Bárbara Neves é professora da rede municipal. Foto: Reprodução.

Para amplificar a mensagem da campanha nacional de ajuda a vítimas de violência doméstica na pandemia, a educadora Bárbara Neves lançou, nesta sexta-feira (26), nas redes sociais, um vídeo que tem a participação de 40 mulheres de Ilhéus, a maioria de educadoras, além de enfermeiras e assistentes sociais.

No vídeo, as mulheres exibem o símbolo de denúncia da violência: o sinal vermelho – um X – desenhado na palma da mão.

Bárbara Neves é professora da Escola Municipal Batista Nova Jerusalém e foi diretora financeira da APPI/APLB entre os anos de 2015/2017. “Quando vi o lançamento nacional da campanha, achei sensacional! Então, tive a ideia de trazer para o nosso contexto, e convidei algumas amigas e colegas pra fazer parte do audiovisual”, revela a educadora.

Sinal Vermelho – No isolamento, as mulheres brasileiras vítimas de violência doméstica estão enfrentando a dificuldade em denunciar os agressores. Por isso, o Conselho Nacional de Justiça (CNJ) e a Associação dos Magistrados Brasileiros (AMB) lançaram este mês a campanha Sinal Vermelho para a Violência Doméstica.

O objetivo é incentivar as mulheres em situação de violência a pedirem ajuda nas farmácias do país exibindo o X desenhado na mão com caneta ou mesmo um batom. Com o nome e endereço da mulher em mãos, os atendentes das farmácias e drogarias que aderirem à campanha deverão ligar, imediatamente, para o 190 e reportar a situação. O projeto conta com a parceria de 10 mil farmácias e drogarias em todo o país.

O protocolo especial de atendimento será apresentado a milhares de trabalhadores das milhares de farmácias que participam da campanha. A capacitação será voltada para o atendimento e acolhimento a essa mulher, e não prevê que os balconistas ou farmacêuticos sejam conduzidos a delegacias nem chamados a testemunhar. Fonte: Agência CNJ de Notícias