WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia
coronavirus 155 Neste site
abril 2020
D S T Q Q S S
« mar    
 1234
567891011
12131415161718
19202122232425
2627282930  

:: ‘Luh Oliveira’

EM CENA

Luh Oliveira é professora de Língua Portuguesa, poeta, escritora e Mestre em Letras.

Seria bom ser artista

por um dia

vestir a máscara da alegria

tirar a maquiagem

sair do salto

pisar na areia

sorrir para o dia.

 

Seria bom ser artista

por uma semana inteira

falar verdades e baboseira

nada de monotonia

plateias, bandeiras

destino jogado

sem eira nem beira

 

Seria bom ser artista

por um mês fechado

curtir a vida adoidado

ser mocinho, ser bandido

criar verdades e pecados

ficar rico, ficar pobre

ter um encontro marcado.

 

Seria bom ser artista

pela vida afora

encenar sempre o agora

semana que dá semente

domingo que não demora

ter um palco-brincadeira

ver a vida indo embora

 

Seria bom ser artista

neste exato minuto

em que escrevo

ensaiando o script

que a vida me deu

por sorteio

In: OLIVEIRA, Luh. Iluhsão. Guaratinguetá: Penalux, 2015. p. 26-27

UTOPIAMOR

Luh Oliveira é professora de Língua Portuguesa, poeta, escritora e Mestre em Letras.

Eu desejo um amor que me enfureça

Que me leve à loucura, êxtase profundo

Que me faça mulher em chamas

Que me tire o salto, desamarre os botões

E apague meus queimores ao anoitecer

Eu desejo um amor que me acalme

Que me sacuda os ombros

Que me faça companhia

Que me diga boas verdades

E que adormeça em meus braços até amanhecer.

Eu desejo um amor que me ilumine

Que seu sorriso me contamine

Que encare a TPM como brinde

Que me pegue no colo, rode, saltite

e segure firme em minhas mãos até o sol nascer

Eu desejo um amor que me encare

Que olhe sempre em meus olhos

Que não deixe que nada nos separe

Que colha flores do campo e tulipas

E floresça em meu caminho até envelhecer

Eu desejo um amor que ame

Que grite, que chore, que reclame

Que cante, dance , lute sem tatame

Que amanheça, que entardeça, que anoiteça.

E que me ame pra sempre até morrer.

 

In: OLIVEIRA, Luh. Iluhsão. Guaratinguetá: Penalux, 2015. p. 38-39.

POESIA NO DIVÃ

Luh Oliveira é professora de Língua Portuguesa, poeta, escritora e Mestre em Letras.

Com licença, doutor Freud
Permita-me deitar em seu divã
Preciso indagar contigo
Preciso do seu ombro amigo
Falar sobre esta poesia vã.

Quero que decifre meu inconsciente
Que me deixe falar desesperadamente
Que analise minhas palavras
Versos, rimas, candura e raiva
E tudo que passa em minha mente.

Já conversei com Fernando Pessoa
Alberto Caeiro e Pablo Neruda
Morri de rir com Gregório de Mattos
Chorei com Augusto dos Anjos
Mas em nada essa sensação muda.

Pedi ajuda a Cecília Meireles
A Bandeira, a Drummond de Andrade
Achei versos no meio do caminho
O Claro Enigma tentei decifrar sozinho
Mas em todo lugar a poesia me invade.

Já fiz da palavra disfarce de coisa grave
Conforme dialoguei com Adélia Prado
Assim como eu, Álvaro de Campos

Queria ser o que pensa e ser tantos

Que até desabafei com Elizabeth Salgado.

Em tempos modernos já viajei Edu Neto
Claudia Gonçalves, Tonho França, Jiddu Saldanha
Sobrevoei Cyro de Mattos, Valdelice Pinheiro
André Rosa, Antônio Pereira, Rita SAntana
E neste vasto céu a poesia me arranha

Que me diz, doutor Freud?
Se a língua molda o inconsciente
Como afirma Lacan veemente
Que faço eu com minha alma poeta
que vive em mim tão intensamente?

Existe explicação para a Poesia?

Nem Freud explicaria…

ARTESÃ DE SONHOS

Luh Oliveira é professora de Língua Portuguesa, poeta, escritora e Mestre em Letras.

Sento-me no banco da praça 
lindo fim de tarde 
sol se pondo 
luzes acendendo a cidade. 
Fito as linhas em minhas mãos 
cada matiz 
cada nuance 
arco-íris. 
Entrelaço os fios 
em doce aquarela 
tecelando desejos 
e suspiros. 
De ponto em ponto 
de cruz em cruz 
bordados de sonhos 
revelam  
suaves tons 
de vida 
que anseia. 
Colcha em mãos 
percorre caminhos 
na afiada ponta 
da agulha 
que permeia 
a direção 
dos ventos. 
Tecelã de estradas 
encruzilhadas 
cruzadas 
amadas 
no vai-e-vem 
das linhas 
do horizonte. 
Noite adentra 
sentada na praça 
Artesã 
de meus próprios 
sonhos. 

IN: OLIVEIRA, Luh. Versos enluarados. Rio de Janeiro: Multifoco, 2012, p. 15-16. 



dom eduardo

lm mudancas













WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia