Divulgação

A ração essencial mínima, definida pelo Decreto lei 399, de 30 de abril de 1938, que estabelece 12 produtos alimentares (feijão, arroz, farinha de mandioca, pão, carne, leite, açúcar, banana, óleo, manteiga, tomate e café) e suas respectivas quantidades, passou a custar R$340,34 no mês de novembro na cidade de Ilhéus, um aumento de 4,52% comparativamente ao mês anterior.

Dos 12 itens que compõem a cesta básica, sete aumentaram de preço: banana (38,04%), feijão (19,89%), arroz (10,02%), carne (7,59%), óleo (3,50%), manteiga (1,42%) e açúcar (0,92%). Em contrapartida, reduziram de preço os seguintes itens: tomate (38,94%), farinha (1,46%), leite (0,55%) e pão (0,28%). O café não apresentou variação de preço entre outubro e novembro.

Em novembro, o tempo de trabalho despendido para se obter a cesta básica em Ilhéus foi de 81 horas e 32 minutos, um comprometimento de 37,07% de um salário mínimo líquido de R$918,16 – descontando-se 8% de contribuição previdenciária do salário bruto de R$998,00 – para adquirir os 12 itens da cesta.