WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia
shopping jequitiba

:: ‘política’

SUSCITAR QUESTIONAMENTOS: EIS A MISSÃO PRIMORDIAL DA ARTE…

UMA TV À SERVIÇO DO CARLISMO

TV Bahia
A Rede Bahia, transmissora da programação da Globo em solos baianos, como se sabe, tem como principal acionista a família de Antônio Carlos Magalhães. O seu presidente é o filho do falecido político baiano, ACM Júnior.
Em determinado momento da sua história, a Rede Bahia, sem o menor arrodeio, funcionava explicitamente como ferramenta política a favor do carlismo. E isso, em algumas situações, com grande êxito, a exemplo da implacável perseguição ao então governador Nilo Coelho, abrindo o caminho para a eleição de ACM em 1990 para o comando do palácio de Ondina.
Tal parcialidade escancarada na cobertura dos fatos políticos locais, por pouco não sofreu intervenção da Globo, que temeu ver a sua credibilidade ser posta em cheque com o tom que a TV do carlismo adotou ante as denúncias de violação do painel de votação do senado, no ano de 2001, pelo então senador ACM. Tal fato culminou na renúncia do político baiano.
Esse tipo de intervenção do comando da Globo tinha ocorrido em 1992, na TV Gazeta de Alagoas, que, por ser de propriedade da família do então presidente Fernando Collor, estaria reproduzindo outras leituras ante as denúncias de corrupção que acarretaram no seu impeachment.
Depois da morte de ACM, em 2007, a Rede Bahia mudou consideravelmente e hoje, parceira comercial do governador Jaques Wagner, como uma das principais anunciantes da propaganda institucional do estado, visivelmente cobre os fatos políticos da Bahia despida, na medida do possível, dos interesses patronais que a regeram outrora.
Isso, como é possível perceber no memorando que circulava nos bastidores do jornalismo da TV, em meados de 1992, época que Antônio Carlos Magalhães era o governador.

SOLIDARIEDADE FECHA COM RUI COSTA

Evento que selou o apoio.

Evento que selou o apoio.

Mais um partido fechou apoio à pré-candidatura de Rui Costa para a disputa ao governo da Bahia nas eleições de 2014. Nesta terça-feira (14), foi a vez do Solidariedade (SDD), que selou a aliança durante  ato público, promovido na União dos Prefeitos da Bahia (UPB).  Entre militantes e lideranças políticas, mais de 400 pessoas estiveram presentes.  
Com auditório lotado de militantes do SDD, o presidente da sigla na Bahia, deputado federal Marcos Medrado, assumiu o compromisso de trabalhar para eleger Rui Costa como governador em outubro de 2014. “Ninguém vai trabalhar mais do que eu nesse propósito. Vamos eleger um homem leal, que tem compromisso com o povo baiano. Estaremos unidos, caminhando por toda a Bahia”, disse o comandante estadual da legenda.

RAIMUNDO DO BASÍLIO PRESTA CONTAS À COMUNIDADE

Vereador durante a prestação de contas.

Vereador durante a prestação de contas.

O vereador Raimundo do Basílio apresentou, no último sábado, dia 21, um relatório de todo seu trabalho realizado em 2013. O vereador e sua assessoria esclareceram para comunidade todos seus pedidos, bem como realizações no decorrer do ano.
Na oportunidade, o parlamentar também se mostrou otimista para o novo ano, apresentando previsões de obras e investimentos na cidade.
“Acredito que nosso trabalho deve ser claro e transparente. E como representante do povo, nada mais justo que ele mesmo conhecer do meu trabalho. Por isso fiquei feliz com a presença da comunidade, e afirmo que sempre continuarei lutando e trabalhando pelo meu bairro e pela cidade de Ilhéus”, disse o vereador.

UM ANO PARA JABES: O QUE ERA VINHO, VIROU VINAGRE

negativoAs coisas no meio político mudam com notável velocidade. Fechemos os olhos e retornemos há exato um ano. Mais precisamente no dia 25 de setembro de 2012, reta final para o tão esperado pleito municipal que decidiria então o futuro prefeito de Ilhéus.
Apesar de ter se sagrado vencedor com o aval da minoria, em comparação com a quantidade de votos dos outros dois candidatos, além dos nulos, brancos e abstenções, quem acompanhava na época as campanhas, não tinha dúvidas de que o ex-prefeito Jabes Ribeiro reassumiria o comando do paço Paranaguá.
Dito e feito.
Passado um ano, muita coisa mudou. Opositores da época se converteram em base de sustentação e aliados de outrora, revoltados por não terem sido atendidos satisfatoriamente, passaram a marchar bravamente nas fileiras da oposição.
Com destaque para um folclórico advogado, hoje edil, famoso pelas suas habilidades em trazer de volta às ruas alguns garotos de índoles mui questionáveis. Ele mesmo, apelidado de pit bull hidrófobo das incongruências legislativas. (pisca, pega…)
Se há um ano, o então candidato a prefeito Jabes, por onde passava era festejado, hoje as coisas mudaram vertiginosamente e onde chega é certa as manifestações de reprovação e insatisfação plena por parte da população.
Aliás, como se sucedeu na última segunda-feira, no centro de convenções, durante o congresso de Assistência Social. Ao perceber a presença do prefeito, o público presente entoou uma sonora e humilhante vaia. O que, a essa altura do campeonato, já não é novidade para o nosso gestor municipal.
Mas é evidente que vem sendo bolado no alto escalão do Paranaguá, um pacote de medidas para reverter esse quadro de rejeição em altos índices. Prova disso foi o release distribuído ontem, afirmando que o prefeito autorizou o corte de 30% do seu salário e dos secretários.
Pelo visto, o tiro saiu pela culatra, já que a manobra foi facilmente detectada e classificada como “para enganar besta”, já que, como informamos mais cedo, tal ato caridoso do gestor municipal, serviu apenas para camuflar o corte no salário de vários servidores, apelidado carinhosamente de diminuição de carga horária.
E agora, com a manobra desmascarada, assim cremos, a situação piorou um tanto mais para o ilustre Jabes Ribeiro.
Com tanta mudanças em apenas um ano, ficamos até receosos de imaginar o que será da nossa Ilhéus daqui a 365 dias.
Quem se arrisca a prever algo?

BISPO DE ILHÉUS COBRA SOLUÇÃO DO GOVERNO E DIZ QUE POPULAÇÃO NÃO AGUENTA MAIS

Dom Mauro. Foto: Ilhéus 24h.

Nós, Igreja Católica presente em Ilhéus, estamos preocupados com a situação caótica do nosso Município. As manifestações surgidas por todos os cantos clamam por soluções junto aos responsáveis da administração da nossa cidade. A população já não suporta mais essa situação.
A Igreja como “advogada da justiça e defensora dos pobres”, diante dos clamores do povo, se coloca à disposição para ajudar no diálogo a fim de que se chegue a uma solução em benefício da população, em especial aquela mais pobre e carente.
A Igreja Católica em Ilhéus está do lado da população, “trazendo o bem precioso da fé em Jesus Cristo, que veio para que todos tenham vida em abundância”.
Não podemos ficar desiludidos com a corrupção daqueles que “em vez de buscar o bem comum procuram seu próprio benefício”. Fazemos nossa a palavra do Papa Francisco que nos diz: nunca desanimem, não percam a confiança, não deixem que se apague a esperança. A realidade pode mudar, o homem pode mudar.
É preciso, urgentemente, encontrar uma solução para essa situação, que já se alastra por muito tempo, para que nossa cidade possa voltar à sua normalidade.
Ilhéus, 05 de setembro de 2013.
Dom Mauro Montagnoli
Bispo Diocesano.

O CURIOSO CASO DO POLÍTICO QUE “JOGA PARA A TORCIDA”

mascara_caiuSe há um segmento da sociedade que possui a grande capacidade de não nos surpreender, com certeza a política ganha de goleada.
As coisas mais absurdas e inusitadas, como em um toque de mágica, onde o bom senso é relegado a segundo plano, acabam se tornando algo corriqueiro, e perigosamente aceitável pela população.
E é justamente aí que reside o perigo.                  
Nessa leva, meros oportunistas, a depender de uma interpretação displicente do povo, podem se converter em heróis e paladinos da moral. O que, analisando a situação mais atenciosamente, fica nítido e evidente que não são.  
E dentro desses exemplos, temos o desprazer de constatar os casos de políticos que “jogam para a torcida”. Ou seja, visando sair bem na foto, agem de acordo com as tendências do momento. Como espécies de birutas de aeroporto apontando para onde o vento sopra, tripudiam da inteligência coletiva e acreditam que a população não tem memória.
Ledo engano.
Vejamos, um desses que “jogam para a torcida”, fez sua campanha na oposição, respaldado pelo grupo de uma controversa liderança política local. Misteriosamente, ainda nos bastidores das negociatas pré-posse, saltou para a situação. Meses depois, vendo que a nau ao qual tinha embarcado, perigava vir a pique, tratou de abrir mão das benesses e saltou para o bloco oposicionista.
Eis algumas perguntas: Tal mudança foi motivada por crenças ideológicas ou simplesmente por temer que sua imagem ficasse maculada ante os crescentes índices de rejeição do grupo ao qual dava sustentação?
Se em menos de sete meses tal político mudou de lado duas vezes, o que seus eleitores poderão esperar do restante do seu mandato?
No mínimo, uma plena fidelidade com a inconstância e a lastimável titubeação política.
Quem duvida?

JABES SE ARTICULA PARA QUE PETISTA SEJA DEMITIDO, AFIRMA SITE

Jerberson trabalha no SAC de Ilhéus.

Crítico ferrenho do prefeito, Jerberson trabalha no SAC de Ilhéus.

Segundo informações do blog Agravo, o prefeito Jabes Ribeiro teria ido à Salvador com uma missão digna dos antigos e finados coronéis do cacau: Pedir a cabeça de um opositor.
A suposta vítima em questão é o jovem membro do PT ilheense, Jerberson Josué, que tem um cargo no SAC de Ilhéus e com grande constância, tece severas críticas à atual gestão municipal ilheense nas redes sociais.
Tal postura, de acordo com o site, estaria incomodando profundamente o prefeito e seus asseclas, que, buscando formas de atingir o opositor, resolveu se articular ardilosamente, e exigir que Jerberson seja demitido do cargo que ocupa.
O citado opositor do jabismo é uma das lideranças jovens que mais se destacam na região, e compõe também as fileiras do movimento Reúne Ilhéus.
A pergunta que paira no ar é: Será que a cúpula estadual do PT vai atender as exigências de um prefeito, que na cidade que administra mas não reside, possui incríveis índices de rejeição e não tem moral nem para sair na rua?
Segundo informações do Agravo, tal postura de Jabes em gastar energias para tal ato, virou motivo de chacota entre os membros do partido da estrela vermelha na capital.
Agora, só nos resta esperar as cenas dos próximos capítulos dessa novela ridícula.

AMIGOS PARA SEMPRE?

amizade
Parece mesmo consolidado o “caso de amor” entre o governador Jaques Wagner (PT) e o prefeito de Salvador ACM Neto (DEM). Para um correligionário, o governador afirmou se sentir surpreso com a qualidade no relacionamento que estabeleceu com o herdeiro do carlismo.
Wagner chegou a avaliar, que, tivesse sido assim com o então prefeito João Henrique (PP), a situação da capital seria outra, em relação à qual acha que o democrata enfrentará ainda muitas dificuldades.

RUI COSTA FARÁ O POSSÍVEL PARA SER CANDIDATO A GOVERNADOR

rui
De acordo com a coluna Raio Laser, o secretário Rui Costa (PT), chefe da Casa Civil da Bahia, vai fazer o possível para ser o escolhido como candidato à sucessão do governador em 2014.
Em entrevista à rádio CBN Salvador, ontem pela manhã, ele afirmou que não se considera o candidato preferido de Jaques Wagner, como é apontado pela imprensa e por políticos da base e da oposição.
“A sucessão depende muito de tudo que nós conseguirmos materializar em 2014. As pessoas sempre citam a amizade que eu tenho com o governador há mais de 30 anos. Eu cultivo essa amizade, mas amizade sozinha não é suficiente para liderar um projeto de suceder o governador. É preciso mais do que isso, mas vamos fazer o possível para viabilizar, e seria uma honra muito grande, mas vamos deixar o tempo passar…”.

O PADECER TARDIO DE UMA IDEOLOGIA ATRASADA

caixãoOs ilheenses vivenciam um momento histórico. Estamos nos deparando com a gradativa morte de uma das últimas ideologias políticas que remete às formas arcaicas de se fazer política.
Isso mesmo caros amigos, o jabismo, liderado e protagonizado pelo prefeito Jabes Ribeiro, agoniza em seu leito de morte, como um marco simbólico na nossa recente história política.
Tudo isso de forma inédita, ou seja, com apenas sete meses após ele reassumir o comando do palácio Paranaguá. Algo nunca visto por aqui.
Nenhum prefeito, nem mesmo o empresário Valderico Reis, caçado e expulso do poder, foi capaz de acumular feitos tão desastrosos e danosos ao município em tão pouco tempo e aglutinar tamanha e expressiva rejeição.
Os motivos não são poucos: demissões de concursados, saúde e educação em frangalhos, abandono de distritos, povoados e bairros periféricos, ruas e avenidas entregue as traças, seguidos deslizes administrativos de suas secretarias, etc.
Como Jabes mesmo afirmou: Ilhéus está ingovernável.
Mas faremos questão de corrigi-lo. Ilhéus está desgovernada. Tudo isso, vale ressaltar, com grande e significativa parcela de culpa dele mesmo, que em outras gestões levou a cidade ao caos administrativo, endividando o município e comprometendo gravemente as gestões que se sucederam. Inclusive a dele mesmo, iniciada em janeiro desse ano.
Mas o jabismo padece. Morre lentamente, como um paciente em fase terminal, desenganado pelos médicos.
E cada gesto novo, cada ação desesperada, só ajudam a piorar o quadro. A exemplo da recém anunciada demissão de 700 servidores municipais.
E para piorar ainda mais a situação, o jabismo vem ganhando contornos de autoritarismo, com direito a perseguições e posturas descabidas, como a adotadas no caso da ocupação do Palácio Paranaguá, onde os manifestantes foram trancados no prédio.
Sem falar nas mentiras, que converteram-se em espécies de execráveis convenções na administração municipal, a exemplo das falhas comunicacionais entre o prefeito e o seu secretário de Administração.
Sensibilidades à parte, ao nos deparamos com o moribundo, em seus últimos suspiros, afirmaremos sem pestanejar: Já vai tarde, pelo bem de Ilhéus!

UM INÉDITO E APROFUNDADO TRATADO CIENTÍFICO POLÍTICO

pp patati
O piadismo desenfreado anda circulando nos bastidores da política ilheense. Suscitado principalmente por essa gestão municipal de festim, que, devido a tantas derrapadas e absurdos administrativos, vem conseguindo provocar gargalhadas generalizadas.
Uma dessas piadas afirma que a sigla que compõe o partido do prefeito Jabes Ribeiro, o PP, na verdade remete as iniciais da dupla de palhaços Patati-Patatá.
Mas nós, enquanto meio de comunicação que acha esse tipo de humor desnecessário, buscamos auxílio do nosso corpo de cientistas políticos e sociólogos, para realizar um profundo estudo que comprovou que de fato há veracidade nessa comparação entre os palhaços e a sigla política. Um brinde à Ciência.
Vamos às minuciosas análises acadêmicas ante o caso:
– Ambos objetos de estudo agem em suas áreas de atuação devidamente disfarçados. Ou seja, não sabemos ao certo qual de fato são as suas identidades. Maquiagens de palhaço e camuflagens políticas contribuem para esse fenômeno.
– Conseguem provocar risos e suscitar a alegria das crianças, no caso da simpática dupla de palhacinhos felizes. Já o PP, devido ao seu perfil adesista (independente de quem esteja no poder), ao longo dos anos vem causando a alegria desenfreada dos seus dirigentes e subordinados, oferecendo emprego e cargos para eles em vários órgãos estaduais e federais. Haja alegria.
– Em compensação, há os portadores de coulrofobia, a curiosa fobia à palhaços. Tais pessoas, crianças ou não, ao depararem-se com algum indivíduo de maquiagem típica e nariz vermelho, têm ataques de pânico, perda de fôlego, arritmia cardíaca, suores e náusea. Algo que, guardada as devidas proporções, a sigla progressista causa nas camadas mais pobres da sociedade. Um bom exemplo que ilustra a situação é a forma que o atual prefeito ilheense, secretário estadual da sigla, vem tratando as comunidades periféricas, povoados e distritos de Ilhéus. É de causar medo.
 – Se a dupla de palhacinhos legais, para não fugir à tradição, são exímios piadistas, a atuação do PP na câmara de Ilhéus vem sendo digna de risos também. Para entendermos o caso, basta analisarmos a postura dos três edis “progressistas” nas sessões do legislativo local. São verdadeiros humoristas à serviço da mais execrável ideologia política em voga no estado: o jabismo.
Vale ressaltar que esse estudo não é algo estático e de conclusões definitivas. Novos pontos poderão ser identificados a qualquer momento, principalmente porque um dos objetos em análise tem a grande capacidade de mutação, a depender de onde a biruta que aponta os rumos dos ventos políticos se vire.
Os trabalhos científicos, nesse caso, não cessam.

MAIORIA DOS ILHEENSES NÃO SE ENVOLVE COM POLÍTICA E EXTERNA RECLAMAÇÕES EM REDES SOCIAIS E BLOGS, AFIRMA PESQUISA

O Instituto Nossa Ilhéus, durante a realização do Aleluia Fest, entre os dias 28 e 31 de março, realizou pesquisa, buscando, segundo eles, “proporcionar maior conhecimento sobre o nível de envolvimento dos moradores e visitantes da cidade com a vida política, cidadania e controle social”.
A pesquisa foi realizada por meio de aplicação de questionários, sendo que 117 pessoas se prontificaram a responder as questões.
Dentre os resultados obtidos, a pesquisa foi concluído que os ilheenses possuem baixo envolvimento da população com a política, está atenta às redes sociais, blogs e rádios da cidade, baixo interesse pela atuação dos vereadores e baixo nível de confiança nos mesmos, além de apontar que os ilheenses se identificam e gostam da natureza e das opções culturais.
Confira o relatório na íntegra clicando AQUI

SOCIEDADE NÃO ACREDITA NO COMBATE À CORRUPÇÃO

corrupçãoA organização não governamental (ONG) Transparência Internacional divulgou estudo hoje (9) em que mostra o descrédito das pessoas nas instituições públicas para combater a corrupção no mundo. Pelo menos uma em cada quatro pessoas admite que pagou suborno por serviços públicos. Mas a pesquisa revela que dois terços daqueles que receberam propostas de suborno negaram a oferta
Os entrevistados dizem que a corrupção se agravou nos últimos anos e defendem o combate à prática. Denominado O Barômetro Global da Corrupção 2013, o levantamento ouviu 114 mil pessoas em 107 países, no período de setembro de 2012 a março de 2013, e mostra que a corrupção é um fenômeno amplo. É a oitava versão da pesquisa sobre o mesmo tema, envolvendo vários países.
Dos entrevistados, 27% admitiram que pagaram suborno para ter acesso a serviços públicos e instituições no último ano. De acordo com a pesquisa, nove em cada dez pessoas disseram que estão dispostas a colaborar para combater a corrupção.
O trabalho mostra ainda que dois terços daqueles que receberam propostas de suborno negaram a oferta, sugerindo, segundo os pesquisadores, que os governos, a sociedade civil e o setor empresarial devem intensificar seus esforços para conseguir que as pessoas contribuam para reverter a corrupção.
A presidenta da Transparência Internacional, Huguette Labelle, disse que os índices de suborno em nível mundial ainda são elevados, mas o fato de o cidadão querer combater a prática e a corrupção em geral deve ser avaliado como positivo.
O  Barômetro Global da Corrupção 2013 alerta também que em vários países os entrevistados demonstraram não confiar nas instituições encarregadas de combater a corrupção e outros delitos. Em 36 países, eles citaram a polícia como o setor mais corrupto. Nos mesmos locais, a polícia é apontada como responsável por 53% dos pedidos de suborno.
:: LEIA MAIS »

OAB VAI PEDIR A CASSAÇÃO DE MARCO FELICIANO E JAIR BOLSONARO

CORREIO DO BRASIL
depuatados
A Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) concluiu a denúncia contra Marco Feliciano (PSC-SP) e Jair Bolsonaro (PP-RJ) por campanha de ódio. A entidade quer que a Corregedoria da Câmara puna os dois por quebra de decoro parlamentar em virtude de divulgação de vídeos considerados difamatórios, o que poderia resultar na cassação de seus mandatos.
Liderando um grupo de mais de vinte entidades ligadas aos direitos humanos, a OAB enviará, na próxima semana, representação ao presidente da Câmara, Henrique Eduardo Alves, contra Feliciano e Bolsonaro. A entidade quer que a Corregedoria da Câmara os processe por quebra de decoro parlamentar em virtude de divulgação de vídeos considerados difamatórios.
Em um dos vídeos, Bolsonaro teria editado a fala de um professor do Distrito Federal em audiências na Câmara para acusá-lo de pedofilia e utiliza imagens de deputados a favor da causa homossexual para dizer que eles são contrários à família.
Para o presidente da Comissão Nacional de Direitos Humanos da OAB, Wadih Damous, essas campanhas de ódio representam o rebaixamento da política brasileira. “Pensar que tais absurdos partem de representantes do Estado, das Estruturas do Congresso Nacional, é algo inimaginável e não podemos ficar omissos. Direitos Humanos não se loteia e não se barganha”, disse. Indignado com os relatos feitos por parlamentares e defensores dos direitos humanos durante reunião na sede da entidade, Damous garantiu que “a Comissão Nacional de Direitos Humanos da OAB será protagonista no enfrentamento a esse tipo de atentado à dignidade humana”.
Na reunião com a CNDH da entidade dos advogados estiveram presentes, além dos deputados acusados na campanha difamatória, representantes da secretaria Nacional de Direitos Humanos da Presidência da República, do Conselho Federal de Psicologia, e ativistas dos movimentos indígena, de mulheres, da população negra, do povo de terreiro e LGBT.

julho 2017
D S T Q Q S S
« jun    
 1
2345678
9101112131415
16171819202122
23242526272829
3031  




twitter
facebook