.

O Governo do Estado anunciou que o Diário Oficial da Bahia deixa de ser produzido na versão impressa a partir desta terça-feira (21), após 107 anos, e passa a ser disponibilizado apenas digitalmente. O objetivo, segundo o governo, é diminuir custos e atualizar ainda mais os serviços, além de seguir uma tendência mundial de preservação da natureza.

A publicação permitirá acesso imediato às edições do dia, além das versões anteriores através da plataforma DOLL (Diário Oficial On – Line).

A novidade está na possibilidade de o leitor obter a edição do diário certificada, o que garante finalidade documental comprobatória.

“O diário oficial on-line é uma evolução, pois temos uma preocupação com o meio ambiente, e por isso, o on-line vai estar num aplicativo, que até mesmo através do celular as pessoas podem acessá-lo e ter gratuitamente a edição desejada, porém, se o leitor necessitar de alguma edição ou uma página qualquer impressa, nós vamos lhe dar uma certificação digitalizada, ou seja, um diário oficial com validade jurídica. Vejo de uma importância capital nós acompanharmos a evolução dos tempos e por isso estamos on-line com o diário oficial”, explica o diretor-geral da Empresa Gráfica da Bahia (Egba), Roberto Brito.

No Brasil, diversos estados e a União já deixaram de imprimir seus Diários Oficiais. Na Bahia, o DOE teve sua primeira edição divulgada no dia 7 de setembro de 1914. Publicado todos os dias, exceto domingo e segunda-feira, com todas as informações oficiais do estado, além de decisões tomadas, reuniões, editais, nomeações, licitações, o Diário Oficial tem a incumbência de comunicar e validar assuntos de interesse da sociedade.

Segundo Roberto Brito, a decisão vai trazer uma economia importante, uma vez que toneladas de papel são gastas para imprimir as tantas edições do Diário Oficial. “Há a economia financeira, e a preservação para o meio ambiente”.