O cantor e deputado se envolveu em mais uma polêmica com a PM

O cantor Igor Kannário arrastou uma multidão pelas ruas de Salvador durante este carnaval. Na tarde de segunda-feira (24), no entanto, se envolveu em mais uma polêmica com a polícia militar enquanto realizava o circuito do Campo Grande.

O cantor e deputado parou de cantar por diversas vezes e agrediu verbalmente a Polícia Militar. “Vem, seu b*** mole”; “Se acontecer alguma coisa comigo, quem me matou foi a polícia militar”. O cantor continuou: “Eu peço pra imprensa filmar isso aí. Abuso de poder, abuso de autoridade. Eu quero uma vaia para a polícia militar da Bahia, agressores”, ao ver policiais atuando contra foliões exaltados que acompanham o trio.

Repúdio da PM-BA

As declarações do cantor geraram reações pela Polícia Militar da Bahia (PM-BA), que divulgou uma nota: “A Polícia Militar da Bahia repudia as provocações e agressões feitas à tropa pelo Igor Kannário durante a passagem do trio na tarde desta segunda-feira (24), no Campo Grande. Além da atitude irresponsável e criminosa o também deputado federal incitou os foliões contra os policiais militares que faziam o policiamento do circuito Osmar. É inaceitável que qualquer pessoa, ainda mais um parlamentar, tente comprometer a honra da instituição e de policiais militares que estão comprometidos e empenhados na defesa da sociedade baiana. Todas as medidas judiciais cabíveis que o caso requer serão adotadas.”

Governador aciona a PGE

O governador Rui Costa acionou a Procuradoria Geral do Estado (PGE) para que o órgão adote as medidas legais cabíveis no caso. A PGE entrará com uma representação junto ao Ministério Público da Bahia a fim de que este adote, no âmbito de sua competência, ações que entender cabíveis em relação às declarações do cantor Igor Kannário na tarde de segunda (24).

A decisão de acionar a PGE foi anunciada pelo governador em postagem feita em seu perfil oficial no Twitter, nesta terça-feira (25). “É inaceitável o ato público de desrespeito e agressão contra a Polícia Militar da Bahia registrado ontem no Campo Grande. Acionei a Procuradoria Geral para que o Estado formalize uma representação junto ao Ministério Público da Bahia a respeito deste fato. Medidas cabíveis que estiverem no âmbito do MP precisam ser tomadas em respeito à PM e em defesa da honra de pais e mães de família que fazem parte da corporação”, disse Rui na rede social. 

A Procuradoria Geral do Estado considera o fato gravíssimo, por atentar contra a ordem pública, no uso de um trio elétrico patrocinado pelo erário municipal. O órgão estadual também estuda a adoção de outras medidas em relação ao caso.