Semana Nacional de Combate ao AVC reúne público para falar sobre riscos da doença.

A Secretaria Municipal de Saúde (Sesau) e o Programa de Pós-Graduação em Ciências da Saúde, da Universidade Estadual de Santa Cruz finalizam nesta quarta-feira (30), as ações de prevenção, orientação e combate ao Acidente Vascular Cerebral (AVC), mais conhecido como derrame cerebral. Desde a terça-feira (29), as atividades ocorrem na Praça José Joaquim Seabra, no Centro.

Durante a semana de combate ao AVC, oferta dos serviços de triagem (aferição de pressão arterial e teste de glicemia capilar); realização também de Eletrocardiograma; avaliação clínica; medição de peso; altura e Índice de Massa Corporal (IMC).

“Esse evento é muito significativo para a população. Farei um teste para medir minha glicemia e aferir a pressão. É importante cuidar da nossa saúde”, lembrou Antônio Gomes, de 59 anos, morador da Princesa Isabel. A ação está sob a coordenação do neurologista Antônio Fernando Ribeiro Silva Junior.

“A maioria das ocorrências é causada por hipertensão, diabetes, maus hábitos alimentares, sedentarismo, fumo e bebida alcoólica em excesso. Esses fatores são controláveis se adotarmos um hábito de vida saudável e mantermos o acompanhamento médico periódico”, destacou o neurologista.

Na oportunidade, afirmou ainda que é possível prevenir o AVC em até noventa por cento dos casos, quando há cuidado adequado. Já a fisioterapeuta Graciele Santos explicou que o atendimento é dividido de acordo com o planejamento de reabilitação na fase aguda e na crônica.

“Na fase aguda, quando o paciente acaba de ter o AVC, o membro afetado deve ser auxiliado principalmente pelo membro superior sadio. É recomendada a realização de exercícios de amplitude de movimento, levando o membro superior em direção ao teto ou para a face lateral do corpo”.

A fisioterapeuta acrescentou que na fase crônica é indicado que o paciente realize o exercício de descarga de peso, conhecido como ponte. “Evitar exercícios de apertar bolinha e o uso de tipoia. Quem teve um AVC tende a querer fechar a mão. Portanto, o correto é realizar exercícios de alongamento”.

A aposentada Maria Lígia Santos, de 72 anos, contou que a ação ajuda no entendimento em relação à doença. “Esse evento nos orienta como cuidar da saúde. Má alimentação, sono irregular, pouca ingestão de água. Precisamos adotar hábitos saudáveis para não sermos mais uma pessoa afetada pelo AVC”.

A Atenção Básica informa que será realizado um treinamento teórico com médicos, enfermeiros e agentes comunitários sobre a semana de combate ao AVC, na quinta-feira (31), no auditório da Faculdade Madre Thaís (FMT), das 8 às 12h.

Já na sexta-feira, 1º de novembro, as equipes realizarão treinamento prático na Unidade de Pronto Atendimento (UPA24h), do bairro da Conquista, no Hospital São José e no Hospital Regional Costa do Cacau.

A ação conta com o apoio da Faculdade Madre Thais, Unimed Ilhéus e Clínica 2 de Julho. De acordo com a Sociedade Brasileira de Doenças Cerebrovasculares (SBDCV), o AVC é a principal causa de incapacidade em todo mundo. A SBDCV criou a combinação SAMU192 para reconhecimento dos sintomas.

Sorria – Peça para a pessoa dar um sorriso. Assim é possível identificar se a boca está torta;

Abrace – Veja se a pessoa consegue levantar os braços. Assim é possível perceber se há perda de força;

Música – Repita a frase como uma música. Com esse exercício pode-se notar dificuldade na fala;

Urgente – Identificou algum dos sintomas? Ligue para o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU192).