Divulgação

Um dia após o Ministério da Sáude anunciar que o Brasil compraria 46 milhões de doses da vacina chinesa, desenvolvida pela empresa chinesa Sinovac, em parceria com o Instituto Butantan, de São Paulo, o presidente Jair Bolsonaro respondeu a um apoiador em rede social que a vacina, na verdade, “não será comprada”.

De acordo com o site Poder360, o presidente Jair Bolsonaro desautorizou a pasta a realizar o feito, ao enviar mensagens a ministros: “Alerto que não compraremos vacina da China. Bem como meu governo não mantém diálogo com João Doria sobre covid-19″.

A declaração de Bolsonaro desautoriza o ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, que havia assinado o protocolo para a aquisição das doses na véspera.