Consolidar os avanços e promover um choque de gestão, num modelo democrático e participativo que valorize a excelência no ensino, na pesquisa, na extensão na Universidade Estadual de Santa Cruz. Essa é a meta de Alessandro Fernandes de Santana, candidato a reitor, que tem como vice o professor Mauricio Moreau, pela chapa “Uesc in Altum”- #Diversidade#Integração#Excelência#Inovação

Graduado em Ciências Econômicas (UESC) e em Administração de Empresas (UESC), especialistas em Economia de Empresas e  Mestre em  Cultura e Turismo, pela UESC/UFBA; Doutor em Ciências Sociais, Desenvolvimento, Agricultura e Sociedade pela Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro (UFRRJ), Alessandro é Atualmente professor no Departamento de Ciências Econômicas e Pró-Reitor de Extensão da Uesc.

“A proposta partiu de um grupo formado por professores, técnicos administrativos e estudantes, que há alguns anos vislumbrou um projeto para a Uesc no sentido de avançarmos ainda mais”, afirma. Segundo ele, a universidade cresceu bastante nas últimas três gestões, da professora Renée Albagli, o professor Joaquim Bastos e a professora Adélia Pinheiro. “Nos preparamos para esse desafio  e estamos colocando nosso nome à disposição da comunidade acadêmica”, afirma.

Alessandro Santana pretende  consolidar e ampliar os avanços alcançados e promover um choque de gestão. Ele defende um modelo de gestão mais participativa e democrática, que valorize cada vez mais os servidores, tanto professores quanto os técnicos administrativos, sempre com foco na excelência da universidade.  “Vivemos um  momento muito difícil no país e precisamos de uma gestão eficiente dos recursos disponíveis e para isso temos que inovar. Nós temos a diversidade, a integração a excelência e a inovação como mote da nossa candidatura”, diz.

“A Uesc hoje é destaque em rankings nacionais e internacionais de avaliação, mas precisamos colocar o ensino de graduação e pós-graduação em um nível de excelência, avançar ainda mais na pesquisa e inovação, na extensão e impulsionar o processo de internacionalização da instituição. Temos que cada vez mais ir além dos muros da universidade, ter uma presença marcante na região, como instituição propulsora de desenvolvimento, mas com um foco ampliado, pois a universidade é uma instituição universal”, ressalta.

O candidato a reitor lembra que nas  duas ultimas gestões, a UESC ampliou suas atividades em uma série de municípios da região, estabelecendo parcerias institucionais com prefeituras e movimentos sociais, o que é muito importante para a comunidade.

A região passa por um novo momento, após décadas dependendo do cacau. Atualmente, ampliam-se os investimentos na diversificação da produção, como por exemplo: chocolate, agroindústria, o turismo, o polo tecnológico. “Durante três décadas a UESC foi a única instituição pública de nível superior a contribuir com essas transformações através da educação, pesquisa, extensão”, afirma Alessandro, destacando que “hoje partilhamos essa responsabilidade com a Universidade Federal do Sul da Bahia, o IfBaiano, o Ifba, e com instituições privadas de ensino superior no eixo Itabuna-Ilhéus, além da CEPLAC”.

Ele defende um trabalho em rede, desenvolvendo ações conjuntas e a implantação do Parque Tecnológico, já que a UESC tem um papel fundamental nesse processo de impulsionar o desenvolvimento regional.

“Nós temos que produzir ciência, oferecer respostas para as demandas da sociedade. Quando você leva a UESC a uma comunidade, oferece conhecimento, mas também recebe conhecimento. Essa é uma via de mão dupla”, diz.

Alessandro Santana destaca ainda que a eleição é um processo pedagógico, um processo educativo. “Todos os candidatos querem o melhor para a Universidade, são colegas de trabalho que têm propostas a oferecer. O que eu e o professor Maurício estamos apresentando são nossos currículos, nossa história na UESC, nossa capacidade de realização e nosso compromisso para com a instituição. Não é hora de regredir e sim de corrigir o que for necessário e avançar muito mais”.

“Avaliem as propostas e o perfil de cada candidato, participe dos debates e compareça para votar. Isso é muito importante para os destinos da UESC. Vamos fazer uma campanha extremamente  ética, propositiva e mostrar é que é possível fazer uma eleição baseada em idéias e ideologias diferentes, mas que convirjam no respeito, buscando os melhores caminhos para a UESC”, finaliza Alessandro Santana.