Atos de 7 de setembro seguem pautas bolsonaristas como as criticas ao STF

A Secretaria de Segurança Pública da Bahia (SSP-BA) está monitorando movimentação de policiais para atos marcados para o dia 7 de setembro. Análises de especialistas apontam para a possibilidade de um eventual golpe do presidente Jair Bolsonaro com apoio das Polícias Militares. Um levantamento realizado pela reportagem do Estadão revelou que PMs impulsionam os atos públicos marcados para setembro com pautas bolsonaristas, a exemplo de críticas ao Supremo Tribunal Federal (STF) e também a outras autoridades.
Alinhado com o governador Rui Costa (PT), o secretário da SSP-BA, Ricardo Mandarino, diz não acreditar que as Polícias Militares do Brasil estejam articuladas para dar um golpe, mas que ainda assim a pasta tem monitorado.

“Infelizmente nós temos um presidente arruaceiro e quando você tem uma pessoa totalmente irresponsável e que promove arruaça fica fácil de conseguir adeptos”, analisou Mandarino em entrevista ao programa Isso é Bahia, da rádio A Tarde FM 103,9, nesta quarta-feira (25).

A análise do titular da SSP-BA é de que poderá haver “arruaça e quebra-quebra”, mas ainda assim ele não acredita esse movimento vá resultar num golpe militar ou no fim da democracia. Mandarino sinalizou que é democrático a realização de manifestações, mas que a Secretaria de Segurança estará atenta a atos de violência e depredação de patrimônio público e privado.
 
Na terça-feira (24) o governador da Bahia também afirmou que não acredita, “em nenhuma hipótese”, que as instituições “se metam numa aventura dessa”, ao falar sobre a hipótese de golpe. A avaliação do gestor é de que “o Brasil não é e não vai virar Afeganistão”. [Bahia Noticias]