Divulgação

Ao longo dos últimos dias, vários leitores entraram em contato com a nossa redação relatando falhas no processo de triagem realizado pela vigilância epidemiológica em Ilhéus. Segundo alguns relatos, só estariam sendo considerados casos suspeitos do Covid-19, o coronavírus, pessoas que estiveram em áreas com casos registrados ou que tiveram contato com pessoas destas áreas.

Uma leitora, que preferiu não se identificar, relatou que ao entrar em contato com a central da vigilância epidemiológica de Ilhéus, apenas lhe foi orientado para ficar em casa. Nesta segunda-feira (23), ao sentir uma piora no quadro, foi até a UPA mais próxima onde os dados dela foram colhidos, mas nenhuma ação foi realizada para testar se a paciente estava positiva para o covid-19.

Outros relatos apontam para uma subnotificação de casos potencialmente relacionados ao coronavírus. Pacientes com os sintomas da doença informaram que estão sendo diagnosticados como gripes comuns ou até mesmo viroses, sem realizar a coleta de material para o teste.

Por meio do Instagram, o portal Ilhéus Eventos divulgou um vídeo com o relato de Verônica Rabat (veja abaixo). Ela afirma que ao entrar em contato com a central da vigilância epidemiológica, apenas lhe foi orientado para ficar em casa em quarentena. Verônica também cita outros casos relacionados.

View this post on Instagram

Conheça o caso de Verônica Rabat

A post shared by Ilhéus Eventos (@ilheuseventos) on

Problemas das subnotificações

A subnotificação dos casos pode fazer com que os números reais do coronavírus sejam bem maiores do que os noticiados. Segundo uma estimativa do Centro para Modelagem Matemática de Doenças Infecciosas da London School of Tropical Medicine, do Reino Unido, o Brasil pode ter mais de 15 mil casos de coronavírus.

Segundo os especialistas, isso acontece porque a grande maioria – cerca de 80% dos casos – é assintomática ou apresenta sintomas muito leves, e acaba não sendo diagnosticada. Atualmente, apenas os casos mais graves, que chegam aos hospitais e são testados, estão recebendo o diagnóstico oficial.

“Dentre os casos que apresentam sintomas, apenas uma parte procura o sistema de saúde”, explicou Medronho. “Desses que vão ao hospital, apenas parte é diagnosticada como covid-19 e outra parte pode receber um diagnóstico errado. E ainda tem casos que não são notificados oficialmente.”

Nós do Blog Ilhéus 24h deixamos o espaço aberto para que os órgãos responsáveis possam se manifestar sobre os relatos e reforçamos o nosso compromisso com a informação. Também ressaltamos o pedido para todos permanecerem em casa o máximo possível e tomem as medidas preventivas indicadas pelas autoridades em saúde.