Divulgação

O novo ministro da Educação, Milton Ribeiro, afirmou que recebe com honra o convite do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) para o cargo e que trabalhará “incansavelmente para atender às mais altas expectativas e necessidades do nosso grande país”.

“Sei da responsabilidade da missão. A educação transforma vidas; transforma uma nação. É hora de um verdadeiro pacto nacional pela qualidade da educação em todos os níveis”, disse, em nota. “Precisamos de todos: da classe política, academia, estudantes, suas famílias e da sociedade em geral. Esse ideal deve nos unir”, completou.

O nome de Ribeiro, que é evangélico, foi bem aceito pela bancada religiosa.

Na nota, Ribeiro destacou ainda que é “hora de darmos atenção especial à educação básica, fundamental e ao ensino profissionalizante”. “Ao mesmo tempo devemos incrementar o ensino superior e a pesquisa científica. Atuaremos em articulação com os Estados, Municípios e seus gestores para mudar a história da educação do nosso país”, escreveu.

O nome de Ribeiro, segundo auxiliares diretos do presidente, teve forte influência do atual ministro da Justiça, André Mendonça, que também é evangélico. Quando o currículo de Ribeiro chegou ao presidente, o nome teve apoio de diversos ministros. “Ele é íntegro, competente, bom gestor e agregador”, afirmou uma fonte.

Educador, pastor e advogado, Ribeiro é doutor em Educação pela Universidade de São Paulo, mestre em Direito pela Universidade Presbiteriana Mackenzie e graduado em Direito e Teologia. (UOL)