Em visita às obras do Complexo Logístico Porto Sul, o prefeito Mário Alexandre se mostrou confiante com o ritmo imposto à construção do intermodal, compreendido como um novo ciclo econômico para a região sul da Bahia. O chefe do Executivo frisou que o empreendimento é uma das maiores apostas do Governo da Bahia para o mercado da mineração do estado. Acompanhado de uma comitiva e representantes da Bahia Mineração (BAMIN), o gestor conheceu o canteiro de obras implantado em julho último.

“É um momento muito especial pra mim, enquanto cidadão ilheense e prefeito, mas também para o povo. Eu quero agradecer a confiança daqueles que têm a mesma vontade de colocar Ilhéus nos trilhos do desenvolvimento, trazendo para o nosso município a mineração, uma das maiores vertentes da economia. Vamos ligar Ilhéus ao centro do Brasil, além da gerar renda e emprego para o nosso cidadão”.

Na oportunidade, o prefeito destacou que o equipamento é parte do projeto pensado para a zona norte da cidade e inicia um ciclo virtuoso na região. Segundo ele, a autorização para construção do complexo é fruto da luta direta e aliança com o governador Rui Costa e com o Ministério da Infraestrutura, extinto Ministério dos Transportes. A área do empreendimento abrange as localidades de Aritaguá, Sambaituba e Ponta da Tulha.

“O processo pode ser demorado, mas não vamos desistir de Ilhéus nunca. O Porto Sul vai agregar empresas, atrair mais investimentos e gerar mais empregos para o nosso povo. É isso que eu quero e hoje tenho um sentimento de dever cumprido. Ilhéus passa a ser reconhecida além da história e cultura como uma cidade desenvolvida economicamente”, concluiu Mário Alexandre.

De acordo com a BAMIN, o intermodal vai operar por meio de um Porto Público, associado ao Terminal de Uso Privativo (TUP) da empresa, destinado à exportação de minério de ferro proveniente do município de Caetité. A previsão é que o transporte do material seja feito pela Ferrovia de Integração Oeste-Leste (FIOL), cuja obra do trecho que liga Ilhéus a Caetité já está 70% concluída. A FIOL também conectará Ilhéus a Figueirópolis, no Tocantins.

A BAMIN pontuou que todas as autorizações e licenças foram emitidas pelos órgãos competentes. Atualmente, a obra se encontra em fase de preparação da cravação estacas da ponte sobre o Rio Almada para acesso ao distrito de Aritaguá. Já foram concluídas as fases de mobilização de mão de obra e equipamentos; supressão vegetal; implantação do canteiro administrativo e industrial; compra de estrutura metálica e insumos e aterro provisório.

Empregabilidade- A previsão é que o Porto Sul gere 1.120 empregos no pico da fase de instalação do terminal da BAMIN. Estima-se que a instalação do Porto Público deva mobilizar 1.440 trabalhadores no pico das obras. A meta é contratar 60% da mão do efetivo local, em atendimento às condicionantes do empreendimento. Se o andamento da construção seguir o cronograma previsto, o Porto Sul iniciará as operações em maio de 2025.