WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia
Neste site
janeiro 2020
D S T Q Q S S
« dez    
 1234
567891011
12131415161718
19202122232425
262728293031  

:: ‘FICC’

LIVROS DE ESCRITORES SULBAIANOS SERÃO LANÇADOS NA FICC

livroJá está virando tradição a Editora Mondrongo apresentar diversos livros de uma só vez para o público. A estratégia foi adotada desde o início de suas atividades, ainda em 2011. Dessa vez são três livros de prosa, dois romances e um livro de crônicas que serão lançados. O evento acontecerá no dia 06 de fevereiro, quinta-feira, às 19h, na sede da FICC, em Itabuna, e com o importante apoio da entidade.
O leitor vai conhecer o vigor das crônicas de Antônio Lopes reunidas em “Luz sobre a memória”, uma obra enfeixada por muito lirismo e fatos curiosos acontecidos em Buerarema. “Aqueles que ninguém conheceu”, primeiro romance de Ramon de Freitas Ribeiro, se destaca por sua trama intrigante, que tem Itabuna como palco de ações da espionagem nazista em plena Segunda Guerra Mundial. “Efeito cacaos”, romance de Ulisses Góes, é uma obra filiada ao realismo mágico, e tem a incrível história deflagrada com a queda de uma imensa bola de fogo na região cacaueira.
Para Gustavo Felicíssimo, escritor e editor da Mondrongo, esses novos livros demonstram que a literatura sulbaiana continua vigorosa e agregando valor ao panorama literário na Bahia, e porque não, no Brasil.
Já para Roberto José Silva, Presidente da FICC, é muito importante sermos palco do lançamento das referidas obras literárias, pois, a sede da FICC, após ampla reforma ocorrida em 2013, teve realçada sua importância arquitetônica, mas também sua vocação no contexto da visitação, sendo campo de outros eventos também de tamanho valor. A FICC na atual gestão cumpre efetivamente seus estatutos legais, cujo escopo máximo é a promoção da arte e da cultura em nosso município, Itabuna. 

EXPOSIÇÃO REÚNE IMAGENS DO RIO CACHOEIRA

A exposição “Cachoeira, um olhar em aquarela”, revela o olhar do artista Rafael Pita sobre paisagens locais. Suas telas, poderão ser conferidas e apreciadas no Jequitibá Plaza Shopping até o dia dois de novembro. São imagens atuais da Avenida Beira Rio, além de outros pontos, geralmente envolvendo o Rio Cachoeira, símbolo da cidade e região.
O projeto tem apoio de empresas privadas, da ONG Arte de Viver e da Fundação Itabunense de Cultura e Cidadania (FICC). O Presidente da FICC, professor Roberto José reitera o fortalecimento da arte e da cultura local, pois a ideia, através da referida exposição, é mostrar aos visitantes do shopping Jequitibá as possibilidades da aquarela através do artista plástico Rafael Pita, assim, o resultado é um conjunto bastante harmônico da Itabuna urbana. 
De acordo com o artista, o objetivo é evidenciar a beleza natural que em muitos casos está escondida por trás do descaso e da poluição, ao apresentar pontos conhecidos da cidade, por intermédio de uma representação artística. Pita tem 27 anos e é graduado em Ciências Sociais da UESC, trabalha com artes visuais e educação.A exposição tem agradado a quem transita pelo shopping. O Superintendente da Ceplac Juvenal Maynart ficou admirado com as telas. Ele as classificou como excelentes e de muito bom gosto. “O artista está de parabéns”, concluiu.

CINE FICC EXIBE “BICHO DE SETE CABEÇAS” NESTA TERÇA

bicho de sete cabeçasA partir desta terça-feira, 22, os apreciadores do cinema nacional poderão curtir uma série de sucessos no Cine FICC. O aclamado e premiado “Bicho de 7 cabeças” será o primeiro a ser exibido. O drama, datado de 2000 e dirigido por Laiz Bodanzky, é baseado no livro autobiográfico de Austregésilo Carrano Bueno.
O longa-metragem conta a história Wilson de Souza Neto, vivido por Rodrigo Santoro, que é internado em um hospital psiquiátrico após seu pai descobrir um cigarro de maconha em seu casaco. Lá, Neto é submetido a situações abusivas. O filme, além de abordar a questão dos abusos feitos pelos hospitais psiquiátricos, também aborda a questão das drogas e a relação entre pai e filho.
O filme abriu portas para uma nova maneira de pensar sobre as instituições psiquiátricas no Brasil, e em torno disso, foi aprovada pelo Congresso Nacional uma lei que proíbe a construção dessas instituições. O elenco de Bicho de Sete Cabeças, foi premiado em vários festivais. Seus atores e atrizes receberam prêmios de “Melhor Ator”, para Rodrigo Santoro, que fazia seu primeiro longa-metragem, “Melhor Atriz” para Cássia Kiss e “Melhor Ator Coadjuvante” para Gero Camilo e Othon Bastos.
A exibição começa às 19 horas, na Sala de Cinema da FICC, na Praça Laura Conceição, 339 (Praça da Catedral), no Centro. A entrada é franca e a pipoca é grátis.

TEATRO COLABORATIVO INCENTIVA CRIANÇAS DE ITABUNA

Tacila e as crianças do projeto.

Tacila e as crianças do projeto.

A Fundação Itabunense de Cultura e Cidadania (Ficc) vem intensificando as ações do Programa de Arte e Cidadania (PAC), que se propõe a formar jovens agentes multiplicadores. Somente na área de teatro, a Ficc executa seis cursos em bairros de Itabuna como Mangabinha, Sarinha, Santo Antônio dentre outros. Um deles está sendo realizado no Lar Fabiano de Cristo no bairro Jardim Primavera e ministrado pela jovem atriz Tacila Sousa, já apresentando bons resultados como os demais.
Tacila explica que aplica o teatro colaborativo como meio de trabalho, pois essa modalidade de ensino valoriza a contribuição de todos na construção da metodologia de aula, bem como na montagem de espetáculos.
Quem participa dos cursos, avalia-os positivamente em todos os aspectos. É o caso da estudante Eveline Gonçalves de 15 anos. Ela participa desde a primeira aula e comenta que desde criança sonha em ser atriz e viu no curso uma grande oportunidade de aperfeiçoar suas técnicas e habilidades artísticas. “Está valendo a pena, perdi minha timidez, melhorei meu jeito de ser e de me portar”, pontuou.
As aulas de teatro no Lar Fabiano de Cristo são às quartas-feiras, a partir das 15:30 e às quintas-feiras às 14 horas. Outras turmas estão sendo ministradas, na escola de capoeira Cordão de Ouro, na rua Rui Barbosa, 530-A as quartas e sextas-feiras, às 9 horas, e no Salão Paroquial da Igreja Maria Goretti todas as quartas, a partir das 16 horas.As inscrições podem ser feitas no local, ou na sede da Ficc, na Praça Laura Conceição, 339 (Praça da Catedral), no Centro.

ITABUNA TEM CINEMA COM PIPOCA NA FAIXA

Cena do filme.

Cena do filme.

Pois, Itabuna não tem cinema comercial, mas não é por isso que você não pode desfrutar da sétima arte sem sair da cidade. A Fundação Cultura de Itabuna (FICC) apresenta, nesta terça (17), mais uma sessão de cinema gratuita e, para completar, com pipoca de graça.
Na telona, a fundação traz hoje a comédia dramática “O Cozinheiro, o Ladrão, Sua Mulher e o Amante”. O filme conta com um interessante roteiro e impecável direção de Peter Greenaway.
Conta a estória de um grosseiro e extravagante gângster, brilhantemente interpretado por Michael Gambon. Ele, ao lado de sua educada esposa Georgina estrelado por Helen Mirren, janta todas as noites em um restaurante em companhia de seus capangas.
A exibição começa às 19h, na Sede da Fundação Itabunense de Cultura e Cidadania (FICC), na Praça Laura Conceição, 339, no Centro.

CURSO GRATUITO NA FICC DE ITABUNA

A Fundação Itabunense de Cultura e Cidadania (FICC) abriu inscrições para os cursos de “Dança, Violão, Teatro, Contação de História, Artes Digitais e Cinema”, no programa Agente de Cultura e Cidadania.
Os interessados devem comparecer a sede da instituição, situada a Praça Laura Conceição, 339 no Centro. Maiores informações por meio do telefone 73 3613-4915 ou pelo site www.ficc.com.br.

FICC CONSTATA IRREGULARIDADES DE IMÓVEL EM FERRADAS

predio irregularA Fundação Itabunense de Cultura e Cidadania (FICC) prossegue com o diagnóstico cultural na cidade para inventariar os equipamentos culturais disponíveis. Em uma das pesquisas de campo, uma equipe do projeto, acompanhada do Presidente Roberto José da Silva, constatou diversas irregularidades em um imóvel situado no bairro Ferradas, perto da Casa Jorge Amado.
O imóvel tem como procurador o Senhor Jorge Aloísio Ribeiro Sodré. O contrato de aluguel foi feito em nome da Fundação Cultural no ano 2000 e era renovado anualmente, porém sem reajustes em 13 anos. Ainda mais grave que a falta de reajuste é o desrespeito com o qual o patrimônio cultural do espaço era tratado. O imóvel está há mais de dois anos inoperante, ainda assim os alugueis foram pagos normalmente até outubro do ano passado pela gestão anterior. Os diversos documentos e equipamentos tombados da Prefeitura de Itabuna estão em péssimo estado de conservação, muitos irrecuperáveis.
Parte da promessa de gestão do presidente da  FICC É ocupar os espaços da cultura, tomando providências cabíveis, como denuncia ao Ministério Público e encaminhamento. Como exemplo, o que foi feito com o Programa Ótico para a Infância (POPAI), que até dezembro de 2012 era gerido irregularmente pela FICC, incluindo pagamento de alguns funcionários, compras de móveis e aluguel do imóvel.
Segundo o Presidente DA FICC, Professor Roberto José da Silva, “mapear os espaços culturais da cidade nos dará condições de entender as necessidades da cidade no âmbito da cultura e saná-la numa ação plenamente democrática e cidadã”

BANDA DENUNCIA DESCASO E DESRESPEITO DA FICC COM ARTISTAS LOCAIS

Mendigo Blues.

Mendigo Blues.

A situação plenamente lamentável se sucedeu essa semana com a banda do eixo Itabuna-Ilhéus, Mendigos Blues, durante o Festival Firmino Rocha em Itabuna.
Através de uma nota de esclarecimento, os integrantes da banda denunciaram que foram desrespeitados e desmerecidos pela organização do festival, a Fundação Itabunense de Arte e Cidadania (FICC).
Os músicos afirmam que em nenhum momento a produção do evento informou os detalhes da programação, por exemplo, o horário da apresentação deles. Para terem essa informação, os integrantes da banda foram obrigados a entrar em contato com os produtores. Algo, diga-se de passagem, totalmente absurdo em se tratando de um evento artístico.
A banda afirma que, após divulgarem a sua apresentação durante toda a semana, em cima da hora foram informados que teriam que antecipar o show e que a duração tinha sido diminuída para bem menos da metade do que foi acordado com a produção, que passou por cima do que foi designado no edital. No final das contas, o tempo disponível só deu para eles tocarem três músicas. Para a frustação das muitas pessoas que se deslocaram até de outras cidades para ver o show deles.
Tudo isso, segundo os músicos, para privilegiar uma atração tida como principal, de fora da cidade.
Mas o pior ainda estava por vir. Após todos os empecilhos e percalços, a banda, quando subiu ao palco, se deu conta de que a infraestrutura oferecida estava muito aquém do ideal para a realização de um show. Microfones sem funcionar, instrumentos sem a equalização e os técnicos contratados para tal serviço, de braços cruzados e inertes, sem se importar com a situação, que comprometeu seriamente a qualidade da apresentação.
Ao questionarem a situação lastimável, os músicos ouviram dos produtores a clássica expressão: “A porta da rua é serventia da casa”.
Ao se queixarem com o responsável pelo evento, o Sr. Fernando Caldas, ele se esquivou e afirmou não ter nada a ver com a situação.
Bem, se é esse o tratamento que os músicos da terra merecem, as pessoas responsáveis por esse triste episódio, reza o bom senso, não deveriam estar no comando de um órgão público cuja função é apoiar e criar as ferramentas necessárias para que a arte e a cultura local sejam valorizadas.
Que papelão hein FICC.
Clique no Leia Mais e veja a nota de esclarecimento na íntegra.
:: LEIA MAIS »

dom eduardo

lm mudancas













WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia