Projeto para fabricação de protetores faciais ultrapassa 31 mil unidades entregues

O Voluntariado Maker, uma iniciativa de pesquisadores, estudantes, empreeendedores e voluntários voltada para a produção de barreiras mecânicas de proteção facial através do uso de máquinas de fabricação digital, mobilizou mais dois hubs de impressão 3D, desta vez em Maraú e Jaguaquara. O trabalho, que se aproxima das 31 mil unidades entregues a diversos hospitais do Estado, fornece gratuitamente equipamentos de proteção individual essenciais para os profissionais de saúde minimizarem o risco do contágio do novo coronavírus.

Apoiado pelo Governo do Estado, através de Secti, Sesab, SDE, SEC, Seplan, Casa Civil e Corpo de Bombeiros, os protetores faciais já foram entregues em diversas cidades baianas, entre elas: Salvador, Camaçari, Dias D’ávila, Guanambi, Ilhéus, Itabuna, Jequié, Ipiaú, Jitaúna, Vitória da Conquista, Feira de Santana, Bom Jesus da Lapa, Lauro de Freitas, Valença, Alagoinhas, Irecê, Barreiras e Cruz das Almas.

Ao todo, o Voluntariado Maker articula 18 pontos de fabricação, engajados em empreendimentos como os projetos Face Shield For Life 3D e o Corona Vidas. Somente em Salvador e Região Metropolitana, com o uso exclusivo de impressoras 3D e máquinas de corte a laser, os voluntários alcançaram a marca de 4.038 máscaras do tipo Face Shield, cumprindo a meta inicial. A próxima etapa será fabricar e atingir a marca de 40 mil barreiras mecânicas de proteção facial, que será viabilizada após a produção em escala industrial dos makers liderados pelo coletivo Corona Vidas. O projeto também tem o apoio de empresas e multinacionais, a exemplo dos voluntários de Feira de Santana, que tiveram o apoio da Braskem, através de doação de 2,5 toneladas de polietileno para a iniciativa Corona Vidas e outros insumos básicos para a fabricação das máscaras, a exemplo de doações para a aquisição de filamentos, elásticos e folhas de acetato (matéria-prima básica para a fabricação das máscaras).

O reitor da Universidade Estadual de Feira de Santana (UEFS), Evandro Silva, celebra os resultados. “Nesse momento de resposta à gravidade da Covid-19, a proteção dos profissionais de saúde é imprescindível. A UEFS se soma ao movimento de produção de protetores faciais para auxiliar esses profissionais, cumprindo seu papel social. Agora, a nossa meta é produzir e distribuir 5.000 unidades com o uso de impressão 3D”, declarou.

Além disso, as cidades de Teixeira de Freitas e Irecê, que já contavam com as impressoras 3D para fabricação, receberam os materiais necessários para imprimir as máscaras e em breve ajudarem na proteção de outros profissionais de saúde em toda Bahia. De acordo com o reitor da Universidade do Estado da Bahia (UNEB), José Bites de Carvalho, para o efetivo enfrentamento à pandemia, é fundamental que as instituições de Educação, Ciência e Tecnologia estejam unidas em busca de soluções. “Outra importante questão é a oferta de condições adequadas aos profissionais de serviços essenciais e às comunidades mais vulneráveis à contaminação pela Covid-19. A UNEB compreende a importância dessa articulação e envida todos os esforços possíveis, que vão desde a cessão de impressoras 3D, até a produção de protetores faciais para profissionais de saúde em todo Estado”, afirmou.

A secretária de Ciência, Tecnologia e Inovação da Bahia, Adélia Pinheiro, comemorou os resultados da ação e lembrou a importância do espírito voluntário em momentos como o atual. “Esta ação, a qual buscamos produzir insumos estratégicos que estejam em falta no mercado, mostra, mais uma vez, a solidariedade do povo baiano. Juntos, empresários, makers, estudantes, professores, anônimos, poder público e iniciativa privada, fabricam e doam aos profissionais de saúde, que estão na linha de frente no enfrentamento à doença, equipamentos necessários para protegê-los do vírus, então, isso nos deixa entusiasmados para seguir com ações que nos ajudem a superar esse momento tão difícil”.

Além da UNEB, a equipe de makers conta com colaboradores da Escola Bahiana de Medicina, outras universidades estaduais, como UESC e UESB, bem como universidades e institutos federais baianos, como no caso do IFBA, UFOB, UFSB, UFBA e UFRB. Outras cidades beneficiadas pelo projeto são: Aiquara, Alagoinhas, Amélia Rodrigues, Barra do Choça, Boa Nova, Brejões, Brumado, Caetité, Canapolis, Cariranha, Condeúba, Gongogi, Ibirataia, Igaporã, Iguai, Ipiau, Irajuba, Itagi, Itagiba, Itajuípe, Itamari, Itambé, Itapetinga, Itaquara, Itarantim, Itiruçu, Ituaçu, Jacaraci, Jaguaquara, João Dourado, Juguaquara, Lafaite Coutinho, Lajedo do Tabocal, Livramento de Nossa Senhora, Maetinga, Maracás, Mata de São João, Mortugaba, Nova Canaã, Nova Itarana, Paramirim, Pindaí, Piripá, Planaltino, Poções, Ribeirão do Lago, Rio de Contas, Santo Antônio de Jesus e Tancredo Neves.