WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia
Neste site
dezembro 2019
D S T Q Q S S
« nov    
1234567
891011121314
15161718192021
22232425262728
293031  

:: ‘academia de letras de Ilhéus’

RAMAYANA VARGENS TOMA POSSE NA ACADEMIA DE LETRAS DE ILHÉUS

Professor Ramayana Vargens.

Na próxima quarta-feira, 18, às 19h, o professor Ramayana Vargens toma posse na cadeira nº 11 da Academia de Letras de Ilhéus, sucedendo o professor Dorival de Freitas. Filho de tradicional família da região cacaueira – seu avô, João Vargens, foi intendente de Canavieiras e, mais tarde, fundador de Camacã – o novo acadêmico, há 30 anos, trabalha como professor e produtor cultural em Ilhéus e outros municípios do sul da Bahia. Ramayana teve ativa participação na imprensa carioca, principalmente no Jornal do Brasil, durante as décadas de 60 e 70. Também no Rio de Janeiro, atuou como produtor e diretor teatral.    

Em Ilhéus, desde 1990, lecionou literatura e língua portuguesa no Instituto Nossa Senhora da Piedade, onde foi coordenador de projetos e responsável pela realização de grandes eventos na escola. Escreveu e dirigiu o espetáculo Cidadão Jesus, apresentado durante a Semana Santa, e organizou as comemorações dos 80 anos de Jorge Amado no INSP (considerada pelo escritor a maior e mais emocionante homenagem que ele recebeu do povo de Ilhéus).

O professor Ramayana dirigiu o grupo de teatro da UESC (onde foi um dos fundadores do NAU – Núcleo de Artes da Universidade) e assinou a remontagem do Auto do Descobrimento, peça de Jorge de Souza Araújo, que fez parte das comemorações oficiais dos 500 anos do descobrimento do Brasil, percorrendo diversos municípios baianos e com apresentação especial no Teatro Nacional de Brasília.

A cadeira número 11 tem Washington Landulfo como patrono e Carlos Ribeiro como seu fundador. O saudoso professor Dorival Freitas foi seu segundo ocupante, que, anteriormente, já havia indicado o nome de Ramayana para a Academia. 

:: LEIA MAIS »

PUXA-SAQUISMO SEM NOÇÃO: JABES HOMENAGEADO NA ACADEMIA DE LETRAS PELO “TRABALHO PERMANENTE DE APOIO À CULTURA”

O sorridente presidente da academia de letras de ILhéus, Josevandro Nascimento, batendo palmas para o grane homenageado, o prefeito JAbes Ribeiro.

O sorridente presidente da academia de letras de Ilhéus, Josevandro Nascimento, batendo palmas para o grande homenageado, o prefeito Jabes Ribeiro.

Pois é caros leitores, não se trata de mais uma piadinha sem noção. O fato afirmado na manchete dessa postagem é real, e foi informado oficialmente pela secretaria de Comunicação da prefeitura de Ilhéus.
Vamos ao trecho que afirma isso: “O presidente da academia de letras de Ilhéus (ALI), Josevandro Nascimento, prestou uma homenagem ao prefeito do município, Jabes Ribeiro, durante a sessão solene realizada na noite da última sexta-feira (14), destacando o permanente apoio prestado à entidade e aos projetos culturais”.
Ficamos a matutar: Será que o nobre professor Josevandro comeu maionese estragada, ou vive numa realidade paralela?
Dentre outros tantos setores, um que se destaca como sendo fruto do pleno descaso do poder público municipal, afirmamos sem pestanejar que é a cultura.
Para começo de conversa, vejamos a situação do teatro municipal de Ilhéus. Fechado há mais de um ano, o espaço, que servia de palco para apresentação não só de espetáculos e artistas de fora, mas, em especial, para os locais, foi fechado no início do ano passado com a justificativa de que seria reformado e, pasmem, até agora, nada foi feito por lá.
Azar dos artistas locais, que já sofriam (e sofrem) com falta de espaços para apresentações na cidade, veem o único que havia, mofar devido ao desuso e descaso da prefeitura.
E a ex-Fundação Cultural? Bem, ela mudou de nome. Agora chama-se secretaria municipal de Cultura. A sua função é fictícia, para não dizer inexistente. Uma vergonha sem precedentes. Nada é feito, nada é promovido, nada é fomentado, nada é incentivado. E, para piorar ainda mais a situação, manifestações populares tradicionais da cidade, a exemplo da Puxada do Mastro de São Sebastião, a Lavagem das escadarias da Catedral e o cortejo das baianas no Dia de Iemanjá, esse ano, foram boicotadas vergonhosamente pela prefeitura.
Aliás, ante tal situação, sugerimos que a pasta responsável pela cultura no município, mais uma vez, seja rebatizada: Secretaria municipal do Nada Cultural.
Se há na cidade alguma movimentação cultural, isso deve-se à iniciativa privada e a projetos financiados pelo governo do estado da Bahia, a exemplo da Tenda Teatro Popular de Ilhéus e o Terreiro Matamba Tombenci Neto.
Tirando isso, transparece que a prefeitura age no intuito de deculturar a população. Desconhecendo que a cultura é, além de um grande alimento da alma, uma importante ferramenta social, na árdua batalha para livrar jovens, crianças e adolescentes, em especial os residentes na periferia, dos tentadores e tortuosos caminhos da marginalidade.
São coisas do jabismo.

ACADEMIA DE LETRAS DE ILHÉUS REALIZA FESTIVAL EM HOMENAGEM À CASTRO ALVES

Castro AlvesCom o objetivo de abrir espaço para que estudantes do ensinos fundamental e médio possam mostrar seus talentos e conhecer a obra do poeta Castro Alves, a Academia de Letras de Ilhéus abre, no próximo sábado (01), inscrição para o I Festival de Poesia Falada.
O evento acontecerá no dia 14 de março (data de nascimento do poeta e quando se comemora o dia Nacional da Poesia) na praça Castro Alves, avenida Soares Lopes, a partir das 17h. 
No ato da inscrição, que vai até o dia 10 de março, o participante deve indicar a forma com a qual irá declamar a poesia – através do teatro, música, leitura dramática, jogral ou outro meio artístico – que deve ter o mínimo de três minutos e o máximo de sete e ser gravados em uma mídia portátil (CD ou DVD).
Cada candidato pode inscrever apenas uma poesia do poeta Castro Alves.
Os envelopes fechados contendo a ficha de inscrição (obtida na sede da Academia) e o CD ou DVD com a produção do estudante, devem ser entregues na sede da Academia de Letras, situada na rua Antônio Lavigne de Lemos, 39, Centro, das 14 às 17:30h. Informações adicionais podem ser obtidas pelos telefones (7) 3231-1612, 8831-2555 e 9998-2555, ou pelo e-mail: academiadeletrasdeilheus@gmail.com.
Serão classificados 15 trabalhos para declamação durante o I Festival de Poesia Falada. A comissão julgadora será formada por membros da Academia de Letras de Ilhéus e da Associação Comunidade Tia Marita (que atua em consultoria & projetos e culturais), com conhecimentos em língua portuguesa, teatro e música.
Premiação – Serão premiados os três melhores trabalhos, que ganharão um vale compra e kit de livros, e o quarto  quinto colocados com kits de livros.

DOCUMENTÁRIO SOBRE ADONIAS FILHO NA ACADEMIA DE LETRAS DE ILHÉUS

Natural de Itajuípe, Adonias Filho é considerado por muitos como um dos maiores escritores baianos.

Natural de Itajuípe, Adonias Filho é considerado um dos maiores escritores baianos.

Na quinta-feira (28), haverá a exibição do documentário “Adonias Filho: Memórias e Ficção”, a partir das 19h, na sede da Academia de Letras de Ilhéus.
A produção, em formato curta-metragem, tem duração de aproximadamente 28 minutos, e foi produzido por Joelson Batista, Rannah Vieira e Simone Santos, a partir de um projeto de Trabalho de Conclusão de Curso (TCC) em Comunicação Social pela Uesc.
O documentário tem como objetivo resgatar a memória e a ficção do escritor através de histórias contadas por quem conviveu e conhece a vida e a sua obra. Entre os entrevistados estão seus filhos Adonias Neto e Raquel Aguiar, Lêdo Ivo, escritor falecido no ano passado que era amigo de Adonias Filho, o escritor Jorge Araújo, entre outros.
Após a exbição do filme haverá bate-papo, coquetel e distribuição do DVD.

cristina frey

dom eduardo

lm mudancas













WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia