Divulgação/STF

Ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Gilmar Mendes deve dar nesta segunda-feira (5) parecer proibindo a presença de cultos religiosos com a presença do público. A medida havia sido autorizada pelo também ministro Kassio Nunes.

A decisão de Kassio ocorreu atendendo ao pedindo de uma instituição evangélica, enquanto Gilmar Mendes vai analisar uma ação movida pelo PSD contra o governador de São Paulo, João Doria (PSDB), que proibiu celebrações presenciais no estado.

Com os impasses, a questão deverá ser discutida pelos 11 ministros do STF em plenário. A decisão de liberar os encontros, dada por Kassio Nunes, escolhido do presidente Jair Bolsonaro (sem partido), pegou de surpresa parte da Corte, devido à pandemia de Covid-19.