WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia
Neste site
fevereiro 2020
D S T Q Q S S
« jan    
 1
2345678
9101112131415
16171819202122
23242526272829

:: ‘perseguição’

A “SINUCA DE BICO” QUE JABES ARMOU PARA ALCIDES KRUSCHEWSKY

Alcides, secretário de Turismo de Ilhéus.

Alcides, secretário de Turismo de Ilhéus.

Segundo informações das fétidas catacumbas administrativas do paço Paranaguá, é algo público que o prefeito Jabes Ribeiro não nutre a menor simpatia pelo secretário municipal de Turismo, Alcides Kruschewsky.
Isso remonta à longas datas.
Jabes só aceitou o ex-vereador no seu governo porque fez aliança com o seu partido, o PSB.
Por isso, a palavra de ordem é desgastar e desmoralizar o secretário de uma importante pasta para Ilhéus, o Turismo.
Comenta-se que Jabes não moverá uma ínfima palha para que haja carnaval em Ilhéus, e vai jogar toda responsabilidade na caixa dos peito de Krushewsky, que, teoricamente, teria uma boa entrada na secretaria estadual de Turismo, capitaneada até o final de dezembro por Domingos Leonelli, que também é do PSB.
Ou seja, se acontecer algo que se assemelhe ao festejo de Momo na cidade, isso se dará graças ao Governo do Estado.
Aí entrará em campo a estratégia maquiavélica jabista. Se der certo, ele abraçará a causa e posará de pai da criança. Caso o festejo não agrade a população, Jabes se esquivará e conduzirá as coisas para que a bomba exploda no colo de Alcides.
Aliás, como foi feito recentemente com a não realização da tradicionalíssima Lavagem da Catedral de São Sebastião e a falta de apoio aos festejos de Iemanjá, no dia 2 de fevereiro.
Se é assim que Jabes trata as pessoas do seu governo, ficamos a imaginar o que de fato ele objetiva no comando do Paranaguá. Governar para o bem estar coletivo, ou usar do poder como ferramenta política de perseguição e benefício próprio e de seu grupo político?
A resposta é mais do que evidente.

PERSEGUIÇÃO JABISTA: CONSELHEIRO DO GOVERNO QUE VOTOU PELO CANCELAMENTO DO ANO LETIVO É EXONERADO

ed rochaSegundo matéria publicada no Jornal Bahia Online, antes de sair de férias, o prefeito ilheense Jabes Ribeiro (PP), cometeu mais um ato de maldade contra aqueles que não rezam em sua cartilha e vão de encontro aos seus duvidosos interesses.
De acordo com a publicação, o odontólogo Eduardo Rocha (foto), então representante do paço Paranaguá no Conselho Municipal de Educação, foi exonerado do cargo de chefe da Seção de Saúde Bucal da secretaria municipal de Saúde, porque votou pela anulação do ano letivo em algumas escolas e turmas da rede municipal.
Conforme o entendimento de Rocha, que ocupava cargo de indicação do PDT, as escolas não ofereciam nenhuma condição de cumprir os 200 dias letivos ou as 800 horas de aula em tempo hábil.
O site afirma que, em uma agilidade anormal, Jabes já encaminhou ao conselho o nome do substituto, Edvaldo Soares Martins da Silva, novo superintendente do Fundo Municipal de Saúde e pessoa bastante ligada à John Ribeiro, irmão do prefeito e apelidado de garotão raivoso do PP.

CONTRA PERSEGUIÇÃO DE JABES, SERVIDOR VAI À JUSTIÇA

O servidor queria salário, mas só tem perseguição.

O servidor queria salário, mas só tem perseguição.

E o governo jabista continua implacável contra o servidor Mário Schneider. Há três meses sem receber salário, o concursado decidiu acionar a justiça e cobrar a grana atrasada. Até hoje, o município não se pronunciou sobre os atrasos.
Mário é fiscal de postura do município e garante que bate ponto todos os dias, mas não vê a cor do dinheiro.
Simpático ao Partido dos Trabalhadores, que faz oposição ao prefeito na cidade, e membro do coletivo Reúne Ilhéus, o servidor reclamou, nesta quarta (04), que todos os outros trabalhadores do município receberam pagamento, mas sua conta continua zerada.
Sem alternativa,  pretende resolver o imbróglio na justiça.

SERVIDOR MUNICIPAL, QUE É MEMBRO DO REÚNE ILHÉUS, TEM SALÁRIO CORTADO POR ORDEM DE JABES

shiQual a melhor forma de lidar com os movimento sociais, que lutam por melhorias em suas cidades?
Sentar à mesa e dialogar, buscando ouvir suas reivindicações e procurar soluções?
Bem, definitivamente não é essa a postura do prefeito Jabes Ribeiro, ante os anseios do movimento Reúne Ilhéus.
Até porque a principal pauta do citado movimento, a questão dos preços das passagens dos coletivos e o questionamento ante a lógica que faz com que Ilhéus tenha uma das tarifas mais caras do país, vai de encontro com interesses particulares da atual gestão municipal.
Isso mesmo. Para quem não sabe, a família Carlleto, uma das donas da empresa de ônibus Via Metro, foi uma das principais doadoras para a campanha de Jabes no ano passado.
Ou seja, entregar as documentações exigidas pelo Reúne Ilhéus, é algo que colocará em xeque a lógica exploratória da Via Metro, empresa que Jabes deve grandes favores.
Tomado pelo sentimento de ira, ao ver que as ações e questionamentos do Reúne, somado a outros fatores, estão significando o gradativo aumento da rejeição do seu nome, o prefeito Jabes Ribeiro resolveu utilizar táticas dignas de tiranos totalitários, ao se verem enfrentados e acuados: Tentar prejudicar pessoalmente as pessoas que compõem o citado movimento.
O servidor municipal e membro atuante do Reúne, Shi Mário Schneider, que é fiscal de postura da prefeitura de Ilhéus, está há dois meses sem receber seu salário. Isso, segundo informações do próprio movimento, por ordens expressas do prefeito Jabes Ribeiro e acatada pelo setor municipal de Recursos Humanos.
É a execrável faceta ditatorial e perseguidora do prefeito se evidenciando de maneira covarde e vergonhosa.
São coisas da nossa Ilhéus.

JABES SE ARTICULA PARA QUE PETISTA SEJA DEMITIDO, AFIRMA SITE

Jerberson trabalha no SAC de Ilhéus.

Crítico ferrenho do prefeito, Jerberson trabalha no SAC de Ilhéus.

Segundo informações do blog Agravo, o prefeito Jabes Ribeiro teria ido à Salvador com uma missão digna dos antigos e finados coronéis do cacau: Pedir a cabeça de um opositor.
A suposta vítima em questão é o jovem membro do PT ilheense, Jerberson Josué, que tem um cargo no SAC de Ilhéus e com grande constância, tece severas críticas à atual gestão municipal ilheense nas redes sociais.
Tal postura, de acordo com o site, estaria incomodando profundamente o prefeito e seus asseclas, que, buscando formas de atingir o opositor, resolveu se articular ardilosamente, e exigir que Jerberson seja demitido do cargo que ocupa.
O citado opositor do jabismo é uma das lideranças jovens que mais se destacam na região, e compõe também as fileiras do movimento Reúne Ilhéus.
A pergunta que paira no ar é: Será que a cúpula estadual do PT vai atender as exigências de um prefeito, que na cidade que administra mas não reside, possui incríveis índices de rejeição e não tem moral nem para sair na rua?
Segundo informações do Agravo, tal postura de Jabes em gastar energias para tal ato, virou motivo de chacota entre os membros do partido da estrela vermelha na capital.
Agora, só nos resta esperar as cenas dos próximos capítulos dessa novela ridícula.



dom eduardo

lm mudancas













WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia