Foto Mariana Ferreira – Ascom Biofábrica

A Biofábrica de Cacau recebeu, na última semana, duas missões que reforçam a Agenda Biofábrica em seus 20 anos de fundação. A primeira promoveu um dia de trabalho para a implantação de um curso técnico voltado para o cacau e o chocolate. Já a segunda objetivou o incentivo à produção de mudas tendo em vista o fomento do setor agrícola baiano.

A primeira visita, na quarta-feira (6), coordenada pelo professor Robson Costa, representante da Secretaria da Educação do estado da Bahia, contou com a presença do diretor da Biofábrica, Lanns Almeida, e de representantes do Itaú BBA, da Suprot-Superintendência de Educação Profissional e Tecnológica, da UFSB-Universidade Federal do Sul da Bahia, do Cetep-Centro Territorial de Educação Profissional Litoral Sul, Ceep-Centro Estadual de Educação Profissional em Biotecnologia e Saúde e Sindicato Rural de Itabuna.

O dia de trabalho com o grupo fez parte de uma das etapas de construção do curso Técnico em Agroindústria – Cacau, Chocolate e Derivados, com previsão de início em 2020. O curso terá como objetivo aprofundar o conhecimento sobre a cadeia produtiva do cacau, oportunizando-o no desenvolvimento econômico e rural da Bahia.

“O governo do estado da Bahia, por meio da Secretaria da Educação, vem implementando diversos cursos atendendo aos Territórios de Identidade e às suas cadeias produtivas, e construir um curso voltado para o cacau e chocolate é fundamental para dinamizar e formar uma massa crítica e inserir jovens no mercado de trabalho. Então, o governo do estado vem investindo em parcerias como essa com a Biofábrica, como espaço de aprendizado, de formação. O GT [grupo de trabalho] que constrói o curso fez uma visita técnica aos viveiros e laboratório e discutimos a Biofábrica como um espaço educativo, que podemos contar com cooperação técnica e científica na construção desse currículo”, explicou Robson Costa. 

“Fiquei muito impressionado com o trabalho técnico e de desenvolvimento de pesquisa e tecnologia. Saio daqui com uma impressão muito produtiva e com a certeza de que essa parceria nos renderá grandes frutos”, completou.

Na quinta-feira (7), a missão coordenada pelo deputado estadual e líder do governo do estado na Assembleia Legislativa da Bahia (ALBA), Rosemberg Pinto, buscou fazer um reconhecimento da Biofábrica. Em visita aos viveiros, estufa, laboratório e verificando o modo de produção de mudas, o deputado destacou a importância do equipamento para os baianos e a necessidade de se unir esforços para que a Biofábrica funcione em seu pleno potencial, atendendo a toda a cadeia produtiva, principalmente do cacau. 

“Fiquei surpreendido com a capacidade que a nossa Biofábrica tem. O que me chamou a atenção é que estamos com 85% de capacidade ociosa no nosso laboratório. E nós temos capacidade de produzir por ano 17 milhões de mudas. Precisamos que isso se torne realidade, por isso vou conversar com o secretário de Agricultura, com o secretário de Desenvolvimento Rural, Josias Gomes, que conhece a nossa região, e com o governador Rui Costa sobre a importância da Biofábrica, já que ele olha para nossa região com muito carinho. Aqui na Biofábrica vi que precisamos de um investimento de em torno de R$ 10 milhões. Esse investimento, sem dúvida alguma, vai alavancar para produzir rapidamente, inclusive, resultados através de ICMS”, destacou.

“Saio daqui extremamente feliz, com o compromisso de, junto ao governo, buscar as condições para que a gente possa ocupar esse espaço ocioso e produzir mais e melhor, não só para a agricultura familiar, mas para toda a área produtiva, especialmente a do cacau”, concluiu Rosemberg Pinto.