geraldo simoes
abril 2014
D S T Q Q S S
« mar    
 12345
6789101112
13141516171819
20212223242526
27282930  

:: ‘Dilma Rousseff’

DILMA SANCIONA LEI QUE DIFICULTA FECHAMENTO DE ESCOLAS RURAIS E QUILOMBOLAS

nananana

Nos últimos cinco anos foram fechadas mais de 13 mil escolas rurais.

A presidente Dilma Rousseff sancionou uma norma que dificulta o fechamento de escolas rurais, indígenas e quilombolas.
A decisão foi publicada no Diário Oficial da União, desta sexta-feira (28).
A Lei 12.960, de 27 de março, altera a Lei de Diretrizes e Bases da Educação (LDB) para fazer constar exigência de manifestação de órgão normativo – como os conselhos municipais de Educação – do sistema de ensino para o fechamento desse tipo de escola.
Além disso, estabelece que a comunidade escolar deva ser ouvida e a secretaria de Educação do estado justifique a necessidade de encerramento das atividades.
A autoria do projeto é do Executivo e, ao justificar a proposta, o então ministro da Educação, Aloizio Mercadante, destacou que, nos últimos cinco anos, foram fechadas mais de 13 mil escolas rurais. Disse, ainda, que as decisões tomadas sem consulta causam transtornos à população rural que deixa de ser atendida ou passa a demandar serviços de transporte escolar.

ESTUDANTE DE DIREITO CONVOCA A “MARCHA DA FAMÍLIA” EM ILHÉUS

EDITORIAL | andrei@ilheus24h.com.br
O cartaz oficial da marcha fala por si só. Ao lado, o culto do rapaz à jornalista do SBT.

O cartaz oficial da marcha fala por si só. Ao lado, o culto do rapaz à jornalista do SBT.

Este blog prepara uma cobertura extraordinária para o maior evento de rua das últimas décadas em Ilhéus. Não, não é o carnaval quem está de volta à cidade, mas um pesadelo que alguns desavisados querem fazer retornar aos dias atuais.
Se trata da “Marcha da Família com Deus Pela Liberdade”, que completou 50 anos no último dia 19 e serviu como um verniz de legitimidade ao golpe militar de 1964. O mega evento está marcado para acontecer em Ilhéus, no próximo dia 22, sábado, às 15h, com saída da 18ª Circunscrição Militar, na Rua Rotary, Centro da cidade.
Pra quem tem pouco tempo de vida, como este redator que vos escreve, explico: a marcha foi puxada por esposas de políticos e cidadãos de classe média. Por trás do movimento, setores do empresariado, partidos de oposição, a Igreja e até a CIA arquitetavam tudo, temendo um golpe comunista no Brasil e os avanços em setores sociais. Avanços esses, como a retomada da reforma agrária, tocados pelo então presidente João Goulart. 
Jango, como todos sabem, foi deposto poucos dias depois da marcha, quando iniciava, em 1 de abril de 1964, os 20 anos de ditadura militar no Brasil.
Segundo o pesquisador Luiz Antonio Dias, chefe do Departamento de História da PUC-SP, em entrevista ao Globo, a marcha de 50 anos atrás reuniu 100 mil pessoas pelas ruas de São Paulo e não representava a vontade da maioria dos brasileiros. À época, pesquisas indicavam que 50% da população era favorável ao governo de Jango, contra 30% que o rejeitava.
Cinquenta anos depois, o temor é o mesmo. Longe de oferecer o risco de um golpe comunista, a presidente Dilma Rousseff representa, ainda, o que há de mais avançado no espectro político, principalmente quando se trata de permitir aos mais vulneráveis ocupar melhor espaço na sociedade. E isso assusta muito a elite brasileira.
O cenário passa a ser mais ridículo quando se trata de uma cidade que se tornou significativa por ter passado glorioso dominado por coronéis de cacau de um lado e trabalhadores semi-escravizados colhendo o fruto no pé de outro.
Voltando de vez à nossa pequena realidade, em Ilhéus, a marcha da família [rica] é convocada por um estudante de Direito de uma faculdade particular. Para estudar, o rapaz, de 21 anos, desembolsa cerca de 750 reais de mensalidade. Dinheiro não é problema.
No facebook, dissemina elogios à jornalista Rachel Sherazade, aquela que pediu, em rede nacional de TV, por mais negros amarrados em postes e disse compreender quando isso acontecia. Com a mesma intensidade que ama a jornalista, o puxador da marcha odeia, detesta, tem pavor da presidente Dilma Rousseff.
Em release enviado ao ILHÉUS 24H, o rapaz afirma que a marcha é para “reforçar os valores familiares e demonstrar a insatisfação com as politicas públicas nos âmbitos econômico e social. O governo do PT está destruindo o modelo de família, com o nefasto objetivo de deter o controle sobre uma grande massa de jovens, para a sua perpetuação no poder” encerra. Sobre esse assunto, recomendamos ao estudante ler artigo que fala da redução da pobreza no País nos últimos anos. É só clicar aqui.
Para não restar dúvida do posicionamento político do puxador da marcha, na própria rede social, o jovem estudante de direito de universidade particular se declara de “extrema direita”.
Aí perguntam “é errado ser de direita ou de extrema direita”? E respondemos: Jamais. No entanto, os vinte anos de ditadura nos mostraram que errado é defender seu retorno, cultuar ‘Sherazades’ e pregar o ódio contra a líder da nação só por ela tentar (tentar!) incrementar medidas de avanço social que tanto ameaçam (será?) a redoma de vidro em que vive nossa elite de mente tacanha.
O ato, segundo o estudante de faculdade particular, tem o apoio da PM e do dentista Eduardo Rocha, ex-candidato a vereador e ex-ocupante de cargo comissionado na prefeitura de Ilhéus. 
Ratificamos: a marcha, em Ilhéus, é facilmente compreendida, mas, esperamos, deve ser pouco aceita. Cidade acostumada com coronéis jamais aceitaria presenciar a ascensão social proporcionada por Lula e Dilma.
Então, que sejam convocadas marchas, não pelo ódio ao avanço social ou a quem o proporciona, mas para que se garantam mais direitos amplos, como o à educação. Quem sabe assim, o estudante de faculdade particular possa ser aprovado numa universidade pública sem precisar pagar a exorbitante mensalidade.

EDUARDO CAMPOS MOSTRA A VERDADE SOBRE DILMA

Vídeo gravado durante debate televisivo entre os candidatos a governador do Pernambuco, em 2010. Vale a pena assistir e compartilhar.

DILMA ROUSSEFF ASSINA DECRETO QUE BENEFICIA TÉCNICOS AGRÍCOLAS E FISCAIS AGROPECUÁRIOS

O deputado federal Geraldo Simões, juntamente com fiscais agropecuários.

O deputado federal Geraldo Simões, juntamente com fiscais agropecuários.

Foi assinado pela presidenta Dilma Rousseff e publicado no Diário Oficial da União, o decreto nº 8.205 de 2014, que dispõe sobre as atribuições dos Cargos de Atividades Técnicas de Fiscalização Federal Agropecuária , categorias de servidores públicos, de nível intermediário do quadro de Pessoal do Ministério da Agricultura Pecuária e do Abastecimento.
O deputado federal Geraldo Simões parabenizou a Associação Nacional dos Técnicos e Fiscais Agropecuários e suas correspondentes estaduais e a todos os técnicos de fiscalização federal agropecuária e aos técnicos agrícolas em geral, por essa grande vitória. “Foi graças à mobilização da categoria e ao trabalho diário, insistente, de seus representantes, que conseguimos a publicação deste decreto”, disse.
Simões esteve presente em todos os momentos desta luta, debatendo o assunto com as autoridades governamentais da área. “Sou testemunha do grande esforço que foi feito para chegar a este resultado”, disse. Para ele, “essas novas atribuições destes Técnicos de Fiscalização terão repercussões positivas nos setores produtivos agropecuários e significará uma valorização dos profissionais”.
“Fatos como estes mostram o valor da união dos trabalhadores e da importância de contar com uma liderança combativa. É com muito orgulho que também sou Técnico Agrícola”, ressaltou o deputado.

PROGRAMA MAIS MÉDICOS PODERÁ RECEBER MAIS ESTRANGEIROS

cubanos
A presidenta Dilma Rousseff disse ontem (13) que o Programa Mais Médicos irá passar por uma avaliação em março de 2014 e mais médicos estrangeiros poderão ser contratados, caso o governo considere necessário. A estimativa do Ministério da Saúde é que, até março, o programa tenha 13 mil médicos brasileiros e estrangeiros e garanta a cobertura de atendimento, nas unidades básicas de saúde, a quase 46 milhões de pessoas.
“O que vimos em todas as enquetes que o Ministério da Saúde faz é que as pessoas reclamavam que não tinha acesso a médico. Principalmente as pessoas que moram nas periferias das pequenas e médias cidades, no interior, a população de indígenas e populações negras quilombolas. Por isso, resolvemos fazer todo um chamamento para garantir que houvesse médico suficiente para atender toda a nossa população”, disse a presidenta.
Dilma participou nesta tarde da cerimônia de inauguração do Hospital de Clínicas Municipal José de Alencar, em São Bernardo do Campo (SP). Ao inaugurar o hospital, que leva o nome do ex-presidente José Alencar, Dilma disse que é “honroso” inaugurar um hospital de qualidade com o nome do ex-governante.
:: LEIA MAIS »

DILMA ASSINA DECRETO AUTORIZANDO MIGRAÇÃO DE RÁDIOS AM PARA FM

DILMAAMARADIO
No Dia do Radialista, a presidente Dilma Rousseff assinou nesta quinta-feira (7), em cerimônia no Palácio do Planalto, o decreto que permite a migração das rádios AM para a faixa FM. O decreto atende a um pleito do setor, preocupado com o aumento dos níveis de interferência. 

No discurso, Dilma disse que as rádios AM são um patrimônio do país e que o Estado deve dar as condições para que elas continuem prestando serviços e se adaptando. A medida alcança 98 transmissoras AM na Bahia, que se somam às já existentes 168 estações FMs e 329 comunitárias.

A presidente também relembrou programas da Rádio Nacional que ouvia na infância, de vozes e artistas que fizeram sucesso no veículo de comunicação. Segundo ela, seu programa semanal no rádio, o Café com a Presidenta, propicia chegar mais perto da população, como uma conversa.

Antes da cerimônia, na conta no Twitter, Dilma escreveu que a migração das rádios AM para FM significará mais qualidade de transmissão com menos ruídos e interferências, permitindo às emissoras de rádio ampliar a audiência. “Sou fã de rádio. Cresci ouvindo radionovelas e por muito tempo testemunhei como o rádio foi o eixo da integração da cultura e da identidade nacional.”

A Associação Brasileira de Emissoras de Rádio e Televisão (Abert) estima que 90% das 1.784 emissoras AM passem a operar na faixa FM. “Nessa frequência, as rádios ganharão qualidade de áudio e de conteúdo, competitividade e alcance por meio de telefones celulares”, informou a associação. 

Segundo o presidente da Abert, Daniel Slavieiro, “a assinatura do decreto é o fato mais relevante para o rádio AM nos últimos 50 anos”. Segundo ele, o custo da migração para as rádios, na compra de equipamentos, será de aproximadamente R$ 100 milhões

Slavieiro explicou por que migrar para a faixa FM em vez de partir direto para a rádio digital. “Por muito tempo acreditamos que a solução seria a digitalização, mas os testes demonstraram que as dificuldades no AM digital são similares às no analógico”, disse, acrescentando ainda a importância da presença nos dispositivos móveis, cada vez mais populares entre a população. “Somente transmitindo na faixa de FM que seremos sintonizados pelos mais de 160 milhões de aparelhos celulares que têm rádio, sem custo algum para o usuário. Essa é a importância da medida.”

O ministro das Comunicações, Paulo Bernardo, disse que os interessados na migração poderão protocolar requerimento no ministério a partir de 1º de janeiro de 2014. Quem quiser se manter na AM poderá manifestar interesse em ampliar a cobertura nessa faixa. “Para a migração, a Anatel [Agência Nacional de Telecomunicações] fará estudos de viabilidade técnica com vistas a verificar se a inclusão de um novo canal é possível”, explicou o ministro.

Segundo Bernardo, durante um certo tempo será permitido que as rádios transmitam em AM e FM, para que haja a migração da audiência “sem sobressaltos”. “Na hipótese de não haver canal de rádio FM disponível na localidade, serão usadas as frequências ocupadas atualmente pelos canais 5 e 6 de televisão, após finalizado o processo de digitalização da televisão”, disse.

SE A ELEIÇÃO FOSSE HOJE, DILMA SERIA REELEITA COM FOLGA

AGÊNCIA BRASIL
dilmaO governo da presidenta Dilma Rousseff tem a aprovação de 39% da população, segundo pesquisa divulgada hoje (7) pela Confederação Nacional dos Transportes (CNT). O índice é maior que o registrado na pesquisa anterior, de setembro, quando o governo teve avaliação positiva de 38,1%. A avaliação negativa do governo chega a 22,7% dos entrevistados.
O desempenho pessoal da presidenta foi avaliado como positivo por 58,8% dos entrevistados. O dado mostra estabilidade em comparação à última pesquisa quando o percentual foi 58%. O índice de desaprovação do desempenho pessoal de Dilma é 38,9%.
A pesquisa, encomendada pela CNT ao instituto MDA, mostra que, no caso de candidatura, a presidenta Dilma Rousseff tem 18,9% da intenção espontânea de voto. Em seguida, aparecem o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (7,5%), Aécio Neves (6,7%) e Marina Silva (5,6%). Na pesquisa espontânea, não são apresentadas opções de possíveis candidatos.
Na intenção de voto estimulada, quando são apresentadas opções de candidatos, em cenário sugerido pela pesquisa para o primeiro turno das eleições, Dilma Rousseff tem 43,5% da intenção de voto, Aécio Neves tem 19,3% e Eduardo Campos, 9,5%. Em um segundo cenário apresentado aos entrevistados, Dilma Rousseff tem 40,6% das intenções de voto, Marina Silva, 22,6% e Aécio Neves, 16,5%.
Nesta edição, foram entrevistadas 2.005 pessoas, em 135 municípios de 21 unidades da federação, entre os dias 31 de outubro e 4 de novembro. A margem de erro é 2,2 pontos percentuais.

DILMA ENVIA AO CONGRESSO PROJETO QUE CRIA COTAS RACIAIS EM CONCURSOS

dilma_3A presidente Dilma Rousseff enviou ao Congresso projeto de lei, em caráter de urgência constitucional, que destina 20% das vagas em concursos públicos federais para negros. Ela disse que o projeto é um convite para que os Poderes Legislativo e Judiciário além dos estados e municípios também façam normas nesse sentido. “A sociedade brasileira tem que arcar com as consequências do longo período escravocrata”, disse a presidente
Segundo Dilma, o regime de urgência do projeto garante que o debate sobre o tema seja amplo e intenso, mas, também, célere. “Nós queremos, com essa medida, iniciar a mudança na composição racial dos servidores da administração pública federal, tornando-a representativa da composição da população brasileira”. A urgência constitucional estabelece prazo de 45 dias para votação do projeto na Câmara e o mesmo período para o Senado, caso contrário tranca a pauta da Casa e proíbe a votação de outra matéria.
A medida foi assinada durante a abertura da 3ª Conferência Nacional de Promoção da Igualdade Racial. Na ocasião, a presidente anunciou que comunidades quilombolas terão prioridade no recebimento de profissionais do Programa Mais Médicos. “Nós estamos colocando comunidades quilombolas, junto com os distritos indígenas como locais privilegiados e prioritários para receberem médicos do Mais Médicos”, anunciou a presidente .
No evento, Dima informou também que o Ministério da Saúde terá uma instância específica para coordenar as questões voltadas para a população negra.
:: LEIA MAIS »

DILMA VENCERIA AÉCIO E CAMPOS NO PRIMEIRO TURNO

dilmaSe a eleição fosse neste sábado (12), a presidenta Dilma Rousseff venceria já no primeiro turno, sem complicações e adversários que chegassem próximos de sua votação. A conclusão é de pesquisa DataFolha divulgada hoje pelo jornal Folha de São Paulo.
A petista seria reeleita no primeiro turno se disputasse a eleição contra os dois candidatos mais prováveis do PSDB e do PSB, o tucano Aécio Neves e o socialista Eduardo Campos.
Nessa simulação, Dilma tem 42% das intenções de voto; Aécio, 21%; Campos,15%. Brancos, nulos ou nenhum somam 16%. Outros 7% não sabem em quem votar.
Segundo o jornal paulista, o instituto testou quatro cenários para a eleição presidencial de 2014, alternando os nomes de Campos e Marina Silva, pelo PSB, e os de Aécio e José Serra, pelo PSDB.
Nas outras três combinações, Dilma não teria uma quantidade suficiente de votos para garantir vitória no primeiro turno. Na simulação em que a disputa aparece mais apertada, a petista alcança 37% das intenções de voto, Marina marca 28%, Serra alcança 20%.
Os outros cenários, no entanto, são praticamente improváveis, já que Eduardo Campos e Aécio Neves trabalham por suas candidaturas e são os que mais têm chances de disputar por seus partidos. 
Para a pesquisa deste sábado, o Datafolha fez 2.517 entrevistas em 154 municípios, com margem de erro de 2 pontos.

DILMA DIZ QUE VAI REDOBRAR ESFORÇOS PARA PROTEGER PAÍS DE ESPIONAGEM

Ao criticar hoje (24), na abertura da 68ª Sessão da Assembleia Geral das Nações Unidas, a prática de espionagem dos Estados Unidos a outros países, incluindo o Brasil, a presidenta Dilma Rousseff disse que o país vai implementar esforços, legislação e tecnologias para se proteger.
“O Brasil redobrará os esforços para dotar-se de legislação, tecnologias e mecanismos que nos protejam da interceptação ilegal de comunicações e dados”, destacou. “Meu governo fará tudo que estiver ao alcance para defender os direitos humanos de todos os brasileiros e de todos os cidadãos do mundo e proteger os frutos da engenhosidade de nossos trabalhadores e de nossas empresas”, disse, ao se referir à espionagem industrial.
A prioridade do governo brasileiro contra a espionagem norte-americana surgiu a partir das denúncias publicadas nos últimos meses feitas pelo norte-americano Edward Snowden, ex-funcionário de uma empresa que prestava serviço para o governo dos Estados Unidos. Há denúncias de que cidadãos comuns de vários países e, inclusive, a presidenta Dilma Rousseff, seus assessores e a Petrobras tenham sido espionados.
:: LEIA MAIS »

AGRICULTORES DE BUERAREMA “ENTERRAM” A PRESIDENTA DILMA

Enterro. Foto: Macuco News.

Enterro. Foto: Macuco News.

Agricultores da região de Buerarema interditaram na terça (17), por três horas, a BR-101. O grupo protesta pela suspensão da demarcação de terras indígenas na Serra do Padeiro, região entre as cidades de Ilhéus, Una e Buerarema.
A cidade vive dias tensos com constantes conflitos entre agricultores e índios. No protesto de ontem, produtores fizeram o enterro da presidenta Dilma Rousseff. O protesto simbólico pretende chamar a atenção das autoridades federais para o conflito.
Na última semana, de acordo com o deputado federal Geraldo Simões, a ministra Gleisi Hoffmann afirmou que, como havia prometido, os processos de demarcação estão suspensos enquanto se busca uma solução para o problema na região. “O Governo vai propor um novo processo para decidir sobre as terras indígenas”, declarou a ministra.

DILMA SOBE E TEM 36,4% DAS INTENÇÕES DE VOTO, DIZ PESQUISA

dilmaPesquisa de opinião divulgada pela CNT (Confederação Nacional dos Transportes) em parceria com o instituto MDA divulgada nesta terça-feira (10) mostra que a presidente Dilma Rousseff tem 36,4% das intenções de voto para as eleições de 2014, três pontos percentuais a mais que na pesquisa anterior. No entanto, a presidente não venceria a disputa no primeiro turno.
Na pesquisa anterior, divulgada pela CNT/MDA em 16 de julho, ainda sob o impacto da onda de manifestações que se espalhou pelo país em junho, a presidente estava com 33,4%, uma queda de 19 pontos percentuais com relação à pesquisa em anterior divulgado pelo mesmo instituto em 11 de junho, que não captou os efeitos dos protestos. Naquela pesquisa, Dilma estava com 52,8% das intenções de voto e venceria as eleições já no primeiro turno.
A ex-senadora Marina Silva, possível candidata à Presidência pela Rede Sustentabilidade –que busca conseguir seu registro como partido na Justiça Eleitoral–, tinha 20,7% das intenções em julho e 12,5% em junho. Marina também subiu e aparece agora com 22,4% das intenções de voto.
O senador Aécio Neves, provável candidato do PSDB, detinha 15,2% das intenções de voto na pesquisa de julho e 17% na de junho e aparece agora com o mesmo percentual: 15,2%.
O governador de Pernambuco, Eduardo Campos (PSB), também possível candidato à sucessão presidencial, estava com 3,7% das intenções em junho e subiu para 7,4% em julho, caindo agora para 5,2%.
Foram entrevistadas 2.002 pessoas, em 135 municípios de 21 unidades da federação, das cinco regiões, entre os dias 31 de agosto e 4 de setembro de 2013. A pesquisa tem margem de erro de 2,2 pontos percentuais.

DEPUTADO PETISTA DEFINE GOVERNO DILMA COMO ‘PIORES ANOS PARA REFORMA AGRÁRIA’

valmirO deputado federal Valmir Assunção (PT) definiu o atual governo como “os piores anos para a reforma agrária no Brasil” e criticou mais uma vez a demora na assinatura, pela presidente Dilma Rousseff, de decretos de desapropriação de terras.
De acordo com o parlamentar, há 149 decretos relativos à Bahia, onde vivem 50 mil pessoas acampadas. “Quero ainda lembrar que esses 149 decretos, que representam 149 novas áreas de assentamento na Bahia, estão incluídas, em sua maioria, dentro dos 11 territórios do Brasil sem Miséria, prioridade do nosso governo”, disse o deputado.
Ao comentar a ocupação da sede do Instituto Nacional de Reforma Agrária (Incra) em Salvador, o petista acusou o governo federal de descaso em relação ao tema.
“A ocupação do Incra em Salvador tem exatamente a mesma pauta que temos denunciado aqui em tribuna: a completa paralisação da reforma agrária na Bahia e no país”, defendeu.

APROVAÇÃO AO GOVERNO DILMA VOLTA A SUBIR

Governo recupera prestígio.

Governo recupera prestígio.

A avaliação positiva do governo da presidente Dilma Rousseff (PT) recuperou parte da aprovação perdida após as manifestações populares de junho. Pesquisa Ibope/Estado divulgada nesta sexta-feira (23), mostra que a taxa de ótimo/bom do governo cresceu de 31% para 38% desde 12 de julho. Ao mesmo tempo, as opiniões de que o governo é ruim ou péssimo caíram de 31% para 24%. A avaliação de que o governo é “regular” permaneceu em 37%. Apenas 1% não soube ou não quis responder.
A recuperação ocorreu principalmente no Sul e no Sudeste, onde as taxas de aprovação cresceram 12 e 11 pontos porcentuais, respectivamente. Para a CEO do Ibope Inteligência, Marcia Cavallari, a recuperação de parte da popularidade de Dilma está relacionada ao refluxo das manifestações de rua, principalmente no Sudeste. 

MEC ANUNCIA PROGRAMA PARA PROFESSORES NOS MOLDES DO “MAIS MÉDICOS”

G1
Mercadante.

Mercadante.

O ministro da Educação, Aloizio Mercadante, anunciou nesta quarta-feira (21) que pretende criar um programa para levar professores a regiões do país mais carentes desses profissionais. Em audiência pública na Câmara dos Deputados, onde apresentou os principais desafios atuais do ensino médio, Mercadante afirmou que o programa poderá seguir os moldes do Mais Médicos, que pesquisa, junto aos municípios brasileiros, vagas abertas para médicos e abre editais para selecionar profissionais que serão contratados como bolsistas para atuar nessas cidades necessitadas.
O nome provisório do programa, segundo o ministro, é Programa Nacional de Professores Visitantes na Educação Básica – Mais Professores. Ele foi apresentado na reunião de uma comissão especial da Câmara, criada em 2012 e dedicada à formulação de um projeto de lei para reformular o ensino médio brasileiro.
“É uma contribuição do governo federal com os municípios que têm baixo Ideb [Índice de Desenvolvimento da Educação Básica], baixo IDH [Índice de Desenvolvimento Humano] e principalmente onde não temos hoje professores de matemática, física, química, inglês – que são as maiores carências”, afirmou Mercadante no Congresso, segundo nota da assessoria de imprensa do Ministério da Educação.
O MEC afirmou ainda que o Mais Professores ainda está em fase de formulação, e não há detalhes sobre como ele vai funcionar. Porém, os municípios que serão beneficiados por ele estão principalmente nas regiões Nordeste e Norte.
Entre as outras medidas debatidas pelo ministro na Câmara dos Deputados nesta quarta, segundo a assessoria de imprensa do MEC, estão a reforma do currículo do ensino médio, para priorizar a interdisciplinaridade, mais investimentos em escola em tempo integral, incentivar a ampliação de vagas no ensino médio profissional e oferecer mais bolsas de estudo e pesquisa a jovens estudantes interessados em ciência e em licenciatura.

QUEDA DA INFLAÇÃO DEVOLVE POPULARIDADE A DILMA

BRASIL 247
dilma influenteA aprovação ao governo da presidente Dilma Rousseff voltou a crescer. Pela primeira vez desde o início das manifestações, uma pesquisa indicou recuperação de sua popularidade. Segundo o Datafolha, o percentual dos brasileiros que consideram seu governo ótimo ou bom passou de 30% para 36%.
É uma recuperação ainda moderada diante da queda de 35 pontos desde o começo dos protestos, mas pode ser o sinalizador de uma tendência.
De acordo com o Datafolha, o principal motivo para a retomada da confiança é a economia. O pessimismo com a inflação foi estancado. Os que acreditam que os preços irão subir eram 54% em junho e hoje são 53%. Ao mesmo tempo, melhoraram as expectativas em relação ao futuro. Hoje, 48% dos brasileiros acreditam que sua situação irá melhorar – eram 44% dois meses atrás. Em relação ao desemprego, houve também uma melhoria, com queda de cinco pontos entre os que esperam alta da desocupação – o índice foi de 44% a 39%.
Dilma tem ainda uma aprovação maior entre os mais pobres, de 41%. Na pesquisa, os que consideram o governo ruim ou péssimo foram de 25% a 22%. Entre os que apontam regularidade, o índice ficou estável, indo de 43% a 42%.

DILMA MUDARÁ LEI FISCAL PARA ESTADOS GASTAREM MAIS COM TRANSPORTE PÚBLICO

A presidente Dilma Rousseff (PT) decidiu retirar os projetos de mobilidade urbana do cálculo de endividamento de estados e municípios.
A medida será adotada pelo governo federal com o objetivo de espantar três fantasmas de uma só vez: desafogar as contas de governadores e prefeitos, ajudar na recuperação do crescimento econômico e aplacar o clamor das ruas, evidente com as manifestações de junho, por melhoria nos serviços de transportes públicos.
Para se ter uma ideia do impacto da proposta, se a medida entrasse em vigor hoje os prefeitos e governadores teriam uma capacidade de endividamento de mais R$ 35,3 bilhões para gastar só em projetos como metrôs, trens urbanos, corredores exclusivos de ônibus (BRTs), veículos leves sobre trilhos (VLTs) e ciclovias, sem comprometer as contas com a Lei de Responsabilidade Fiscal.
O número, segundo informação do Ministério das Cidades, é referente à contrapartida que estados e municípios devem aplicar no setor.

DILMA TEM VANTAGEM EM RELAÇÃO A OUTROS POSSÍVEIS CANDIDATOS, MOSTRA PESQUISA

AGÊNCIA BRASIL
dilmaPesquisa de intenção de voto para as eleições presidenciais de 2014 divulgada hoje (16) pela Confederação Nacional dos Transportes (CNT) mostra que, no caso de uma possível candidatura, a presidenta Dilma Rousseff tem 14,8% da intenção espontânea de voto, quando não são apresentadas opções de candidatos. Na pesquisa da CNT anterior não foi feito o levantamento de intenções espontâneas.
Em segundo lugar, os entrevistados citam o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (10,5%), seguido por Marina Silva (5,9%), Aécio Neves (4,9%), Eduardo Campos (1,4%), José Serra (1,2%) e Joaquim Barbosa (0,7%).
Na pesquisa estimulada, quando são apresentados os nomes de possíveis candidatos, a presidenta Dilma tem 33,4% da intenção de voto. Em junho, o percentual era 52,8%. Nesse cenário, Marina Silva tem 20,7% da intenção de voto, Aécio Neves, 15,2% e Eduardo Campos, 7,4%. Os que não sabem ou não responderam são 5,4% e brancos e nulos somam 17,9%.
Questionados se votariam na presidenta Dilma no caso de candidatura em 2014, 20,5% escolheram a opção em que Dilma seria a única em quem votariam, 30,7% responderam que ela é uma candidata em quem poderiam votar e 44,7% escolheram a opção de que não votariam nela de jeito nenhum.
Nesta edição da pesquisa foram entrevistadas 2.002 mil pessoas, em 134 municípios de 20 estados, entre os dias 7 e 10 de julho.

DILMA ANUNCIA REPASSE DE R$ 3 BILHÕES PARA MUNICÍPIOS

A presidente Dilma Rousseff anunciou nesta quarta-feira (10) um pacote de bondades a administradores que participam da 16ª Marcha dos Prefeitos em Brasília.
Dilma anunciou durante o evento mais recursos para saúde e educação, no valor de R$ 3 bilhões. Eles serão repassados em duas parcelas: uma em agosto deste ano e a segunda em abril de 2014. Também anunciou ampliação da verba do Programa de Atenção Básica, em R$ 600 milhões ao ano.
Depois, disse que vai mandar R$ 4 mil ao mês para equipes de saúde –um total de R$ 3 bilhões. Outros R$ 5,5 bilhões serão para custeio de estrutura do SUS (Sistema Único de Saúde). E mais R$ 3,2 bilhões irão para 2.000 creches.
Anunciou ainda que, a partir de agora, todos os municípios abaixo de 50 mil habitantes podem acessar o programa Minha Casa Minha Vida. “Nós não vamos mais deixar que haja seleção. Todos os municípios podem executar o programa Minha Casa Minha Vida”, disse a presidente.

LIDERANÇAS JOVENS DIZEM A DILMA QUE APOIAM PLEBISCITO

Em reunião com a presidente Dilma Rousseff na manhã desta sexta-feira no Palácio do Planalto, lideranças de movimentos de juventude manifestaram apoio à convocação de plebiscito para tratar da reforma política e defenderam o financiamento público de campanhas eleitorais, uma das bandeiras do Partido dos Trabalhadores (PT) para neutralizar o desgaste com o julgamento do mensalão.
 Dilma prossegue nesta sexta com a agenda de ouvir movimentos sociais e atores políticos – nesta quinta, 27, a presidente recebeu no Planalto presidentes de partidos políticos da base, lideranças da Câmara dos Deputados e do Senado Federal. 
“É extremamente consenso entre todas as entidades, todos os movimentos sociais aqui presentes que, entre as propostas postas, a melhor forma é o plebiscito. Nenhum deles defende participação que seja posterior”, disse o secretário da Juventude da Central Única dos Trabalhadores (CUT), Alfredo Santos Junior.
“Para nós, é fundamental a participação da população na elaboração da política, da reforma, por isso não só concordamos com o plebiscito, é essencial que a participação popular se dê anterior à elaboração do projeto, por plebiscito, não por referendo”, ressaltou o sindicalista.
Segundo a presidente da União Brasileira dos Estudantes Secundaristas (Ubes), Manoela Braga, Dilma achou uma “boa solução” o projeto de lei que destina 75% dos royalties do petróleo para a educação e 25% para a saúde.
O Planalto apoiava inicialmente 100% dos royalties para educação. Os ministros da Secretaria-Geral da Presidência, Gilberto Carvalho, e da Educação, Aloizio Mercadante, acompanharam a audiência.
curta costa do cacau


grapiuna web pop

twitter
facebook