China quer comunicado de Bolsonaro com demissão de Ernesto Araujo (dir.) para liberar insumos da Coronavac

Em meio ao impasse da liberação de insumos para a fabricação de doses da vacina CoronaVac no Instituto Butantan, em São Paulo, a China quer a demissão do ministro de Relações Exteriores, Ernesto Araújo. O embaixador do país asiático, Yang Wanming, quer uma sinalização clara do presidente Jair Bolsonaro em favor do seu país.

Pequim espera no mínimo que Bolsonaro divulgue um comunicado destacando a boa relação entre os países. Nos últimos meses, o governo brasileiro tem feito diversos ataques contra a China em sucessivas declarações, o que tem estremecido as relações diplomáticas entre as nações.

Apesar das tentativas de amenizar publicamente a evidente crise nas relações entre China e Brasil, em uma das conversas do embaixador com representantes do governo brasileiro, ele chegou a afirmar: “Com o Ernesto nós não conversamos mais”, de acordo com o jornal Gazeta do Povo.