Divulgação

Os Correios anunciaram nesta terça-feira, 15, que estão no aguardo da decisão judicial sobre a greve para normalização das atividades operacionais. De acordo com a nota divulgada pela empresa, negociações estavam sendo feitas desde julho e buscam preservar o âmbito financeiro da estatal com cortes de privilégios e “adequação à realidade do país”.

O julgamento da ação de dissídio coletivo está marcado para a próxima segunda-feira, 21. Os profissionais estão paralisados desde 17 de agosto, mas parte do contingente funcional está trabalhando e nas últimas quatro semanas foram registrados mais de 187 milhões de catas e encomendas entregues em todo o Brasil.

“É evidente, portanto, que não há margem para propostas incompatíveis com a situação econômica atual da instituição e do país, o que exclui de qualquer negociação a possibilidade de conceder reajustes”, registra a nota divulgada pela empresa. [A Tarde]