Mais dois pontos de Ilhéus registraram aparição de óleo e outras três cidades registraram pela primeira vez.

Subiu para 22 o número de cidades baianas atingidas pelas manchas de óleo que têm afetado o litoral do Nordeste brasileiro. Segundo dados atualizados nesta terça-feira (29), além dos 19 municípios que já tinham sido contabilizados, entram para a lista Valença e Nilo Peçanha, no baixo sul do estado, e Jaguaripe, no recôncavo. A Bahia está em situação de emergência.

Nesta terça-feira, também foram registrados novos pontos de contaminação na cidade de Ilhéus, no sul do estado. Durante a manhã, a substância chegou à praia da Avenida Soares Lopes e à Praia da Ponta do Ramo. Com isso, subiu para três o número de pontos afetados no município.

Em Valença, as manchas chegaram na madrugada de segunda-feira (28). Segundo a prefeitura, pequenas pelotas foram encontradas na Praia de Taquari. O material já foi recolhido e equipes de monitoramento da prefeitura e voluntários acompanham a região. Ainda não há um balanço do volume recolhido na região.

No município de Nilo Peçanha, foram afetados Barra dos Carvalhos e Praia do Patigi. As manchas chegaram na última quinta-feira (24) e foram recolhidas no dia seguinte. Na segunda elas voltaram e já foram limpas. Cerca de 100 quilos foram removidos ao todo.

Nesta terça-feira, as praias da cidade seguem limpas e sob monitoramento. Segundo o secretário de Meio Ambiente, Marcos Eder, há grande preocupação com o estuário, ambiente aquático de transição entre um rio e o mar, por conta dos peixes, que representam cerca de 70% do mercado da região.

Antes da atualização, os municípios afetados mais recentes eram Una e Ituberá. Em Una, as manchas chegaram na segunda-feira. Até então, a cidade não tinha sido afetada.

Já em Ituberá, o óleo apareceu novamente. Um dos três pontos atingidos no município é a Praia de Pratigi, onde acontece uma das festas de Réveillon mais famosas do país, o Universo Paralello.