Governador critica atuação do presidente durante a pandemia

O governador da Bahia, Rui Costa (PT), classificou como “inaceitável” a saída do segundo ministro da Saúde do Brasil em meio à pandemia do coronavírus que já infectou 202 mil brasileiros e tirou a vida de 13,9 mil. “Plena pandemia, em 30 dias, dois ministros da Saúde demitidos por não aceitarem seguir as orientações médicas de um presidente que nada entende de Saúde”, reclamou Rui Costa através de publicação no Twitter.

O petista completou o texto afirmando que “o país exige respeito à vida, à medicina e à ciência”.

O Ministério da Saúde divulgou no final da manhã desta sexta-feira (15) o pedido de exoneração do ministro Nelson Teich da pasta. Teich deixou o governo Bolsonaro menos de um mês após assumir o cargo no lugar de Luiz Henrique Mandetta.

Divergências com o presidente da República Jair Bolsonaro (sem partido) em relação ao uso da cloroquina são apontadas como um dos motivos para Teich ter deixado o cargo.

Recentemente, o ex-ministro alertou para o risco da cloroquina, medicamento que Bolsonaro defende no tratamento do novo coronavírus. Em entrevista coletiva na última quarta (13), Bolsonaro pediu que os ministros estivessem “afinados” com os ideais dele.

Teich tomou posse no cargo no dia 17 de abril e teve uma passagem marcada por poucas aparições. No domingo (10), o então ministro publicou nas redes sociais uma mensagem lamentando a morte de mais de 10 mil brasileiros, vítimas da Covid-19.

Outra controvérsia entre Teich e Bolsonaro aconteceu na última segunda-feira (11), quando o então ministro soube através de jornalistas que o presidente decretou academias, barbearias e salões de beleza com serviço essencial