meio do PST (Prestador de Serviço Temporário) pena para receber a grana pouca. De porteiro a professora, os trabalhadores dão o suor, mas não veem o pagamento.
Costumeiramente, o governo do Estado atrasa até três meses de salários. Quando resolve pagar, deposita somente dois. Para completar o sofrimento do trabalhador, são descontados valores referentes aos direitos trabalhistas, mas a péssima notícia vem quando o contrato se encerra e percebe que nenhum depósito foi feito para garantir o FGTS.

PST: DESRESPEITO E HUMILHAÇÃO SOB A TUTELA DA SECRETARIA ESTADUAL DE EDUCAÇÃO

DESCASO COM A EDUCAÇÃO BAIANAImagine um trabalhador que dedica-se arduamente no exercício de sua função, vai todos os dias ao trabalho, mas, na hora de receber pelo serviço prestado, recebe a informação de que não há a menor previsão disso acontecer.
Um absurdo que vem sendo promovido pelo PST (Prestação de Serviços Temporários), programa do Governo da Bahia para contratar temporariamente professores da rede estadual, além de outros funcionários que trabalham nas escolas do estado.
São muitos os relatos de professores revoltados com o tratamento que estão recebendo e as humilhações ao qual estão sendo sujeitados, graças aos desmandos do PST.
O mais recente caso que tivemos notícia vem da cidade vizinha, Canavieiras.
Um dos funcionários do Colégio Modelo Luís Eduardo Magalhães, sob o regime do PST, nos relatou que começou a trabalhar no mês de abril, e, depois de três meses, recebeu, mais precisamente no dia 21 de junho, o valor relativo a dois meses de trabalho.
Agora, mais precisamente no dia 1º de agosto, eles ainda não receberam pelos meses de junho e julho. O pior, sem explicações e sem a menor previsão de quando os vencimentos serão depositados.
Ele relata que buscar informações na Direc 6 é o mesmo que nada. Ninguém sabe nada e são grosseiros em afirmar que o problema não é deles. A citada Direc, sediada em Ilhéus, é tida como a mais desorganizada da Bahia, onde documentos são perdidos e as pessoas são tratadas muito mal quando pedem informações. A exemplo dos citados casos de contratados pelo PST.
Outro serviço nulo é o da Ouvidoria. “Pedir informações por lá e falar com as paredes, dá no mesmo”, afirma o funcionário do Colégio Modelo de Canavieiras.
Que espécie de contrato é esse onde as pessoas são cobradas pela execução perfeita dos seus serviços, mas são desrespeitadas ao não terem a menor ideia de quando receberão seus salários?
No caso dos professores, como exigir que eles se dediquem às suas atividades se suas contas estão atrasadas, falta comida dentro de casa e são desrespeitados ao não receberem nenhuma informação de quando serão pagos?
Um absurdo sem precedentes. Uma vergonha para a educação na Bahia. Uma falta de respeito com professores, funcionários das escolas e, em especial, aos alunos.

CONTRATADOS DO PST PASSAM APERTO

Contratados do governo do estado que trabalham por meio do PST (Prestação de Serviço Temporário) ainda aguardam (sentados, claro) o pagamento dos salários de março, abril e maio.
O problema é velho conhecido dos funcionários de colégios estaduais em Ilhéus e Itabuna, mas o governo do Estado finge nada ver.

cristina frey

dom eduardo

lm mudancas













WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia