WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia
shopping jequitiba prefeitura ilheus secom bahia solidaria Neste site
maio 2020
D S T Q Q S S
« abr    
 12
3456789
10111213141516
17181920212223
24252627282930
31  

:: ‘literatura’

OFICINAS DE PROJETOS ITINERANTES PARA O EDITAL CULTURA LIVRE VÃO PERCORRER BAIRROS DE ILHÉUS

A Secretaria da Cultura de Ilhéus promove oficinas itinerantes para divulgar o Edital Cultura Livre. Os trabalhos começam na próxima quarta-feira (21), a partir das 19 horas, na escola municipal de Olivença. Depois, as oficinas seguem para o alto da Conquista, dia 28 deste mês, e posteriormente contemplam os bairros Hernani Sá (4) e Teotônio Vilela (11 de abril). O encerramento está previsto para o dia 14 de abril, no centro da cidade.

 

O secretário da Cultura, Pawlo Cidade, disse que o Edital Cultura Livre irá selecionar propostas que estimulem o desenvolvimento das artes nas suas diversas formas de expressão nos bairros e distritos de Ilhéus. “Esta ação foi definida de acordo com a lei municipal 3.606, de 31 de maio de 2012, sendo priorizadas aquelas oriundas ou realizadas em benefício de populações com menor acesso a produtos culturais e que privilegiem a diversidade cultural. As categorias contempladas nesta primeira chamada são teatro, música, dança, literatura, hip hop, capoeira, circo, artes visuais e audiovisual”, ressaltou.

 

Pawlo Cidade anunciou ainda que o curso consiste na apresentação da política de ação da Secretaria da Cultura e no auxílio ao preenchimento do formulário de inscrição dos projetos. O prêmio no valor de R$ 2.500,00 é destinado a projetos de médio e pequeno porte e não exige comprovação de prestação de contas. Cada proponente só pode participar de uma categoria, com único trabalho.

:: LEIA MAIS »

EDITORA DA UESC LANÇA LIVRO QUE REÚNE MAIS DE MIL MARCHINHAS BRASILEIRAS

LIVRO MARCHINHASA Editus – Editora da UESC e a Editora Via Literarum lançam no próximo dia 25, na Livraria Cultura do Salvador Shopping, às 19 horas, o livro Marchas brasileiras, do pedagogo e historiador soteropolitano Luiz Américo Lisboa Junior.
Cerca de dez anos de pesquisa renderam o mais completo e detalhado inventário já realizado sobre o gênero. Em dois volumes, o autor reúne mais de mil marchinhas produzidas entre 1927 e 1940, período que marca o seu apogeu como produto essencialmente brasileiro e a sua consolidação como grande vetor da cultura popular.
O autor destaca que neste momento a marcha ocupou cerca de 18% da discografia brasileira, marcando presença nos carnavais e principais datas festivas do país, trazendo em suas mensagens o retrato nem sempre despretensioso da vida urbana nacional. Para Américo, as marchas se transformaram em um porta-voz dos anseios e sofrimentos da população, criando uma trilha sonora leve e divertida da história do povo brasileiro.
As letras de canções como Pierrô apaixonado, Cidade maravilhosa,  O teu cabelo não nega, Bola Preta, Estrela Dalva, Casinha Branca e muitas outras chegam agora ao público com comentários e dados históricos contextualizados. Ao final do segundo volume, o leitor ainda tem disponível uma rica discografia, organizada cronologicamente e com as principais informações técnicas sobre as músicas (autores, gravadoras, intérpretes, datas de lançamento e números dos discos).
:: LEIA MAIS »

LIVRO CONTA HISTÓRIA DO BAIRRO DO PONTAL

Livro está em fase final de produção na editora - Foto Divulgação (3)Encontra-se em fase final de produção, na editora, o livro “Pontal, entre o agora e o passado”, produzido pelo aerofotógrafo e cartógrafo José Rezende Mendonça. A produção busca resgatar, e, principalmente, eternizar a história de um dos bairros mais tradicionais do município de Ilhéus.
Na obra, é possível encontrar histórias que vão desde a chegada dos marinheiros, por volta de 1870, até os dias de hoje, passando por histórias sobre os nomes de ruas, praças, casas noturnas e restaurantes, com contos muitas vezes vivenciados pelo próprio autor.
Segundo José Resende, o livro traz uma linguagem popular e simples. “Se eu usasse uma linguagem literária, as pessoas de idade, pessoas comuns que são os principais alvos do livro, poderiam ter dificuldades para entender, por isso uso uma linguagem bem simples, como se eu estivesse conversando com a pessoa, algo bem natural” relata Mendonça. Conforme ressalta o autor, o conteúdo do livro foi produzido através da história oral. “Não existe nenhum outro livro que conte a história do Pontal, então tudo que escrevi foi contado por moradores do bairro, amigos mais velhos, pessoas que trazem a história do Pontal dentro de si” relata.
Este é o terceiro livro que José Rezende publica. Com 42 capítulos, a nova publicação contém histórias lançadas anteriormente, atualizadas e mais detalhadas, além de novos contos sugeridos por leitores das obras anteriores. Também são usadas fotografias, tanto coloridas quanto em preto e branco, para ampliar e ilustrar as informações. “É um acervo de coisas em 392 páginas, com 400 fotografias coloridas e mais de 120 em preto e branco, que contam a história, o lado comercial, folclórico, popular e turístico do Pontal” conclui.

LIVROS DE ESCRITORES SULBAIANOS SERÃO LANÇADOS NA FICC

livroJá está virando tradição a Editora Mondrongo apresentar diversos livros de uma só vez para o público. A estratégia foi adotada desde o início de suas atividades, ainda em 2011. Dessa vez são três livros de prosa, dois romances e um livro de crônicas que serão lançados. O evento acontecerá no dia 06 de fevereiro, quinta-feira, às 19h, na sede da FICC, em Itabuna, e com o importante apoio da entidade.
O leitor vai conhecer o vigor das crônicas de Antônio Lopes reunidas em “Luz sobre a memória”, uma obra enfeixada por muito lirismo e fatos curiosos acontecidos em Buerarema. “Aqueles que ninguém conheceu”, primeiro romance de Ramon de Freitas Ribeiro, se destaca por sua trama intrigante, que tem Itabuna como palco de ações da espionagem nazista em plena Segunda Guerra Mundial. “Efeito cacaos”, romance de Ulisses Góes, é uma obra filiada ao realismo mágico, e tem a incrível história deflagrada com a queda de uma imensa bola de fogo na região cacaueira.
Para Gustavo Felicíssimo, escritor e editor da Mondrongo, esses novos livros demonstram que a literatura sulbaiana continua vigorosa e agregando valor ao panorama literário na Bahia, e porque não, no Brasil.
Já para Roberto José Silva, Presidente da FICC, é muito importante sermos palco do lançamento das referidas obras literárias, pois, a sede da FICC, após ampla reforma ocorrida em 2013, teve realçada sua importância arquitetônica, mas também sua vocação no contexto da visitação, sendo campo de outros eventos também de tamanho valor. A FICC na atual gestão cumpre efetivamente seus estatutos legais, cujo escopo máximo é a promoção da arte e da cultura em nosso município, Itabuna. 

LIVRO SOBRE CAPOEIRA É LANÇADO HOJE EM ILHÉUS

livro pauloO livro “Jogo de discursos: A disputa por hegemonia na tradição da capoeira angola baiana”, de autoria do jornalista e mestre em ciências sociais Paulo Magalhães, será lançado em Ilhéus hoje (07), às 14:00, na Tenda Teatro Popular de Ilhéus, na avenida Soares Lopes.
O lançamento integra as atividades do “III Chamada de Angola – Troca de Experiências e Saberes”. Coordenado pelo Mestre Virgílio, o mais antigo membro da velha guarda da capoeiragem ilheense, iniciado na capoeira angola ainda na década de 40, o evento contará com diversas atividades, com a presença dos mestres Jogo de Dentro e Plínio (coorganizadores do encontro), Bel, Roxinho, Cabello e Tisza.
O lançamento do livro constará de uma palestra do autor, seguida de uma mesa-redonda com participação de todos os mestres presentes. Em seguida, acontecerá na Praça da Catedral a 11ª Roda da Paz, que congrega capoeiristas de diversos estilos e escolas da região.
Além das oficinas de capoeira angola, no domingo acontecerá uma palestra com o prof. Josivaldo Pires de Oliveira, doutor em história social, sobre os processos de resistência e revoltas escravas na região do cacau.
Maiores informações através dos telefones: (71) 8741-1251 / 9273-7765.

LITERATURA SULBAIANA INSPIRA EVENTO EM OURO PRETO

Palco do evento.

Palco do evento.

A Casa da Ópera, em Ouro Preto, neste 12 de outubro, de 14 às 16h sediará o lançamento do  Selo Editorial Editora Grapiunear.

A Editora Grapiunear possui uma linha editorial bem definida e orientações para publicação, funcionará ainda como uma consultoria editorial, que terá cursos e eventos literários, e será uma apoiadora do Manifesto Por um País Literário e parceiros de empreendimentos em todo território nacional.

Inspirada e influenciada pelo PROLER, Cátedra da Leitura PUC Rio, FNLIJ, Fundação Casa de Cultura Jorge Amado, Monteiro Lobato e suas bibliotecas de São Paulo e Salvador, Biblioteca Pública Municipal Infantil e Juvenil de Belo Horizonte, Fórum das Letras, dentre outros. Temos assim uma editora com projeto de incentivo à leitura e formação de escritores.

Na programação do dia 12 constam Palestra “Como e por que ler a Literatura Grapiúna” (inédita) e exibições de curtas inspirados nos contos da região grapiúna e publicados pela Editus – Editora da UESC, resultado do Projeto Chocolate com Letras (inédito), além de outras atrações.



dom eduardo

lm mudancas













WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia