Jovem foi colocado em programa de proteção. FOTO: Reprodução/Correio

Após um policial militar ser filmado agredindo um rapaz negro em uma abordagem no bairro de Paripe, no último domingo (2), a Polícia Militar da Bahia (PM-BA) vai adotar palestras da Marcha de Emponderamento Crespo no curso para formação de soldados da categoria. A informação foi divulgada pela fundadora do grupo, Naíra Gomes, em entrevista à Rádio Metrópole, nesta quinta-feira (6).

“Estivermos no Comando de Policiamento Regional da Capital Baía de Todos os Santos da PM. Estivemos com Coronel Lopes. A gente dialogou a tarde inteira. Não são casos isolados. Precisa resgatar essas pessoas. Foi um diálogo fantástico com a PM, e vamos fazer uma palestra dentro do curso de formação de soldados”, disse.

Na gravação, o jovem de 16 anos aparece sendo revistado e, em seguida, acaba agredido com murros nas costas. O PM, que não teve a identidade revelada, também faz insultos racistas ao jovem após retirar sua boina e criticar o penteado, no estilo black power. 

Ao ouvir o rapaz dizer que é trabalhador, o PM retruca: “Você pra mim é um ladrão. Você é vagabundo! Essa desgraça desse cabelo. Tire aí [o chapéu], vá! Essa desgraça aqui. Você é o quê? Você é trabalhador é, viado?”

Corte de cabelo
Em entrevista ao CORREIO, o jovem afirmou que está com medo e, temendo uma represália após a repercussão do caso, contou que pretende cortar o cabelo.

“Não me sinto mais à vontade para usar [o black power]. Me sinto ameaçado, se ele [o PM] vai querer me pegar por causa do vídeo, fazer maldade comigo”, comentou.

Ele relembrou que no dia da abordagem tinha levado uma amiga de sua namorada no ponto de ônibus. “Parei para conversar com um colega que tava de carro. Foi quando a viatura veio e fez a abordagem. Deu chute primeiro na perna do meu colega e depois veio para cima de mim. Falou que eu era vagabundo com esse cabelo aqui, ladrão”. (Correio)