.

O PIX passa a ter novas regras a partir deste mês, após a disparada de roubos e sequestros, envolvendo o método rápido de pagamento e transações bancárias pelo celular.

Nesta segunda-feira (4), começa a valer o limite de R$ 1.000 para realizar transferências entre às 20 horas e 6 horas.
O Banco Central (BC) anunciou a medida que tem como objetivo coibir a ação dos criminosos.

Especialistas dizem que há outras formas de proteger-se contra os crimes cibernéticos, como por exemplo, abrindo duas contas.

Qualquer usuário que possui o aplicativo do banco no celular consegue fazer transferências pelo Pix, sem precisar fazer nenhum cadastro.

Uma das mudanças, permite ao banco bloquear de forma preventiva o dinheiro do cliente por até 72 horas quando houver suspeita de fraude. O bloqueio vai dar uma chance ao banco de analisar detalhadamente a transferência que foi solicitada e ser possível recuperar o valor retirado da conta pelo criminoso.

Será obrigatório notificar e compartilhar informações sobre uma infração com as demais instituições sempre que houver consulta a uma chave Pix. O uso de informações vinculadas às chaves Pix será ampliado para prevenir fraudes.

No entanto, as instituições financeiras serão penalizadas se houver comprovação que a fraude aconteceu por causa de falhas nos mecanismos de segurança e de gerenciamento de riscos. Informações do Jornal Contábil.