WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia
Neste site
ilheus brindes
setembro 2019
D S T Q Q S S
« ago    
1234567
891011121314
15161718192021
22232425262728
2930  

:: ‘Polícia Federal’

PF DESARTICULA MAIOR ESQUEMA DE FRAUDE DA HISTÓRIA DA CAIXA

caixa-economica-fachada-banco-2005-size-598A Polícia Federal iniciou, na manhã deste sábado (18), uma operação para combater a que é apontada como a maior fraude já sofrida pela Caixa Econômica Federal.
Foram emitidos, pela Operação Éskhara, cinco mandados de prisão preventiva, 10 mandados de busca e apreensão e um mandado de condução coercitiva nos Estados de Goiás, Maranhão e São Paulo.
De acordo com a PF, a fraude consistiu na abertura de uma conta corrente na agência do município de Tocantinópolis (TO), em nome de uma pessoa fictícia, criada para receber um falso prêmio da Mega-Sena no valor aproximado de R$ 73 milhões.
O dinheiro foi creditado e, em seguida, transferido para diversas outras contas. As investigações apontam para a participação no esquema de um suplente de deputado federal maranhense.
O gerente geral da agência de Tocantinópolis foi preso, por envolvimento no crime. Até o final da manhã, a PF também já havia apreendido aproximadamente 70% do dinheiro desviado.
Participam da operação 65 agentes federais. Os acusados serão indiciados pelos crimes de peculato, receptação majorada, formação de quadrilha e lavagem de dinheiro, cujas penas somadas, caso condenados, podem chegar a 29 anos de reclusão.

VÍDEO: “ÍNDIOS” TORTURAM AGRICULTORES E ARMAM CONTRA A FORÇA NACIONAL

As marcas do espancamento.

As marcas do espancamento.

Há três meses, pequenos agricultores da região de Buerarema (sul da Bahia) sofrem com as invasões de suas terras por parte de pessoas que se declaram como indígenas. Os atos são motivados pelo desejo da demarcação das áreas.
As ocupações sempre acontecem de forma violenta, sendo realizadas por homens fortemente armados. Um, dos vários exemplos das ações violentas, é o caso do pequeno agricultor Alessandro Correa, de 39 anos.
No dia 8 de novembro de 2013, Alessandro foi vítima de uma emboscada que quase resultou em sua morte. Membros da tribo do Cacique Babau o capturaram e o torturaram após o mesmo ter solicitado uma escolta da Força Nacional à sua propriedade, invadida pela tribo do Cacique Valdelice. Alessandro e um grupo de trabalhadores desejavam colher o cacau plantado na localidade.
Com a ajuda de agentes da Força Nacional, Alessandro e o grupo de trabalhadores chegaram à propriedade. Os agentes ficaram de retornar ao fim do dia para garantir a segurança de todos na volta, mas, no período previsto, os agentes não retornaram.
Em busca de estabelecer contato via telefone para averiguar o atraso da escolta, o agricultor se afastou da sede da propriedade. Neste momento, ele foi surpreendido por cinco supostos índios que o fizeram de refém, sendo levado a um cativeiro.
Sob constantes ameaças, Alessandro foi agredido verbalmente e psicologicamente por meia hora. Os agressores (agora cerca de 25 homens, incluindo o Cacique Babau) utilizaram facões e armas na sessão de tortura.
De acordo com Alessandro, ele só conseguiu sobreviver às agressões por ter escapado do cativeiro durante a noite, tendo que adentrar uma mata, se atirar em um rio e fingir estar morto. Alessandro ficou bastante ferido. No dia seguinte, um mototaxista o resgatou.
Somente no hospital Alessandro tomou conhecimento de que, no dia das agressões, os agentes da Força Nacional tiveram a passagem bloqueada, na estrada que dava acesso á propriedade. O mesmo grupo de supostos índios utilizou árvores para montar a situação.
Após o ocorrido, o pequeno produtor prestou queixa na Delegacia da Polícia Federal, em Ilhéus. No vídeo abaixo, Alessandro conta o que aconteceu. Assista:

PREFEITO DE ILHÉUS CALADO ANTE INVESTIGAÇÕES DA POLÍCIA FEDERAL ENVOLVENDO SEU SECRETÁRIO

calado“Quem cala, consente”. Pelo menos é isso o que nos afirma um sábio dito popular.
E é a ele que recorreremos para tentar interpretar um fato que vem intrigando alguns atentos ilheenses: O silêncio do prefeito Jabes Ribeiro ante as gravíssimas acusações que caíram sobre o ex-vereador e atual secretário municipal de Relações Institucionais, Jailson Nascimento.
Ele, como foi noticiado em todos os meios de comunicação da região, vem sendo investigado pela Polícia Federal, na operação Perlagós, juntamente ao ex-prefeito Newton Lima e mais dois sócios da empresa ST Transporte, acusados de capitanearem fraudes à licitações com o transporte escolar municipal. (LEIA AQUI)
Jailson negou qualquer ligação com a citada empresa (LEIA AQUI). Pouca gente acreditou, porém, uma delas foi o prefeito Jabes Ribeiro.
O gestor municipal nada declarou sobre o caso. A única coisa que se viu, vinda do paço Paranaguá foi um release da Secom, afirmando que a prefeitura contribuirá para as investigações.
Pelo visto a grande contribuição de Jabes será manter Jailson no cargo, fazendo valer uma máxima jurídica, que afirma que todo mundo é inocente até que se prove o contrário.
De fato, o prefeito é um homem mui justo.

NEWTON LIMA DEPÕE À PF HOJE

A REGIÃO
Foto: Andrei Sansil/Ilhéus 24h.

Foto: Andrei Sansil/Ilhéus 24h.

Na manhã de quinta-feira a Polícia Federal cumpriu oito mandados de busca e apreensão na Prefeitura de Ilhéus, na sede da ST Transporte, na casa do secretário municipal Jailson Nascimento e do ex-prefeito Newton Lima.
Jailson Nascimento, hoje secretário e na época vereador, foi conduzido para a delegacia da Polícia Federal para ser ouvido. Já o ex-prefeito Newton Lima deve prestar depoimento nesta sexta-feira.
A investigação constatou que eles usaram empresas “laranjas” para participar de processos licitatórios de forma fraudulenta, de modo que quem efetivamente prestaria o serviço era a empresa do grupo criminoso.
Segundo a Polícia Federal, os envolvidos no esquema financiaram duas campanhas políticas. Uma delas do ex-prefeito Newton Lima.
Além de Jailson Nascimento, o delegado Mário Vinicius ouviu ex-servidores públicos, falsos sócios da empresa ST Transporte e funcionários da Prefeitura. Mais detalhes na edição do final de semana do Jornal A Região.

ÍNDIOS OCUPAM FAZENDAS NA REGIÃO DE BUERAREMA

Pelos menos seis fazendas na região conhecida como Ribeirão da Luzia, em Buerarema, foram ocupadas por cerca de 100 índios tupinambás desde a manhã de quinta-feira (6).
A Polícia Federal informou que existe um processo de demarcação de terras que ainda não foi julgado, mas que os indígenas já estariam considerando como deles a região. A Fundação Nacional do Índio (Funai) foi procurada para dar detalhes sobre os processos, mas ninguém foi encontrado.
Os donos dos terrenos ocupados dizem que não podem se aproximar das propriedades.
Para chegar até o local onde estão os índios é preciso percorrer aproximadamente 8 km de estrada. Os tupinambás colocaram uma corrente para impedir a passagem e montaram uma barraca na entrada de uma das fazendas. Os índios monitoram o acesso às propriedades com pedaços de madeira, facão e até fogos de artifício.
A Polícia Federal de Ilhéus informou que alguns fazendeiros já registraram queixa, mas que depende de decisão judicial para tomar providências.

POLÍCIA FEDERAL IDENTIFICA PESSOAS QUE RECEBERAM TELEFONEMAS SOBRE FIM DO BOLSA FAMÍLIA

AGÊNCIA BRASIL
A Polícia Federal (PF) já tem informações sobre pessoas que receberam telefonemas no último final de semana com mensagens sobre o fim do Bolsa Família. A PF não confirma o número de pessoas identificadas, mas diz que dispõe de informações sobre a possibilidade do boato ter surgido a partir de ligações originadas portelemarketingAs investigações começaram na segunda-feira (20), por determinação do ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo.
Na terça-feira (21), Cardozo levantou a suspeita de que a ação possa ter sido “orquestrada” devido à velocidade com que os boatos sobre o fim do Bolsa Família se espalharam.
A Caixa Econômica Federal ficou de repassar hoje (24) à Divisão de Crimes Cibernéticos da PF, responsável pelas investigações, as informações relativas aos dois primeiros saques feitos após a disseminação do boato. Os dados podem ajudar a localizar a origem dos rumores.
Somente no último final de semana, a Caixa Econômica Federal registrou 920 mil saques de beneficiários do programa. As informações desencontradas sobre o pagamento do Programa Bolsa Família provocaram uma corrida às agências que levou os beneficiários a sacarem R$ 152 milhões.
Após o ocorrido, o governo federal disse que vai passar a fazer um monitoramento “mais fino”  dos saques feitos por beneficiários do Programa Bolsa Família durante os finais de semana. Segundo a ministra do Desenvolvimento Social e Combate à Fome, Tereza Campello, a medida vai se somar a outros mecanismos de controle do pagamento dos benefícios. A finalidade é permitir uma resposta mais rápida a problemas como os tumultos do último fim de semana em agências bancárias da Caixa Econômica Federal e lotéricas de 12 estados.

ESTELIONATÁRIOS PRESOS EM ILHÉUS

Foto: O Sarrafo

Foto: O Sarrafo

Em operação da PM, três indivíduos foram detidos em flagrante e encaminhados à Polícia Federal, sob a acusação de estelionato e falsificação de documentos.
Flávio Santos Gomes, Cariza Pereira de Araújo e Sidnei Aquino dos Santos foram encontrados no Santo Antônio de Pádua, zona sul de Ilhéus.
Com eles foram achados vários documentos falsificados: carteira profissional, contracheques em branco, CNHs, RGs, CPFs e cartões de benefício do Bolsa Família.

dom eduardo

arquiteto













WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia