FOTO: Agência Brasil

A Rússia deve ter uma vacina aprovada contra o novo coronavírus até o dia 10 de agosto. A informação, segundo a CNN, foi confirmada por fontes em Moscou ao correspondente  internacional da rede de notícias, Matthew Chance. Dados de segurança ou eficácia ainda não foram divulgados.

A vacina foi criada pelo Instituto Gameleya. Conforme a CNN, os próprios cientistas, entre eles, o diretor da pesquisa,  Alexander Ginsburg, se voluntariam para testar a imunização, injetando a vacina em si mesmo.

“Esse é um momento Sputnik”, afirmou Kirill Dmitriev, diretor de um fundo que está financiando a pesquisa da vacina, em referência a corrida espacial durante a Guerra Fria de Rússia e Estados Unidos.

“Os americanos ficaram surpresos quando ouviram os sons do Sputnik. É o mesmo com a vacina, a Rússia vai ter chegado lá primeiro”, disse.

Segundo a CNN, a vacina está na segunda das três fases de testes clínicos. Os pesquisadores estão correndo para concluir a etapa em 3 de agosto e conduzir a terceira fase em conjunto com a vacinação de profissionais da saúde.

A velocidade do desenvolvimento estaria ligada a quantidade de casos no país – cerca de 800 mil casos. “Nossos cientistas estão focados não em serem os primeiros, mas em protegerem a nossa população”, disse Dmitriev.

De acordo com as fontes da reportagem, os dados de pesquisa estarão disponíveis ao público para revisão por pares e publicação no começo de agosto.

Ainda de acordo com a CNN, a Rússia espera produzir até 200 milhões de doses até o fim do ano. Deste total, 30 milhões seriam exclusivas para uso do país. [A Tarde]