WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia
secom bahia

secom bahia

camara ilheus









turkeynet

casa melo

agua mineral gabriela

auto escola brandao

whatsapp ilheus 24hs
dezembro 2021
D S T Q Q S S
« nov    
 1234
567891011
12131415161718
19202122232425
262728293031  

:: ‘Polícia Militar da Bahia’

BAHIA TEM DIVERSOS CONCURSOS PÚBLICOS PROGRAMADOS PARA 2018; CONFIRA

Processos seletivos estão autorizados, entretanto ainda não tiveram editais publicados. Polícia Militar da Bahia Foto: Carol Garcia/GOV BA.

Além de vários concursos públicos que já estão com inscrições abertas na Bahia, com salários que chegam até a R$ 19 mil, mais processos seletivos estão autorizados e programados para 2018, no estado. Entre eles, um concurso que visa preencher 60 vagas na Secretaria da Fazenda da Bahia, com remuneração de R$ 8.456,19, podendo chegar a R$ R$ 13 mil ainda no início da carreira, por meio de benefícios garantidos por lei.

O G1 listou os concursos públicos já autorizados na Bahia, mas que ainda não tiveram editais lançados. Clique no “Leia Mais” para conferir a lista:

:: LEIA MAIS »

NOVO MOVIMENTO DE POLICIAIS MILITARES CRIA TENSÃO NO GOVERNO DA BAHIA

CORREIO
Há pouco mais de dois anos, em 31 de janeiro de 2012, policiais militares anunciavam o início de mais uma greve, que durou 12 dias. Agora, seis associações que representam a categoria, entre elas a Associação de Policiais e Bombeiros e de Seus Familiares do Estado da Bahia (Aspra), que encabeçou o movimento de 2012, começam a se mobilizar para discutir as propostas do governo para a categoria.
Embora dirigentes das seis entidades descartem o indicativo de greve, sexta-feira, quando se reúnem em assembleia conjunta no Wet’n Wild (Paralela), a articulação preocupa o governo. Três dias antes da reunião, na segunda-feira à noite, o comandante-geral da PM, coronel Alfredo Castro, emitiu um comunicado em que diz ter tomado conhecimento “da existência de discursos proclamados isoladamente por um ou outro que parecem se interessar pela desestabilização do bom momento que vivemos atualmente na Polícia Militar da Bahia”. Segundo a nota, os discursos foram emitidos nas redes sociais. 
Para o diretor de mobilização da Aspra, o vereador Soldado Prisco, o coronel fala sobre algo que não conhece. “Não existe isso (de grupos menores). O comandante está falando uma coisa que, infelizmente, ele não tem conhecimento, porque não está dentro das entidades”, disse Prisco.

A categoria, que reúne pelo menos 34 mil homens na ativa no estado, reivindica melhoria salarial, mudanças na política remunerativa, plano de carreira, acesso único ao quadro de oficiais, um Código de Ética, aposentadoria com 25 anos de serviço para a Polícia Feminina, aumento do efetivo, bacharelado em Direito para os oficiais, além de elevação de toda a tropa para o nível superior entre 2014 e 2018.

Segundo Castro, a situação está sendo discutida por um Grupo de Trabalho: “Associações representativas dos policiais e bombeiros militares, Comando, secretarias e órgãos do governo, conjuntamente, apresentaram propostas e sugestões para promover a modernização administrativa através da reforma da Lei de Organização Básica e do Estatuto da PM”, diz.

:: LEIA MAIS »

WAGNER RECEBE PROPOSTA PARA MODERNIZAÇÃO DA PM BAIANA

pmUm documento com sugestões para a modernização da Polícia Militar da Bahia (PM-BA), elaborado por uma comissão formada por integrantes de diversas associações de oficiais e praças da PM, secretarias de Estado e órgãos públicos, como a Procuradoria Geral do Estado (PGE), foi entregue ao governador Jaques Wagner ontem, durante reunião com os representantes de cada uma das instituições.  
Para o governador, o documento é o primeiro passo para a melhoria e modernização da PM. “Agora eu preciso de tempo para analisar o documento, com a participação das nossas secretarias, e transformá-lo em um projeto de lei que será encaminhado à Assembleia Legislativa. Porém o mais importante deste trabalho foi quebrar o tabu e os preconceitos que existiam para a negociação entre as partes envolvidas”.  
Para o major Ubiraci Vieira, representante da Associação dos Oficiais do Quadro Auxiliar, o diálogo entre o governo e a Polícia Militar é uma experiência nova. “Eu tenho 30 anos de PM. Meu avô, há 100 anos, já era policial, e nós desconhecemos experiência similar. Agradecemos a iniciativa do Governo do Estado, que instituiu esta mesa de negociação sob a coordenação do secretário da Segurança Pública, Maurício Barbosa. Houve um debate importante para o crescimento e construção de uma proposta moderna e avançada para a PM”.

BAIANOS SÃO OS QUE MAIS CONFIAM NA POLÍCIA, DIZ PESQUISA

pmPesquisa divulgada na sétima edição do Anuário Brasileiro de Segurança Pública aponta a polícia baiana como a mais confiável no Brasil. O estudo aponta que mais da metade dos baianos, 54%, dizem acreditar na Polícia Militar, enquanto 50% confiam na Polícia Civil. O secretário da Segurança Pública, Maurício Teles Barbosa, creditou o resultado ao trabalho de fortalecimento das corregedorias e aos esforços para afastar os servidores envolvidos em delitos. “Desde o início da gestão 600 policiais foram demitidos. A população percebe que há um esforço muito grande de se separar o joio do trigo”, afirmou Barbosa.
Divulgado nesta terça-feira (5) pelo Fórum Brasileiro de Segurança Pública, o anuário traz números relativos a crimes cometidos no país entre 2011 e 2012, baseado em dados fornecidos pelos estados. Segundo Barbosa, os resultados apresentados pelo estudo ainda estão sendo analisados, mas adiantou que não há unidade nas metodologias utilizadas por cada estado para a classificação.
“É importante observar a qualidade das informações prestadas e neste sentido a Bahia sai na frente. Aqui nós classificamos de imediato qualquer morte sem autoria ou causa aparente como homicídio, enquanto outros estados utilizam a nomenclatura morte a esclarecer, gerando uma discrepância entre os números”, esclareceu, tomando como exemplo o estado de Minas Gerais que contabilizou 4.125 casos de Crimes Violentos Letais Intencionais em 2012, mas classificou outros 2.323 como “mortes a esclarecer”, enquanto na Bahia, a quantidade de registros do tipo foi de apenas 446.

BAHIA: CRESCE O NÚMEROS DE POLICIAIS MILITARES AFASTADOS POR DISTÚRBIOS MENTAIS

policiaConvívio direto com os casos mais variados de violência, risco de vida, pressões de superiores e da sociedade, dentre outros casos podem ser a causa de um dado intrigante: Na Polícia Militar da Bahia, 40% dos servidores afastados por problemas de saúde apresentaram distúrbios mentais e de comportamento.
De acordo com dados do Centro de Perícias Médicas Militares (CPMM), entre 2008 e 2012, a PM-BA registrou 184 afastamentos definitivos e temporários.
Uma reportagem publicada no jornal Correio mostra que os casos de síndrome do pânico, tensão pós-trauma, transtornos compulsivos e depressão se multiplicam e são cada vez mais comuns. Pelo menos cinco PMs que tentaram suicídio estão atualmente em tratamento no Serviço de Valorização Profissional (Sevap), responsável pelos atendimentos psicológicos na corporação.
Nos números não estão contabilizados os 27 encaminhamentos para atendimentos psiquiátricos em instituições externas. Como não há psiquiatras na PM, eles são levados para locais como o Núcleo de Atendimento Psicológico da Secretaria da Segurança Pública (Nead), Sanatório São Paulo e algumas fundações.
“A quantidade de profissionais não comporta. São casos difíceis e crônicos, que duram quatro, cinco meses de tratamento”, afirmou o major Antônio Honorato Barbosa, que assumiu a coordenação do Sevap há cerca de dois meses. “Por isso, nossa prioridade é sanar as demandas organizacionais. Mandar o policial para a clínica só em último caso”, admite.
Na última sexta-feira (12) um PM lotado na 17ª Companhia Independente (CIPM/Uruguai) depredou um carro e um ônibus na Avenida Joana Angélica, em Salvador. Ele se descontrolou e passou a dar socos e pontapés no parabrisa do veículo de transportes de passageiros. O soldado foi encaminhado para a 1ª Delegacia, nos Barris, e em seguida apresentado à Junta Médica de Saúde da PM. 
Em nota, a instituição informou que ele já havia dado entrada na Junta Médica anteriormente e, neste momento, “se encontra afastado das atividades operacionais e administrativas em decorrência de tratamento psiquiátrico a que está submetido”.

COMUNIDADE DE ITACARÉ REVOLTADA COM ABUSOS DE AUTORIDADE DE SOLDADO PM

violênciaVida de policial militar não é definitivamente um mar de rosa.
Além de labutar diariamente com a violência, coisa que, há de se convir, não é algo muito agradável, é obrigado a conviver com o precário aparelhamento da instituição, baixos salários, pouco reconhecimento da sociedade, descaso dos políticos, dentre outros tantos fatores.
Mas isso em hipótese alguma os gabarita a agir utilizando a intimidação e a truculência como ferramentas “complementares” das suas funções sociais.
E é justamente isso que vem se sucedendo na paradisíaca cidade de Itacaré, segundo relatos, com uma absurda e inaceitável constância.
Em contato com a nossa redação, moradores de lá relataram uma série de casos envolvendo abusos de autoridade, protagonizada por um policial militar lotado na companhia da PM do citado município.
Um desses casos se sucedeu na noite da segunda-feira (08), no espaço conhecido por Maluca Beleza, onde um evento beneficente era realizado.
Por volta das 00:30h, quatro policiais militares adentraram no espaço, informando que o evento tinha que acabar, pois a autorização era para que ele durasse somente até a meia-noite. Após dado o aviso os policiais se retiraram.
Alguns minutos depois eles voltaram ao local e constataram que o som já havia sido desligado. Porém, o músico que se apresentava na noite, explicava para o público o porquê do som ter sido interrompido.
Tal músico, vale ressaltar, é um cantor de reggae talentosíssimo, muito respeitado e querido em Ilhéus, sua cidade natal, mas que hoje em dia reside em Itacaré, onde leva alegria e entretenimento à vários espaços da cidade, com sua música de muita qualidade.
Pois bem, inexplicavelmente um dos policiais presentes achou que o músico, ao dar as explicações ao público, estava desmerecendo as autoridades policiais. Coisa que, segundo relatos de algumas pessoas que estavam lá, não se sucedeu em nenhum momento. Retirado violentamente do palco, o músico foi humilhado em frente a várias pessoas e recebeu voz de prisão. Após muita conversa e demonstrações descabidas de intimidação por parte dos PMS, a prisão acabou não se sucedendo.
O que havia de alegria e descontração positiva na festa, vale lembrar, de caráter beneficente, acabou, e todos saíram amedrontados e tristes. Sentimento comum para as vítimas da violência. Nesse caso, infelizmente, propiciada por aqueles que são pagos para nos oferecer segurança.
Como afirmamos, esse foi apenas um caso envolvendo o citado policial militar. Ele tem um vasto histórico de intimidações e abuso de autoridade. Coisa que está revoltando e indignando profundamente os moradores de Itacaré, que já pensam em organizar uma manifestação, a fim de que as autoridades competentes tomem as devidas providências.
“Eu sou a ditadura, a ditadura aqui sou eu”, é o que costuma bradar o policial.
Até quando? É o que todos se questionam.

casinos online no brasil





dom eduardo

lm mudancas

fale conosco













WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia