WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia
Neste site
dezembro 2019
D S T Q Q S S
« nov    
1234567
891011121314
15161718192021
22232425262728
293031  

:: ‘preconceito’

PILOTO DA AVIANCA XINGA NORDESTINOS EM REDE SOCIAL

Clique na imagem para ampliá-la.

Clique na imagem para ampliá-la.

Um piloto da Avianca causou polêmica ao colocar em seu perfil no Facebook um texto em que xinga os nordestinos. Tudo porque recebeu um prato diferente do que pediu em um restaurante em João Pessoa, na Paraíba, e com demora excessiva.
Ele escreveu: “Pra manter o padrão porco, nojento, relaxado, medíocre, escroto de tudo no Nordeste como sempre… Depois de 1 hora e 10 esperando um filé de peixe simples sem nada de diferente, eles conseguem errar e fazer outra coisa completamente diferente do cardápio, que já não tem opção nenhuma… Povo escroto do cara…! Lugar nojento”.
Quem divulgou o episódio foi o apresentador Nilvan Ferreira em seu Facebook, na quinta-feira (27). A partir daí, a mensagem ganhou repercussão; vários internautas começaram a chamar o piloto de preconceituoso e cobrar uma posição da Avianca, e a demissão do funcionário.
Questionado pelos internautas, o piloto disse que não se tratava de preconceito. “É a opinião de quem acha esse lugar uma merda e pronto!” (…) Os serviços são sujos e em geral é mal-educado e folgado (…)”.
O piloto apagou a mensagem e, aparentemente, seu perfil no Facebook.
OUTRO LADO – No final da tarde, a empresa se manifestou, também pelo Facebook: a companhia disse repudiar “veementemente o comentário atribuído a um funcionário seu (…) de cunho preconceituoso”. A empresa disse desprezar atitudes contrárias à “ética” e afirmou que respeita e admira todos os povos.
A assessoria de imprensa da Avianca disse ao blog que a empresa ainda não falou com o piloto, que está em Curitiba. Ele será questionado para confirmar o que escreveu; a Avianca não informou se aplicará alguma punição a ele.

ASSASSINATOS MOTIVADOS POR HOMOFOBIA ACONTECEM A CADA 28 HORAS NO BRASIL

BRASIL POST
Mapa das mortes causadas por homofobia.

Mapa das mortes causadas por homofobia.

Em 2013 foram contabilizados 312 assassinatos, mortes e suicídios de gays, travestis, lésbicas e transexuais brasileiros vítimas de homofobia e transfobia, de acordo com levantamento do Grupo Gay da Bahia (GGB). O documento inclui a morte de uma transexual brasileira no Reino Unido e um gay morto na Espanha. A média é de uma morte a cada 28 horas.
Esse número é 7,7% menor em relação ao ano de 2012 (388 mortes), mas, segundo o GGB, as mortes aumentaram 14,7% nos últimos 4 anos.
Segundo o documento, a maioria das mortes de gays acontece na casa da vítima, enquanto a maioria dos travestis morre na rua. Em um ano foram 186 gays, 108 transexuais, 14 lésbicas, 2 bissexuais e 2 héteros mortos, confundidos com homossexuais.
Pernambuco foi o estado onde aconteceu o maior número de mortes de LGBT (34). Em seguida, vem São Paulo (29), Minas Gerais (25) e, empatados em quarto lugar, Bahia e Rio (20). A Região Nordeste concentrou 43% das mortes, seguida de Sudeste e Sul com 35%, e Norte e Centro Oeste, com 21%.
O estudo realizado pela entidade utiliza como base notícias divulgadas por veículos de imprensa e dados enviados por ONGs. Nele foram contabilizados também dez suicídios. Segundo Luiz Mott, coordenador da pesquisa, essas mortes são registradas por terem motivações homofóbicas ou transfóbicas: “Como aconteceu com um gay de 16 anos, de São Luís, que enforcou-se dentro do apartamento ‘por que seus pais não aceitavam sua condição homossexual’.”
O relatório completo pode ser acessado no site Homofobia mata.

O BURRO ELITISMO QUE AINDA SE VÊ EM ILHÉUS

burroDe acordo com a definição clássica do “pai dos burros”, favela é uma área degradada de determinada cidade, caracterizada por moradias precárias, falta de infraestrutura e sem regularização fundiária.
A sua origem etimológica surge na guerra de Canudos. A então cidadela comandada por Antônio Conselheiro foi construída junto a alguns morros, entre eles o morro da Favela, assim batizado em virtude da planta Cnidoscolus quercifolius (popularmente chamada de favela) que encobria a região.
Alguns dos soldados que foram para a guerra, ao regressarem ao Rio de Janeiro em 1897, deixaram de receber o soldo, instalando-se em construções provisórias erigidas sobre o morro da Providência. O local passou então a ser designado popularmente morro da Favela, em referência à “favela” original. O nome favela ficou conhecido e na década de 1920, as habitações improvisadas, sem infraestrutura, que ocupavam os morros passaram a ser chamadas de favelas.
Pois bem, outro dia desses, acessando o nosso querido R2C Press, site avô de todos os blogs da região, nos deparamos com a postagem indignada de um ilheense, que, com fotos da tenda do Teatro Popular de Ilhéus, armada na avenida Soares Lopes, reclamava da suposta favelização da nobre localidade.
Pensamos aqui com nossos botões: Vejam só, um local onde a cultura é a peça motriz, com a realização e produção de peças de teatro, oficinas culturais diversas e inúmeras atividades artísticas, é classificado como favela, por, supostamente, destoar da beleza local e incomodar os nobres moradores do citado bairro.
Continuando na grande rede, eis que nos deparamos com um comentário aqui mesmo no Ilhéus 24h, sobre a retirada do acampamento do Reúne Ilhéus de frente do palácio Paranaguá, sede da prefeitura de Ilhéus. O comentárista em questão afirmou que a presença de tais barracas remetia a uma favela, armada no centro histórico da cidade.
Ora bolas, um local onde jovens acampados exigem que a prefeitura explicite a documentação que justifique a roubalheira convencionada através dos altos preços da passagem de ônibus na cidade, é classificado pejorativamente por favela. Ou seja, mais vale o “belo” aspecto estético do centro, do que a luta para acabar com a exploração que o preço de tal serviço representa.
Pois é, em pleno século 21 ainda é possível se deparar em Ilhéus com o burro sentimento elitista, que prega que a arte e as mobilizações reivindicativas populares, são coisas “favelizantes”.
Discordamos. Mais degradada do que a mais pobre das favelas são os valores dessas pessoas que nutrem esse tipo de pensamento.
São coisas da nossa Ilhéus. Ou melhor, da Ilhéus elitizada e burra, como muitos desejam que ela seja.

ADVOGADO SUGERE SEPARAR O NORDESTE DO BRASIL

PRAGMATISMO POLÍTICO
Postagem de advogado circula nas redes sociais (Foto: Reprodução/Facebook).

Postagem de advogado circula nas redes sociais (Foto: Reprodução/Facebook). Clique para ampliar.

Os comentários de um advogado paranaense vêm causando revolta nas redes sociais desde a noite de quarta-feira (11). Em post publicado no dia 9 de setembro, Gustavo Zanelli diz que “não adianta querer misturar as culturas norte/nordeste X sul/ sudeste. É por isso que há tão poucos sulistas no nordeste (nós não aguentamos isso aqui)”.
Em outro post, publicado na quarta-feira (11), o advogado sugere a separação das regiões Norte e Nordeste do resto do país, declarando que “seria o primeiro a iniciar uma guerra para a devida separação”, e completa: “se houvesse essa possibilidade nós aí do Brasil seríamos um país de primeiro mundo”.
Um terceiro comentário, feito no dia 7 de setembro, ironiza as condições climáticas de São Luís. “Acabo de chegar em terras maranhenses! O calor aproxima os 90 graus”. Quando uma pessoa comenta “GU VC TA MORANDO NO MARANHÃO MESMO !!!!!!!!!!”, Gustavo vai além. “Até dezembro ficarei aqui (…) Não sei se suportarei até dezembro o calor, a grosseria dos nordestinos e essa comida horrivel, mas o objetivo inicial é ficar até dezembro”, dispara.
Um comentário específico criticando o Departamento de Medicina da Universidade Federal do Maranhão (UFMA) foi amplamente compartilhado e teve repercussão em diversos blogs locais. Revoltado, o estudante de direito da Universidade Estácio de Sá do Rio de Janeiro, Klaus Aires, que reside em São Luís, divulgou a seguinte mensagem:
“Gustavo Zanelli – Advogado, residente em São Luís-MA ofendendo os Nordestinos. Deu um show de imundices mostrando sua total falta de conhecimento antropológico, histórico e geopolítico acerca da história do Brasil e dos feitos e da força do povo nordestino. Não sou nordestino, sou Carioca e este imundo não me representa. Ja fiz a denúncia na página de todas as OAB’s do NORDESTE, e semana que vem levo formalmente na sede da OAB-MA”, avisou. A mensagem já possui 43 curtidas e 78 compartilhamentos.

OAB VAI PEDIR A CASSAÇÃO DE MARCO FELICIANO E JAIR BOLSONARO

CORREIO DO BRASIL
depuatados
A Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) concluiu a denúncia contra Marco Feliciano (PSC-SP) e Jair Bolsonaro (PP-RJ) por campanha de ódio. A entidade quer que a Corregedoria da Câmara puna os dois por quebra de decoro parlamentar em virtude de divulgação de vídeos considerados difamatórios, o que poderia resultar na cassação de seus mandatos.
Liderando um grupo de mais de vinte entidades ligadas aos direitos humanos, a OAB enviará, na próxima semana, representação ao presidente da Câmara, Henrique Eduardo Alves, contra Feliciano e Bolsonaro. A entidade quer que a Corregedoria da Câmara os processe por quebra de decoro parlamentar em virtude de divulgação de vídeos considerados difamatórios.
Em um dos vídeos, Bolsonaro teria editado a fala de um professor do Distrito Federal em audiências na Câmara para acusá-lo de pedofilia e utiliza imagens de deputados a favor da causa homossexual para dizer que eles são contrários à família.
Para o presidente da Comissão Nacional de Direitos Humanos da OAB, Wadih Damous, essas campanhas de ódio representam o rebaixamento da política brasileira. “Pensar que tais absurdos partem de representantes do Estado, das Estruturas do Congresso Nacional, é algo inimaginável e não podemos ficar omissos. Direitos Humanos não se loteia e não se barganha”, disse. Indignado com os relatos feitos por parlamentares e defensores dos direitos humanos durante reunião na sede da entidade, Damous garantiu que “a Comissão Nacional de Direitos Humanos da OAB será protagonista no enfrentamento a esse tipo de atentado à dignidade humana”.
Na reunião com a CNDH da entidade dos advogados estiveram presentes, além dos deputados acusados na campanha difamatória, representantes da secretaria Nacional de Direitos Humanos da Presidência da República, do Conselho Federal de Psicologia, e ativistas dos movimentos indígena, de mulheres, da população negra, do povo de terreiro e LGBT.

ILHÉUS: JUSTIÇA OBRIGA PAI DE SANTO A VARRER RUA E PROÍBE TRABALHOS EM TERREIRO

Fabrício Leal Nascimento.

Fabrício Leal Nascimento.

É certo uma pessoa ter que prestar esclarecimentos na justiça só por causa da sua religião?
Faz sentido, em um país onde a liberdade de religião é direito constitucional, a pessoa, só porque é adepta do candomblé, ser condenada a prestar serviços públicos? Ou, para sermos mais exatos: Ser obrigado a varrer as ruas só porque cultua a religião dos seus ancestrais africanos.
Apesar de ser extremamente absurda essas suposições, ela se sucedeu aqui mesmo em Ilhéus.
Em contato com a nossa redação, um adepto do candomblé denunciou que passou pela humilhação de ter que se explicar na justiça apenas pelo fato de praticar a sua crença e o seu vizinho entender que ele estava perturbando a ordem pública.
“Desde quando acender velas para os nossos orixás, incensar o interior de nossas casas e cantarmos os nossos louvores é perturbar a ordem pública? Se nós temos nossos instrumentos como adjás e atabaques, os evangélicos também têm os seus, a exemplo de microfone e bateria”, afirmou.
O Ilhéus 24h repudia qualquer ato discriminatório contra qualquer espécie de religião e repudia a infeliz proposta conciliatória do promotor público.
Como se não bastasse o preconceito existente, o candomblecista ainda é humilhado e condenado a varrer rua forçosamente.
Um absurdo.
Para não restar dúvidas da perseguição sofrida pelo pai de santo, clique no “leia mais” e leia a decisão da justiça.

:: LEIA MAIS »

cristina frey

dom eduardo

lm mudancas













WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia