WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia
Neste site
novembro 2019
D S T Q Q S S
« out    
 12
3456789
10111213141516
17181920212223
24252627282930

:: ‘Geddel’

ELEIÇÕES NA BAHIA: O CARLISTA PAULO SOUTO SERÁ O CANDIDATO DA OPOSIÇÃO

Lançado à vida política no seio do carlismo, Paulo Souto concorrerá mais uma vez ao posto de governador da Bahia.

Parido politicamente no seio do carlismo, Paulo Souto concorrerá mais uma vez ao posto de governador da Bahia.

Após muita indecisão, especulações e expectativa, enfim o martelo foi batido. O ex-governador Paulo Souto (DEM), será o candidato da oposição para o governo da Bahia.
Sendo assim, o ex-ministro Geddel Veira Lima (PMDB), após esboçar insatisfação, se contentou em concorrer a uma vaga ao senado.
A surpresa, segundo analistas políticos, é no nome escolhido para ser o vice de Souto, o ex-deputado Joaci Góes.

COM SEDE INSACIÁVEL DE CARGOS, PP PODERÁ COMPOR CHAPA DE OPOSIÇÃO PARA GOVERNADOR DA BAHIA

O deputado federal Mário Negromonte (PP) e o pré-candidato a governador da Bahia, Geddel Vieira Lima (PMDB), se reuniram para, supostamente, selar o pato.

O deputado federal Mário Negromonte (PP) e o pré-candidato a governador da Bahia, Geddel Vieira Lima (PMDB), se reuniram para, supostamente, selar o pacto.

Não é novidade nenhuma que o PP é um partido adesista e desprovido de ideologia. Seja lá quem for que estiver no comando, eles estarão lá, como espécies de sanguessugas, parasitando cargos e indicações, para colher as consequentes benesses políticas.
Orgulham-se do passado carlista e, mesmo compondo (até segunda ordem) as fileiras da base de sustentação do governador Jaques Wagner e da presidente Dilma, não fazem questão de esconder que são espécies de estranhos no ninho.
Prova disso é a postura dos militantes progressistas de Ilhéus, por exemplo, que, mesmo mamando nas tetas do estado, através de cargos dados pelo PT, não pestanejam em exalar o seu esquizofrênico anti-petismo a qualquer custo.
Segundo informações do site Bahia Notícias, interlocutores do PMDB “confidenciaram” que o pré-candidato à governador Geddel Vieira Lima, e o seu irmão, o deputado estadual Lúcio, teriam se reunido com o deputado federal Mário Negromonte (PP) e o atual presidente dos progressistas na Bahia, o deputado estadual João Leão, para tratar de um possível pacto entr as duas legendas na eleição para governador do estado.
Além disso, de acordo com o site, nessa quinta (20), ocorreu outro encontro entre Geddel e Negromonte.
O Bahia Notícias ressalta que a desavença dos pepistas com Wagner teria duas provas: A ausência dos parceiros no encontro feito com integrantes da bancada da maioria na Assembleia Legislativa para discutir a Proposta de Emenda à Constituição e a briga que o partido tem travado internamente no Palácio de Ondina para ocupar mais espaços.
O site confirmou que, de fato, o PP tenta mudar o comando do Detran, atualmente sob a batuta do major Maurício Botelho, e reaver a Companhia de Desenvolvimento Regional (CAR), cujo titular, Vivaldo Mendonça, é indicado do deputado federal Luiz Argolo, que migrou para o Solidariedade no ano passado.
Haja fome.

OPOSIÇÃO DEFINE CANDIDATO NA BAHIA ATÉ DIA 31

BAHIA 247
oposiçãoEmbora pregue ‘tranquilidade’ e defenda anúncio do candidato que encabeçará a possível chapa única dos opositors ao governo do estado apenas depois do Carnaval, em março, o prefeito ACM Neto (DEM) já está se convencendo de que também não pode demorar muito para que os partidos se definam por que o bloco do governo já está na rua com escolha do petista Rui Costa para dispuar a sucessão de Jaques Wagner.
Vice-líder do PMDB na Câmara, o deputado Lúcio Vieira Lima afirma em nota na coluna Poder Online, do portal iG, que decisão da oposição deve ser conhecida até o próximo dia 31. “O compromisso é que a gente tenha até o final de janeiro a decisão interna sobre o nome”.
Condutor do processo, cabe a ACM Neto escolher o cabeça de chapa entre o peemedebista Geddel Vieira Lima e o ex-governador Paulo Souto, do DEM.
Com Geddel, ACM tem de pé promessa de lhe retribuir apoio do PMDB no segundo turno da disputa pela Prefeitura de Salvador em 2012.
Já com Paulo Souto, o prefeito é motivado pelas pesquisas de intenção de voto, que apontam o ex-governador empatado com Geddel na primeira posição.
Favorece Paulo Souto ainda o clamor do PSDB, que pretende lançar como vice João Gualberto, empresário e ex-prefeito do município de Mata de São João. Os tucanos não confia 100% na aliança com o PMDB.
Os principais partidos de oposição ao governador baiano Jaques Wagner (PT) definiram o cronograma para a escolha do candidato que deverá enfrentar o PT na corrida eleitoral deste ano.
“O compromisso é que a gente tenha até o final de janeiro a decisão interna sobre o nome”, disse o deputado Lúcio Vieira Lima (PMDB-BA).
Os dois nomes mais fortes nesta disputa são de Paulo Souto (DEM) e do irmão de Lima, Geddel Vieira Lima (PMDB).
Vai rachar?
Não é descartada a possibilidade de os opositores se dividirem em mais de uma chapa para enfrentar o PT. Pelo menos é o que Geddel deixa claro. Embora cresçam especulações de que ele seria candidato ao Senado na chapa possivelmente encabeçada por Paulo Souto, peemedebista é categórico: “Ou saio candidato a governador ou não saio candidato a nada”.

GEDDEL CANDIDATO AO SENADO?

gedel (1)Em cenário muito pouco provável, o secretário nacional do PMDB e presidente do partido na Bahia, Geddel Vieira Lima, seria candidato ao Senado na chapa da oposição encabeçada pela possível candidatura do ex-governador Paulo Souto, do DEM.
A informação é do jornal Correio Braziliense.
“É cada vez mais forte a certeza de que o ex-governador Paulo Souto, do DEM, concorrerá ao governo estadual contra o PT este ano”, escreve Denise. Ainda de acordo com a jornalista, “ao PSDB caberia a vice, mas o tema ainda está em aberto”.
Apesar da segurança nas afirmativas de Rothenburg, cenário desenhado por ela é bem improvável. Primeiro porque Geddel não aceitaria adiar seu projeto de disputar o governo da Bahia contra o PT de novo.
E segundo porque ACM Neto, também muito dificilmente quebraria acordo feito com o PMDB em 2012, quando ele se elegeu prefeito com apoio de Geddel e prometeu apoio do DEM à sua candidatura em outubro próximo. Mas como em política não há cálculo exato, a jornalista pode estar correta. É aguardar para ver.

GEDDEL, O “PAPAGAIO DE PIRATA” DE ACM NETO

acm neto e geddel (2)
Isso é o que afirma a coluna Raio Laser.
Segundo a publicação, o peemedebista Geddel Vieira Lima, que acalenta o sonho de ser o candidato das oposições ao governo da Bahia, obsessivamente quer aparecer ao lado do prefeito de Salvador em todo e qualquer evento.
Tal estratégia, é claro, visa pongar na popularidade do herdeiro do carlismo no estado.
Basta saber se Neto vai mesmo querer trilhar ao lado daquele que até outro dia era apelidado carinhosamente de ACM do Paraguai.
2014, em matéria de articulações políticas visando as eleições, promete muito.

TCHAU GEDDEL!

BAHIA NOTÍCIAS
gedel (1)
A exoneração de Geddel Vieira Lima do cargo de vice-presidente de Pessoa Jurídica da Caixa Econômica Federal foi publicada na edição desta sexta-feira (27) do Diário Oficial da União, um dia depois do peemedebista cobrar mais uma vez sua demissão, desta vez em seu perfil no Twitter.
Ontem (26), o pré-candidato do PMDB ao governo da Bahia resolveu apelar para correligionários: disse ter feito um “apelo dramático” ao presidente da Câmara, o deputado Henrique Eduardo Alves, e recorreu também ao senador Roberto Requião, a quem pediu para “cobrar” a demissão.
“Mais vale um diretor da Caixa na mão do que um Geddel candidato na Bahia”, respondeu o senador, ainda pelo microblog.
Não satisfeito, o “governadorável” baiano repetiu o pedido, desta vez direcionado à própria presidente Dilma Rousseff.
“Cara Presidenta Dilma, por gentileza, determine publicação de minha exoneração […] cujo pedido já se encontra nas mãos de V. Excia”, escreveu.

PRESIDENTE DA BAMIN E GEDDEL VIRAM CIDADÃOS ILHEENSES

Viveiros e Geddel.

Viveiros e Geddel.

A presidência da câmara de vereadores de Ilhéus assinou resoluções que concedem títulos de cidadão ilheense para cerca de vinte pessoas. As indicações foram feitas pelos próprios parlamentares.
Na lista dos novos ilheenses, estão o presidente da Bahia Mineração, Francisco Viveiros, o pré-candidato a governador, Geddel Vieira, o procurador federal Israel Nunes e o deputado estadual Rosemberg Pinto.
Também serão homenageados com o título a mãe do ex-prefeito de Itabuna, Capitão Azevedo, a professora Jardelina Leal, e o professor Soane Nazaré. A lista completa você confere ao clicar aqui.

“ESTAMOS TÃO UNIDOS QUE NOSSAS MULHERES ESTÃO COM CIÚMES”, AFIRMA GEDDEL SOBRE A OPOSIÇÃO NA BAHIA

geddel
Segundo a coluna Raio Laser, o ex-ministro Geddel Vieira Lima, pré-candidato do PMDB ao governo do Estado, disse ontem que o clima de união entre os líderes da oposição tem sido tão grande que as esposas dos líderes partidários estão até com ciúmes. 
“As mulheres de todos estão com ciúmes de tanto que nos falamos. Falo por telefone com ACM Neto, Paulo Souto, Jutahy quase todos os dias”, disse o peemedebista.

MUI AMIGO: GEDDEL FAZ PROPAGANDA DE ADVERSÁRIOS DE DILMA

TRIBUNA
gedelMinistro do governo Lula, o vice-presidente da Caixa, Geddel Vieira Lima, gravou quatro inserções comerciais para o rádio e a TV na Bahia que exaltam o governo de possíveis adversários da presidente Dilma Rousseff em 2014 e criaram saia justa nas relações entre o PT e seu PMDB, aliados no plano nacional.
Nas peças, para atacar o governador petista Jaques Wagner, Geddel exalta feitos do governo de Minas Gerais, comandado pelo hoje senador Aécio Neves (PSDB) entre 2003 e 2010, e Pernambuco, governado por Eduardo Campos (PSB). Também aparece com destaque o governo do Paraná, também sob gestão tucana, de Beto Richa. 
Geddel lidera o PMDB baiano e é pré-candidato ao governo estadual, cargo para o qual já concorreu em 2010, quando rompeu com Wagner, perdeu a eleição e passou a fazer oposição localmente. São quatro as propagandas, cada uma com 30 segundos. 
“Enquanto os alunos da rede estadual da Bahia sofrem com escolas maltratadas, greve de professores e evasão escolar, Minas Gerais implantou a melhor escola pública do país”, diz o ministro da Integração Nacional de Luiz Inácio Lula da Silva entre 2007 e 2010. 
O discurso segue o mesmo estilo ao tratar da saúde, comparada à do Paraná do tucano Beto Richa, assim como os temas da segurança e da indústria, em que Pernambuco é usado como referência. 
Nesses momentos, surgem música de fundo, imagens com tons fortes e em câmera lenta, em contraposição às cenas da Bahia, que não têm fundo musical e nas quais as imagens surgem com tons mais “apagados”. 
Procurado, Geddel diz que todos podem ver a publicidade da maneira que entenderem. “É um direito de cada um. Não estou preocupado com interpretações de políticos. Eu quero é que o povo veja aquilo lá”. O objetivo, segundo ele, é mostrar que outros estados conseguem resolver problemas que considera graves na Bahia. “Só isso”, afirma. 
Questionado sobre a ausência de casos do PMDB, Geddel se esquiva: “O Rio de Janeiro é um governo a que, nesse momento, não estou querendo me comparar”. Após os protestos de junho, o governador fluminense, Sérgio Cabral, obteve o menor índice de aprovação em seis anos e meio de sua gestão, de acordo com o Datafolha: 25%. 
O partido ainda comanda Maranhão, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul e Rondônia. 
Para o presidente do PT baiano, Jonas Paulo, o foco de Geddel deveria ser os Estados de sua sigla, “que não são nenhum exemplo a ser seguido”. “Acho que ele continua funcionando como um auxiliar da oposição demo-tucana ao governo federal, do qual ele participa”, diz.

GEDDEL É INVESTIGADO POR USO POLÍTICO DE VERBAS

ESTADÃO
geddellUma investigação da Controladoria-Geral da União (CGU) aponta o uso de recursos do governo federal para favorecer interesses políticos do ex-ministro da Integração Nacional e atual vice-presidente da Caixa Econômica Federal (CEF), Geddel Vieira Lima (PMDB), na Bahia.
Em depoimento, um dos responsáveis pela Secretaria Nacional de Defesa Civil na gestão do peemedebista contou que a ajuda humanitária só foi enviada a municípios baianos em 2008 por causa da “rivalidade política” entre Geddel e o governador do Estado, Jaques Wagner (PT), mesmo contrariando normas do órgão. Os dois disputariam eleições em 2010.
As declarações constam de processo disciplinar aberto pela CGU para apurar irregularidades na compra, ao custo de R$ 61,5 milhões, de produtos de socorro às vítimas das chuvas. O órgão puniu três servidores subordinados a Geddel na época – o ex-secretário Nacional de Defesa Civil Roberto Guimarães, o ex-diretor do Departamento de Minimização de Desastres Marcos Antônio Moreira e o então coordenador-geral do departamento, Sérgio José Bezerra, por suposta lesão aos cofres públicos. O peemedebista não foi investigado.
Segundo a CGU, as prefeituras de Salvador e Simões Filho receberam o material mesmo sem cumprir exigências. Ouvido, Bezerra explicou que a ordem para o envio foi política.
“O ministro tinha uma intriga política com o governador”, disse ao Estado. “Foi política (a motivação).” Geddel negou direcionamento de recursos à Bahia por critério político e disse não conhecer Bezerra. Os servidores negam irregularidades.

cristina frey

dom eduardo

lm mudancas













WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia