WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia
bahiagas Neste site
novembro 2019
D S T Q Q S S
« out    
 12
3456789
10111213141516
17181920212223
24252627282930

:: ‘marina silva’

MARINA SILVA ASSUME SER CONTRA O CASAMENTO GAY

marinaNa semana do Orgulho Gay, Marina Silva, do PSB, declarou ter opinião “não favorável” ao casamento entre pessoas do mesmo sexo. “O casamento é uma instituição entre pessoas de sexos diferentes, uma instituição que foi pensada há milhares de anos para essa finalidade”, afirmou em entrevista ao site UOL.
Marina acrescentou que seu posicionamento “não pode ser confundido com discriminar essas pessoas do ponto de vista de seus direitos”. Horas depois, em resposta à polêmica gerada na internet pelas declarações, ela amenizou sua posição e afirmou ser a favor da união civil “de bens” entre homossexuais.
“Prefiro que o movimento gay olhe para mim e diga: ‘a Marina nesse aspecto não pensa igual a mim’”, disse, admitindo que pode perder votos com as declarações. Ela reconheceu que as opiniões se devem a sua religião – Marina é fiel da Assembleia de Deus –, mas garantiu que, se eleita, não usará o governo para “fazer proselitismo religioso”. Disse ainda considerar “legítimas” as reivindicações do movimento GLBT.

DILMA VENCERIA AÉCIO E CAMPOS NO PRIMEIRO TURNO

dilmaSe a eleição fosse neste sábado (12), a presidenta Dilma Rousseff venceria já no primeiro turno, sem complicações e adversários que chegassem próximos de sua votação. A conclusão é de pesquisa DataFolha divulgada hoje pelo jornal Folha de São Paulo.
A petista seria reeleita no primeiro turno se disputasse a eleição contra os dois candidatos mais prováveis do PSDB e do PSB, o tucano Aécio Neves e o socialista Eduardo Campos.
Nessa simulação, Dilma tem 42% das intenções de voto; Aécio, 21%; Campos,15%. Brancos, nulos ou nenhum somam 16%. Outros 7% não sabem em quem votar.
Segundo o jornal paulista, o instituto testou quatro cenários para a eleição presidencial de 2014, alternando os nomes de Campos e Marina Silva, pelo PSB, e os de Aécio e José Serra, pelo PSDB.
Nas outras três combinações, Dilma não teria uma quantidade suficiente de votos para garantir vitória no primeiro turno. Na simulação em que a disputa aparece mais apertada, a petista alcança 37% das intenções de voto, Marina marca 28%, Serra alcança 20%.
Os outros cenários, no entanto, são praticamente improváveis, já que Eduardo Campos e Aécio Neves trabalham por suas candidaturas e são os que mais têm chances de disputar por seus partidos. 
Para a pesquisa deste sábado, o Datafolha fez 2.517 entrevistas em 154 municípios, com margem de erro de 2 pontos.

PSB REAGE A MARINA E DIZ QUE CANDIDATO EM 2014 É CAMPOS

marinaUm dia depois de a senadora Marina Silva afirmar em entrevista ao jornal Folha de São Paulo que tanto ela quanto o governador Eduardo Campos são “possibilidades” para 2014, integrantes do PSB afirmaram que o nome que aparecerá na urna no dia 5 de outubro de 2014 como o candidato do partido à Presidência será o de “Eduardo Henrique Accioly Campos”.
“Não tem isso de discutir lá na frente posição na chapa. A candidatura posta é a de Eduardo e ela vai até o dia da eleição. A cabeça de chapa se chama Eduardo Henrique Accioly Campos e esse será o nome na urna no dia da eleição”, afirmou o secretário-geral do PSB, Carlos Siqueira.
Um dos congressistas que participaram da articulação para a aliança Campos-Marina, o senador Rodrigo Rollemberg (PSB-DF) também negou a possibilidade de que o governador possa vir a ceder a vaga a Marina, a depender das circunstâncias.
“Os que apostarem em uma disputa entre Eduardo e Marina vão perder. Não tenho nenhuma dúvida de que a Marina fez opção pela candidatura do Eduardo, e essa candidatura vai até o fim.”
Nesta terça (9), Marina reclamou do destaque dado à sua declaração e disse que falava só em possibilidades para o Brasil, mas voltou a se negar a responder diretamente se descarta a sua postulação.
Apesar de reconhecerem o constrangimento, integrantes do PSB dizem, nos bastidores, que Marina não deixará clara agora a sua possível desistência de concorrer ao Planalto por dois motivos: risco de desmobilização na Rede, o partido que ela tentou criar, mas foi barrado pela Justiça Eleitoral, e possibilidade de que Campos vire o foco principal dos adversários.
De acordo com o Datafolha, Marina tem 26% das intenções de voto contra 8% de Campos, o que leva militantes da Rede a defender que ela seja a cabeça de chapa.
:: LEIA MAIS »

SOBRE EDUARDO CAMPOS, MARINA E O FRACASSO DA REDE

carlos pereiraAcho engraçado como gostam de fazer política com suposições. A ida de Marina para o PSB foi uma boa cartada política, É fato novo? É. No mundo dos letrados da política gera debate? Gera. Mas daí entrar nos devaneios que mudou tudo, que agora a coisa vai, agora Dilma já era… É risível! Marina fracassou na organização da Rede, faz política tradicional com ares de diferente, está na política tradicional, no jogo jogado, pode melhorar um pouco o espetáculo, mas também pode apenas fazer mais do mesmo. Só isso. A sua filiação não a deixa em situação pior e facilita a eleição de alguns de seus filiados (outros não terão oportunidade, como o Dutra no Maranhão. Um cabra muito sério que terá de concorrer em uma legenda menos). No mais é jogo de campanha antecipada, nenhum político vende derrota de véspera.
Carlos Pereira Neto, ilheense, advogado e professor.

TSE EMBOLA MAIS UM POUCO A REDE DE MARINA SILVA

BRASIL 247
marinaAs pressões de Marina Silva não surtiram efeito no TSE (Tribunal Superior Eleitoral). A ministra Laurita Vaz rejeitou na noite de ontem o pedido da Rede Sustentabilidade de que as assinaturas de apoio à criação da legenda fossem validadas pelos cartórios eleitorais automaticamente, para acelerar prazo, sem a checagem da veracidade dos dados apresentados.
A ex-senadora tem até o dia 5 de outubro para registrar a sigla caso queira concorrer ao Palácio do Planalto em 2014.
Em documento postulado para formalizar o pedido de criação da sigla, Marina havia pedido ao TSE que determinasse aos cartórios a publicação das listas de apoiadores que ainda não haviam sido validadas. Caso os nomes não fossem contestados em até cinco dias, as assinaturas seriam automaticamente contabilizadas.
Em sua decisão liminar, de caráter provisório até decisão do plenário, Laurita diz que “presumir como válidas” as assinaturas sem a checagem prevista em lei não atende ao “regramento legal” e aos “postulados constitucionais” relativos “ao pluralismo político e às agremiações partidárias”.
O partido conseguiu certificar até agora 304 mil nomes, 188 mil a menos do que o mínimo exigido em lei, e reclama que os cartórios eleitorais do país estão descumprindo o prazo de 15 dias para validar ou não as assinaturas.

JUSTIÇA PEDE INVESTIGAÇÃO SOBRE REDE DE MARINA

BRASIL 247
marinaA Justiça Eleitoral acionou o Ministério Público e a polícia para investigar indícios de fraude e irregularidades na coleta de assinaturas em São Paulo para a criação da Rede Sustentabilidade, partido da ex-senadora Marina Silva.
Segundo informações da Folha, em Ourinhos, no oeste paulista, ao menos dois eleitores que aparecem na lista de apoiadores da legenda declararam não ter assinado nenhuma ficha do partido.
Indícios de fraude também foram informados por cartórios de Mogi das Cruzes, São Bernardo do Campo e em São José do Rio Preto, em São Paulo.
Segundo o promotor responsável, Marcos da Silva Brandini, terá de ser feito o exame grafotécnico para confirmar se as assinaturas são ou não dos eleitores.
O partido rebateu a suspeita e afirmou em nota que os problemas podem ter sido provocados pela falta de parâmetros dos cartórios na certificação dos apoios.
Em segundo lugar nas pesquisas de intenção de voto, a ex-senadora Marina Silva se reuniu com a presidente Carmen Lúcia, do Tribunal Superior Eleitoral, e pediu pressa na validação das assinaturas para a criação da Rede Sustentabilidade: “essas assinaturas precisam ser validadas, porque não temos culpa se eles não têm o parâmetro para fazer a validação ou se contam com estrutura de pessoal que não está dando conta de fazer o processamento dentro do prazo”, disse.
A candidata à Presidência tem até o dia 5 de outubro para registrar o partido caso queria disputar as eleições de 2014.

dom eduardo

lm mudancas













WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia