WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia
Neste site
janeiro 2020
D S T Q Q S S
« dez    
 1234
567891011
12131415161718
19202122232425
262728293031  

:: ‘PSDB’

JUSTIÇA IMPEDE AÉCIO DE CENSURAR A INTERNET

aécio-nevesAécio Neves quer proibir, nos sites de busca e nas redes sociais, links, perfis, páginas, tudo o que eventualmente faça menção a ligações entre ele e o “uso de entorpecentes” e à ação em que foi acusado de não aplicar o mínimo constitucional na Saúde durante sua gestão como governador de Minas Gerais.
Está movendo, sob sigilo, duas ações judiciais em São Paulo contra aos sites de busca e o Facebook. Resumindo: quer impor a censura prévia na rede.
Na primeira ação, já perdida em primeira instância, Aécio quer suprimir menções a um eventual “desvio de verbas”, pelo fato de o Ministério Público tê-lo acusado de “maquiar” as contas estaduais contabilizando recursos aplicados em saneamento básico para completar aparcela constitucional obrigatória para a Saúde.
Na segunda, iniciada em dezembro passado, diz a Folha, “o tucano pede providências contra “comunidades e perfis” em redes sociais que “atribuem ao político a condição de usuário de entorpecentes”.
Como o processo, a pedido dos advogados de Aécio, corre em segredo de Justiça, não é possível saber se ele também pede providências contra o Estadão, que publicou artigo de amigo de José Serra, Mauro Chaves, com o famoso “Pó pará, governador”. Até então os hábitos privados de Aécio, verdadeiros ou não, ficavam no âmbito de sua vida pessoal.
Da mesma forma que foi no Uol, através da coluna de Juca Kfouri, que se soube de seu currículo como estapeador de mulheres.
:: LEIA MAIS »

ALIANÇA DO PP COM AÉCIO MUDARÁ CENÁRIO POLÍTICO NA BAHIA

Partido de Jabes e do deputado federal Mário Negromonte, tende a se aliar aos tucanos.

Partido de Jabes e do deputado federal Mário Negromonte, tende a se aliar aos tucanos.

O cenário incerto na conjuntura da política nacional, pontuado nas dificuldades da presidente Dilma Rousseff (PT) no Congresso Nacional, pode trazer mudanças para o quadro da base estadual, liderada pelo governador Jaques Wagner (PT) em 2014.
O poder de articulação das lideranças petistas, somado à posição de destaque dos partidos na esfera federal, não tem sido garantia de firmeza nas alianças. Em meio a esse contexto surge uma possibilidade de articulação entre os partidos de campos opostos, PP e PSDB.
Nos bastidores consta que as siglas estariam em clima de conversação sobre as eleições de 2014. Eles já são aliados nosestados de Minas Gerais, Goiás, Rio Grande do Sul, Paraná e Piauí. Caso o casamento no plano nacional ocorra numa costura de apoio ao pré-candidato à Presidência da República Aécio Neves (PSDB), impactará na composição do palanque do candidato à sucessão de Wagner.
A situação ainda não é confirmada pelas lideranças, mas já teria sido assunto interno, conforme rumores. O próprio vice-presidente nacional do PP, deputado federal Mário Negromonte, afirmou para a reportagem da Tribuna que o vice-governador do governo de Goiás é do PP e o de Minas Gerais também. Entretanto, ele preferiu a cautela ao reforçar que: “Na realidade não tem (conversa). Somos aliados no governo federal e na Bahia. Não discutimos isso no partido. As eleições estão longe ainda e é preciso ver a situação em cada estado”, disse, enquanto se reunia ontem, em Brasília, com lideranças do partido no gabinete do presidente nacional da sigla, o senador Ciro Nogueira. No governo baiano, o PP dirige as pastas de Agricultura, Portos, Integração Regional e suas autarquias.
Apesar de não confirmar a aproximação com os tucanos, Negromonte deixou claro mais adiante que o PP ainda não tem lado certo no palanque presidencial. “O partido não definiu. Vamos discutir ainda, assim como outros partidos também já disseram isso. Vamos ver essa questão lá na frente a partir das composições regionais”, afirmou.
Na hipótese de se tornarem aliados, o palanque baiano é que sofreria alterações, já que Negromonte, que disse em dado momento pleitear a vaga ao Senado, é cotado para posição de vice-governador na chapa do candidato de Wagner. Lideranças e deputados também deixam claro o peso da legenda para justificar a busca por um espaço maior. Eles lembram que, atualmente, o PP tem 500 vereadores, 55 prefeitos e 56 vice-prefeitos na Bahia.
:: LEIA MAIS »

ACM NETO ALIADO DE DILMA

ACM-Neto-220x120Bem, foi esse o boato que circulou nos bastidores políticos baianos nesse fim de semana, motivado pela ausência do prefeito de Salvador na convenção do PSDB, que elegeu o ex-governador Aécio Neves para comandar nacionalmente os tucanos.
O boato apontava a possibilidade do prefeito soteropolitiano do DEM anunciar adesão à presidente, em troca de apoio financeiro para gerir Salvador, afirmando que o herdeiro político do carlismo estaria apavorado com a situação da prefeitura.
A turma do DEM tratou de desmentir a boataria, afirmando que a aproximação de Neto com a presidente se deve ao fato dele “vir buscando deslocar-se da política para ocupar o papel de gestor, preocupado apenas com os desígnios da cidade, cujo presente pode realmente ser comprometido se não forem tomadas posições firmes a partir de agora”.
Há quem não tenha se convencido disso. 

13 PARTIDOS NA BAHIA NÃO PRESTARAM CONTAS AO TRE

Entre os 29 partidos existentes na Bahia, 13 não entregaram a prestação de contas anual dentro do prazo legal, que expirou na última terça-feira (29).
Isso foi o que apontou o Tribunal Regional Eleitoral (TRE-BA)
Tal prestação envolve receitas, despesas e uso do fundo partidário em todo ano de 2012.
São elas : PSB, PSDB, PRP, PSC, PRB, PSL, PTC, PCB,  PSDC, PHS, PRTB, além de PPS e PMN, que  fundiram-se e formaram a Mobilização Democrática (MD).
O partido que deixar de entregar o documento, ou entregar a prestação com irregularidades, estará sujeita a ter suspensos repasses mensais de recursos do Fundo Partidário.
Os relatórios serão analisados pelas respectivas instâncias da Justiça Eleitoral, que, em julgamento, vai estipular o montante e o período de suspensão dos repasses.

PSDB QUER MENOR NA CADEIA

menorO governador de São Paulo Geraldo Alckmin (PSDB) declarou que em 15 dias o PSDB vai apresentar, no Congresso Nacional, um projeto que prevê a alteração do ECA (Estatuto da Crianças e do Adolescente).
O tucano defende mudar a forma como é feita hoje a prisão de menores infratores. A ideia do projeto é que, ao completar 18 anos, o menor infrator cumpra o restante da pena em uma unidade prisional normal e não na Fundação Casa (antiga Febem).
O governador também diz ser favorável a aumentar a pena dos menores em casos de crimes graves, como homicídios e latrocínios.

dom eduardo

lm mudancas













WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia