Divulgação

A Bahia fechou 17.033 postos de trabalho com carteira assinada em maio de 2020. O boletim foi divulgado, nesta segunda-feira (29), pela Superintendência de Estudos Econômicos e Sociais da Bahia (SEI), que usa os dados do Novo Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Novo Caged).

De acordo com o Novo Caged, os números são resultado da diferença entre 24.664 admissões e 41.697 desligamentos ocorridos em maio. Eles foram superiores ao mês de abril, quando 32.482 postos celetistas foram fechados.

Por outro lado, o resultado ficou abaixo do registrado em maio de 2019, quando 2.540 postos de trabalho foram criados no estado. O Novo Caged emprega dados do Sistema de Escrituração Digital das Obrigações Fiscais, Previdenciárias e Trabalhistas (eSocial), do Empregador Web e do antigo Caged.

Comparação com outros estados

Em maio, a Bahia ficou na 9ª posição em relação a geração de posições celetistas dentre os estados nordestinos e a 21ª colocação dentre todos os estados brasileiros, informou a SEI. A secretaria acrescenta que a crise provocada pela Covid-19 se desdobrou por todo o país e apenas o Acre teve números positivos, com a criação de 130 postos de trabalho em maio.

No Nordeste, a Bahia foi acompanhada pelo Ceará (-9.476 postos), Pernambuco (-6.952 postos), Sergipe (-3.410 postos), Paraíba (-3.405 postos), Piauí (-3.359 postos), Rio Grande do Norte (-3.027 postos), Alagoas (-2.372 postos) e Maranhão (-1.238 postos). (G1)