WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia
prefeitura ilheus nota premiada shopping jequitiba

https://www.AUTO-doc.PT



janeiro 2019
D S T Q Q S S
« dez    
 12345
6789101112
13141516171819
20212223242526
2728293031  

curso preparatorio pm




SECRETÁRIO DE TURISMO DE ILHÉUS AGRIDE EX-FUNCIONÁRIO DA CÂMARA

Zito e as marcas deixadas por Alcides. Foto: Ilhéus 24h.

Zico e as marcas deixadas por Alcides. Foto: Ilhéus 24h.

Hoje a tarde, durante manifestação de pequenos produtores da região de Olivença, em frente à prefeitura, o ex-funcionário da câmara de Ilhéus, conhecido por Zico, foi agredido pelo secretário municipal de Turismo, Alcides Kruschewsky.
Segundo a vítima da agressão, ele e mais um grupo de pessoas reclamavam que, enquanto a prefeitura faz festa, a saúde e a educação seguem entregues as traças.
Nesse momento, o citado secretário teria se descontrolado e partiu para as vias de fato, o espancando.
Tentamos contato com Alcides, mas o mesmo se trancou no gabinete da prefeitura e não quis falar com a nossa equipe de reportagem.

A CAIXA PRETA DO TRANSPORTE DE ILHÉUS

As empresas (Viametro e São Miguel) devem ter uma cópia do contrato.

As empresas (Viametro e São Miguel) devem ter uma cópia do contrato.

Vereador conta que foi ao setor de transporte e trânsito da prefeitura de Ilhéus há três semanas. A missão: ter acesso a uma cópia do contrato de concessão do transporte coletivo.
Crente de que voltaria com o documento, o parlamentar foi só decepção.
Ao pedir a cópia, ouviu do diretor, um antigo agente de trânsito promovido por Jabes, que o contrato havia sumido. O diretor logo tratou de jogar a culpa no governo Newton Lima e dizer que logo menos o vereador receberia o documento.
Quase um mês já se foi e nem sinal do contrato.

REFORMA DE PRAÇAS POR EMPRESAS PRIVADAS: O QUE HÁ POR TRÁS DESSA JOGADA?

Praça São João Batista, no Pontal, será reformada por uma empresa privada.

Praça São João Batista, no Pontal, será reformada por uma empresa privada.

Delegar funções que são obrigação do município à empresas. Bem, como afirmamos por aqui, essas estão sendo as palavras de ordem da desastrosa gestão do prefeito Jabes Ribeiro.
Ah, vale ressaltar, gestão essa considerada por especialistas políticos como a pior da história recente do município.
Como informamos recentemente por aqui, a saúde e a educação pública municipal, caminham a passos largos para serem geridas por empresas terceirizadas. Tudo isso para que, dentre intenções obscuras, sobrem vagas ante o quadro de funcionários municipais e com isso, novas pessoas ligadas ao jabismo possam ser nomeadas.
Dando fim ao esperneio de vereadores situacionistas e partidos aliados.
Pois, ao invés de contratar, quem ficará responsável por isso serão as empresas, aliviando a barra da prefeitura, que já extrapolou a porcentagem permitida por lei, em relação aos gastos orçamentários com o funcionarismo público e cargos comissionados.
Um novo capítulo dessa saga rumo à privatização do município é a tática questionável de entregar a reforma de praças à empresas particulares. Como foi divulgado hoje, em mais uma pérola produzida pela secretaria de Comunicação da prefeitura de Ilhéus.
Em um momento onde os olhos da população se voltam de maneira reprovadora ante o financiamento de campanhas eleitorais por empresas privadas, é para no mínimo questionarmos tais parcerias público-privada.
É só assim? A empresa reforma a praça, coloca lá a sua marca e ponto final? O que eles terão em troca? Aí é que reside toda a problemática da situação.
No caso do financiamento das campanhas, é óbvio que as empresas investem pesado objetivando mais para frente cobrar as devidas benesses.
E nesses casos das reformas privadas das praças? O que é acordado por debaixo do pano?
Por vias da dúvidas seria melhor a prefeitura tratar de cumprir com suas obrigações e não se utilizar da máquina administrativa para jogatinas em benefício do grupo que por ventura esteja no poder.

PORTO SUL: TERMINAIS PRIVADOS SÃO AUTORIZADOS PELO GOVERNO FEDERAL

porto sulOs terminais do complexo Porto Sul, a serem construídos em Ilhéus (BA), constam na lista dos 50 terminais de uso privado autorizados nesta quarta-feira (3) pelo governo federal, durante evento no Palácio do Planalto.
O Terminal de Utilização da Zona de Apoio Logístico, da Sociedade de Propósito Específico (SPE), e o Terminal de Uso Privativo (TUP), da empresa Bahia Mineração (Bamin), são os primeiros terminais privados na Bahia autorizados pela presidente Dilma Rousseff após a nova legislação portuária brasileira – Lei nº. 12.815 de 5 de junho de 2013.
Segundo o Palácio do Planalto, serão R$ 11 bilhões de investimentos privados que vão contribuir para remover os entraves do setor, aumentar a capacidade portuária e elevar a concorrência, com mais eficiência e menor custo logístico. O Porto Sul receberá cerca de 50% desse valor, são R$ 5,6 bilhões de investimentos privados no porto baiano. A inclusão dos terminais do Porto Sul na primeira seleção do governo federal foi comemorada pelo secretário da Casa Civil do Governo da Bahia, Rui Costa. “Fazer parte dessa seleção é fundamental para a Bahia. Com a inclusão dos terminais, temos mais um passo concreto para o novo porto”, disse Rui Costa. Ele também ressaltou que o investimento privado no setor portuário traz celeridade aos projetos e reduz custos. “O Porto Sul será o que receberá o maior montante de investimentos”, afirmou Rui Costa.
De acordo com o secretário, o Governo da Bahia, em consonância à nova legislação, prepara o lançamento do edital de chamamento público que constituirá a SPE. “Estamos finalizando o texto. E vamos escolher as empresas que serão parceiras do Estado no empreendimento”.
A previsão é que até o fim deste ano a construção do porto comece. O Porto Sul movimentará cargas de todos os tipos de granel e cargas em seus diversos acondicionamentos, com estimativa, no 25º ano de funcionamento, de operar 100 milhões de toneladas/ano.

INSCRIÇÕES ABERTAS PARA O FESTIVAL DE CURTAS DO IFBA

Estão abertas até o dia 30 de agosto de 2013 as inscrições de curtas-metragens para a 4ª edição do “Curta 5 – Festival de Curtas do Ifba”.
O evento acontece de 02 a 05 de outubro, em Eunápolis e Ilhéus.
A proposta é a criação de um curta-metragem de no máximo cinco minutos, com o tema livre. O evento é aberto aos estudantes das escolas públicas e privadas.
As inscrições são gratuitas, e podem ser realizadas no IFBA Campus Eunápolis ou pelo correio. Os candidatos interessados devem preencher e enviar o formulário de inscrição preenchido, o DVD devidamente identificado e demais documentos solicitados no regulamento disponível no site www.curta5.com.
É recomendado que os interessados leiam todo o regulamento antes de fazer a inscrição.
Sucesso nas três edições anteriores, o “Curta 5” oferece premiação para categoria Juvenil 1 (estudantes do ensino fundamental II), categoria Juvenil 2 (estudantes do ensino médio) e para a categoria Videoclipe. Os ganhadores serão divulgados na cerimônia de premiação, no dia 05 de outubro.
Uma das novidades para a quarta edição é a abertura do evento que ocorrerá em Ilhéus no dia 02 de outubro, fruto da parceria do Campus Eunápolis com o Campus Ilhéus.
O festival busca encorajar toda a criatividade e liberdade inerentes à produção no formato curta-metragem e busca incentivar e descobrir novos talentos das artes visuais.
Outras informações através da fanpage do festival no Facebook: curta5´ ou através dos e-mail´s: curta5@curta5.com ou junior.smed@ig.com.br.

MP PEDE O FIM DA TELEXFREE. DONOS TENTARAM DESVIAR R$ 88 MILHÕES

IG
Promotora que deu início às investigações pede o fim da pirâmide.

Promotora que deu início às investigações pede o fim da pirâmide.

Assim que os pagamentos aos divulgadores da Telexfree foram bloqueados pela Justiça do Acre , os responsáveis pela empresa tentaram desviar R$ 88 milhões, diz a promotora Alessandra Marques ao iG .
Caso isso tivesse acontecido, esse dinheiro provavelmente não estaria disponível para ressarcir quem entrou no negócio até hoje – entre 450 mil e 600 mil pessoas, estima-se.
A devolução é um dos objetivos da ação civil pública apresentada pelo MP-AC na última sexta-feira (28) ao Tribunal de Justiça do Acre (TJ-AC). O bloqueio temporário, obtido por liminar, também havia sido pedido pelo órgão como forma de evitar os vazamentos.
“Quando a juíza determinou o bloqueio dos recursos, 24 horas depois eles [ responsáveis pela empresa ] conseguiram entrar numa conta e desviar R$ 40 milhões para uma outra conta que não era da Telexfree. Outros R$ 48 milhões foram para outra conta”, diz Alessandra, uma das responsáveis pelo inquérito em que a empresa é acusada de ser uma das maiores pirâmides financeiras do País. As verbas foram recuperadas.
A ação civil pública foi proposta na sexta-feira pelos promotores Nicole Arnoldi, Marco Aurélio Ribeiro e Danilo Lovisaro.
A Telexfree sempre negou qualquer irregularidade . Procurada por meio de seu advogado Horst Fuchs, a Telexfree não comentou a ação civil pública até o momento. Questionado em 25 de junho sobre eventual descumprimento do bloqueio de bens, Fuchs refutou a informação.
Novo julgamento 
Na próxima segunda-feira (8), a 2ª Câmara Cível do Tribunal de Justiça do Acre (TJ-AC) analisa o segundo recurso da empresa contra a decisão. O primeiro foi negado no dia 24 de junho pelo desembargador Samoel Evangelista .
“Se cair a nossa liminar, aí só [ haverá novo bloqueio ] depois do julgamento do mérito da ação, quando não vai ter mais nenhum centavo. Em 24 horas, eles desviaram quase R$ 100 milhões” afirma Alessandra. “ A segurança para os consumidores investidores é que o dinheiro permaneça tutelado pelo Judiciário.”

:: LEIA MAIS »

BURACOS ESPALHAM-SE POR TODA A CIDADE

Buraco na avenida principal da Barrreira leva risco para pedestres e condutores de veículos.

Buraco na avenida principal da Barreira leva risco para pedestres e condutores de veículos. (Foto: Freeza)

O início do governo Newton Lima foi marcado pela política apelidada de “feijão com arroz”. Onde, para quem se lembra, os serviços tidos como básicos foram organizados, e, pelo menos por um tempo, a cidade se viu livre de buracos em suas vias, etc.
Já nesse seis meses da gestão jabista, guardada as devidas diferenças, estamos tendo a oportunidade de constatar que, desde os serviços prioritários, a exemplo da Saúde e Educação, como os mais simples e básicos, estão sendo vergonhosamente negligenciados.
Prova disso é a enxurrada de reclamações que diariamente chegam à nossa redação, denunciando o péssimo estado de conservação das principais vias da cidade.
A última que tivemos notícia foi no bairro da Barreira.
Como é possível constatar na imagem, devido ao descaso da prefeitura, moradores foram obrigados a apregoar um alerta, objetivando evitar que acidentes ocorram no local, já que, com as constantes chuvas que caem na cidade, ele fica perigosamente encoberto pela água.
Cadê a secretaria municipal competente?

PRESIDENTE DA CÂMARA VAI PAGAR POR TER USADO AVIÃO DA FAB PARA LEVAR PARENTES A JOGO DA SELEÇÃO

Presidente da câmara dos deputados usou avião oficial para levar familiares à final da Copa das Confederações.

Presidente da câmara dos deputados usou avião oficial para levar familiares à final da Copa das Confederações.

O presidente da câmara dos deputados, Henrique Eduardo Alves (PMDB/RN), informou hoje que pagará à União os custos da viagem relativos a sete passageiros que foram levados por avião da FAB ao Rio de Janeiro.
Segundo a assessoria do deputado, o mesmo encomendou ao seu próprio gabinete um levantamento de quanto custariam as respectivas passagens de Natal ao Rio de Janeiro, de modo a poder pagar este valor ao Estado.
O parlamentar usou um avião da FAB (Força Aérea Brasileira) para transportar a noiva e parentes até o Rio de Janeiro para assistirem a final da Copa das Confederações no Maracanã, no último domingo.
Foi utilizado um jato C-99, o qual buscou os referidos em Natal/RN, decolando às 19:30h de sexta-feira, rumo ao Rio de Janeiro. O retorno deu-se no domingo, às 23h (após o evento esportivo).

STJ MANTÉM SUSPENSÃO DAS ATIVIDADES DA TELEXFREE

TELEXFREEO Superior Tribunal de Justiça (STJ) manteve nesta terça-feira (2) a suspensão das atividades da empresa Ympactus Comercial, operadora da companhia de telefonia pela internet Telexfree, arbitrada em caráter liminar pela Justiça do Acre. 
A ministra Isabel Gallotti afirmou que o STJ só pode analisar um recurso especial quando as instâncias judiciais locais forem esgotadas.
A Telexfree está com as atividades suspensas desde o último dia 19 de junho, decisão de primeira instância.
A empresa recorreu ao Tribunal de Justiça do Acre (TJ-AC), que manteve a liminar, e ainda determinou o bloqueio de todos os bens e imóveis da empresa, além das contas bancárias e aplicações financeiras.
A ministra do STJ destacou que o TJ-AC ainda precisa analisar um agravo de instrumento ou agravo regimental para dar um parecer final. Só então, a Telexfree poderá apresentar um recurso na Corte Superior.
Gallotti acredita que, ainda que um novo recurso seja apresentado ao STJ, dificilmente ele prosperará, por não poder ser utilizado contra decisões liminares ou de antecipação de tutela.
Além disso, a magistrada pontua que o entendimento de que a empresa pratica um esquema de pirâmide, e não de “marketing multinível”, deverá ser mantido, já que a Corte não poderá reexaminar as provas e as circunstâncias fáticas.
O STJ só pode avaliar questões de Direito, como determina a Súmula 7 do órgão.

CÂMARA APROVA SELO VERDE PARA O CACAU

cacauA Comissão de Constituição e Justiça da Câmara dos Deputados aprovou nesta terça-feira (02), em caráter conclusivo, o Projeto de Lei 3665/2012, que cria o Selo Verde para o Cacau Cabruca e Cacau Amazônia. 
O Selo Verde tem como objetivo atestar que os sistemas de plantio do cacau cabruca e do cacau amazônia conservam a diversidade ecológica, os recursos hídricos, os solos e os ecossistemas de florestas.
“Além de atestar a sustentabilidade e interesse social da cacauicultura brasileira, o Selo Verde permitirá que os agricultores tenham acesso a financiamentos com melhores condições, consigam um valor melhor para o produto e paguem impostos menores, dentre outras vantagens”, comentou Félix Júnior, deputado federal autor do PL.
Os selos terão validade de dois anos e poderão ser renovados indefinidamente, mediante nova avaliação e vistoria do órgão ambiental. As despesas das análises e vistorias para a concessão das certificações serão custeadas pelo cacauicultor, com pagamento de preço público ou tarifa.
O texto segue agora para o Senado, exceto se houver recurso para que seja analisado pelo Plenário da Câmara dos Deputados.

dom eduardo

projetos arquitetonicos











WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia