WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia
Neste site
dezembro 2019
D S T Q Q S S
« nov    
1234567
891011121314
15161718192021
22232425262728
293031  

:: ‘fiol’

DEPUTADO COBRA EXPLICAÇÕES DA VALEC SOBRE FECHAMENTO DE ESCRITÓRIO EM ILHÉUS

A previsão de conclusão das obras da FIOL 1 (Ilhéus/ Caetité) é para o segundo semestre de 2018.

O deputado estadual Heber Santana (PSC), disse considerar estranha a decisão anunciada da Valec de fechar o escritório regional em Ilhéus e transferir as atividades para a unidade em Jequié, no sudoeste baiano.

Empresa pública vinculada ao Ministério dos Transportes, a Valec, responsável pela construção da Ferrovia de Integração Oeste-Leste (Fiol), alega redução de custos para adotar a medida. “O estranho é que, conforme divulgado pela mídia de Ilhéus, o trecho da ferrovia entre Jequié e Tanhaçu está com quase 90% da obras concluídas, enquanto no trecho Barra do Rocha/Ilhéus só 36% do projeto está concluído”, pontua Heber Santana.

Heber Santana disse esperar que o governo do Estado se posicione diante do governo federal para que a região de Ilhéus não seja prejudicada, uma fez que a economia da região sofrerá prejuízos com o fechamento do escritório e redução das obras, e consequente desempregos. O deputado lembra que a Fiol, que ligará Figueirópolis, no Tocantins, à Ilhéus, na Bahia, é vital para o escoamento da produção de grãos e minério do Oeste, possibilitando o desenvolvimento da agropecuária ao longo do trecho baiano.

De acordo com o site da Valec, a previsão de conclusão das obras da Fiol no trecho Ilhéus/ Caetité é para o segundo semestre de 2018.

OPERÁRIOS DA FIOL ENTRAM EM GREVE

Canteiro fechado. Foto: Lay Amorim/Brumado Notícias.

Canteiro fechado. Foto: Lay Amorim/Brumado Notícias.

Trabalhadores que constroem o trecho da Ferrovia Oeste-Leste em Brumado paralisaram as obras nesta quarta (02). O acesso ao canteiro de obras foi fechado pelo sindicato que representa os operários.
Os sindicalistas reivindicam o pagamento retroativo de cestas básicas, café da manhã e vale transporte aos trabalhadores.
A construção da Fiol, que terá fim no Porto Sul, em Ilhéus, já está atrasada, devido a paralisações solicitadas pelo Tribunal de Contas da União, que viu problemas como o superfaturamento na compra de material para a obra.

OBRAS DA FIOL ACUMULAM 400 DEMISSÕES EM UM MÊS

A empresa Andrade Gutierrez, responsável pelas obras no lote IV da Ferrovia Oeste Leste (Fiol), demitiu, só na última semana de outubro, 400 trabalhadores da fábrica de dormentes.
Segundo o site Brumado Notícias, a empresa alegou que o a cota de fabricação foi atingida e, por isso, não há como manter os funcionários.
Alguns trabalhadores, a minoria, foram transferidos para outras regiões, mas a maioria foi dispensada.
Uma audiência pública da Fiol está marcada para o próximo dia 21 de novembro, na Câmara de Vereadores. Na oportunidade, as demissões serão debatidas pelos parlamentares. 

TCU RECOMENDA A PARALISAÇÃO DAS OBRAS DA FIOL

fiol-1O Tribunal de Contas da União (TCU) aprovou, na quarta-feira (6), relatório que recomenda ao Congresso a paralisação de 7 obras executadas com recursos do governo federal devido a irregularidades graves encontradas.
As informações constam do Fiscobras de 2013, relatório que consolida as fiscalizações realizadas por técnicos do tribunal nas principais obras públicas por determinação da Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO). 

Entre as sete obras que o tribunal recomenda a paralisação estão a Ferrovia de Integração Oeste-Leste (Fiol), entre Caetité e Ilhéus. A linha férrea será usada, principalmente, para transportar minério de ferro até o Porto Sul, em Ilhéus. A construção é de responsabilidade da União e têm custo estimado em cerca de R$ 2,5 bilhões.

Segundo o G1, nas duas obras foram encontradas irregularidades como projeto básico deficiente e sobrepreço nos serviços contratados e insumos adquiridos.
Apesar das constatações, o relatório ressalta que o TCU apenas faz as recomendações, cabe ao Congresso acatá-las ou não.

TCU LIBERA NOVO LOTE DA FIOL

fiolO Tribunal de Contas da União (TCU), em sessão plenária realizada ontem (quarta, 02), liberou a execução das obras no lote 5 da ferrovia de Integração Oeste Leste (Fiol), na Bahia. O trecho de 162 km vai do município de Caetité à ponte do Rio São Francisco.
Os demais lotes da Fiol, entre as cidades de Ilhéus, no sul do estado, e Caetité, no sudoeste já estão em construção. Segundo o G1, o trecho completo tem 573 km.
O plano do governo é fazer com que a Fiol interligue os centros produtores de minério do interior da Bahia e produtores de grãos localizados na região Oeste daquele Estado. A malha ligaria um futuro porto na região de Ilhéus até a Ferrovia Norte-Sul, no Tocantins. Ao todo, o projeto tem 1.527 km de extensão e envolve investimentos estimados em R$ 7,43 bilhões até 2014.

cristina frey

dom eduardo

lm mudancas













WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia