.

A balbúrdia convencionada que tomou conta da Passarela do Álcool, roteiro gastronômico e boêmio da zona sul ilheense, teve mais um lastimável episódio neste fim de semana. Moradores afirmam que, dessa vez, a situação extrapolou todos os limites mínimos de aceitação. Abordamos o caso mais cedo em uma crônica. E, ante a gravidade detectada no caso, resolvemos abordar mais detalhadamente a situação.

Segundo informações colhidas pela redação do site Ilhéus 24H, entre as 17 e as 19h do último domingo (03), havia intenso movimento nos bares e restaurantes da referida via. O que é tornou-se corriqueiro no local que, definitivamente, virou ponto de concentração de pessoas e de problemas, durante os períodos das flexibilizações das regras de distanciamento na pandemia. E a coisa parece ganhar proporções cada vez maiores.

A situação foi abordada inúmeras vezes por aqui. Confira. E pelo visto, nada adiantou. Muito pelo contrário.

  1. A PASSARELA DO ÁLCOOL E O INFERNO ASTRAL DOS MORADORES
  2. FALTA DE RESPEITO E AGLOMERAÇÃO MARCAM NOITE DE SEXTA NA PASSARELA DO ÁLCOOL
  3. MORADORES DA PASSARELA DO ÁLCOOL FAZEM PROTESTO
  4. ACABOU A PANDEMIA? PASSARELA DO ALCOOL VOLTA A TER AGLOMERAÇÕES NO FIM DE SEMANA
  5. FISCALIZAÇÃO INTERDITA 2 BARES NA PASSARELA DO ÁLCOOL; 6 PESSOAS FORAM PRESAS
  6. PASSARELA DO ÁLCOOL VOLTA A REGISTRAR AGLOMERAÇÕES NESTE SÁBADO (19)

De acordo com relatos, mais uma vez, o som altíssimo vindo dos bares, propiciou um fim de semana de grande tormento para a vizinhança. Entre eles, muitos idosos. O filho de uma das moradoras – ao perceber que a Fiscalização estava no local, e que os proprietários do estabelecimento causador do transtorno, estaria tentando enganar os fiscais – , resolveu interceder.

Populares afirmam que o cidadão incomodado rebateu o argumento do dono do bar, falou que a situação estava absurda, e que “nem mesmo trancando a casa toda, e usando fone de ouvido, era possível estudar em paz”. A fala do vizinho enfureceu alguns presentes, e a confusão deu-se por iniciada.

Uma moradora afirma que nessa hora, um dos frequentadores do bar bradou violentamente ante a queixa do morador: “Está achando ruim, mude-se daqui, procure outro lugar para morar”. Em seguida vieram as agressões. Segundo a vítima, vindas do dono do bar, de funcionários do estabelecimento e de clientes. Veja no vídeo no final da matéria.

“Perdemos a nossa paz, por causa desse som alto, praticamente todos os dias. Agora perdemos a nossa segurança, pois, se vamos reclamar, estamos sujeitos a sermos espancados. Isso aqui é uma área residencial. Não existe isso de ter casa de shows em meio a locais com residências, sem ao mínimo adequar a acústica do imóvel. Isso é caso para o Ministério Público. Só mesmo em Ilhéus um negócio desses”, lamenta um morador.

Segundo informações, os moradores do entorno da Passarela do Álcool pretendem buscar soluções na justiça para tentarem resolver o problema.