Entidades, representes do governo e sociedade civil compareceram na manhã desta sexta-feira (20) à passeata denominada “Vem Porto Sul” em apoio ao projeto. Durante a caminhada, os participantes destacaram a importância do ato a favor da implementação de empreendimento, que de acordo com a grande maioria, é a engrenagem que irá impulsionar o desenvolvimento econômico e social da cidade de Ilhéus e da região Sul da Bahia.

O secretário municipal de Desenvolvimento Econômico, Meio Ambiente e Urbanismo, Jerbson Moraes explica que esse projeto coloca Ilhéus no cenário mundial. “A cidade precisa mostrar para o mundo, a necessidade desse empreendimento que vai alavancar a economia da região. O ato realizado hoje é o primeiro de muitos movimentos em prol da iniciativa”, frisou.

Em entrevista à TV Santa Cruz, emissora afiliada à Rede Globo, o prefeito Mário Alexandre reafirmou a viabilidade para a implantação do projeto, que de acordo com ele é promissor, com garantia da empregabilidade local e aumento da renda “Estamos lutando junto aos governos estadual e federal para que ainda no primeiro semestre de 2020, as obra sejam iniciadas”.

“O Porto Sul vai colocar Ilhéus no caminho do desenvolvimento, trazendo emprego para a nossa juventude e melhoria na vida dos moradores”, enfatizou Ivonete Brasil Santos, moradora do Itariri, zona rural do município. Jorge Menezes, primeiro secretário do Satélite Esporte Clube de Remo destacou que “o Porto Sul é uma ferramenta muito importante para o país e Ilhéus é o local propício para o estabelecimento desse grande empreendimento”.

“O Porto Sul não tem importância apenas para a cidade de Ilhéus. O impacto positivo dessa obra é regional. Para a população ilheense, a chegada desse empreendimento é um presente. Há mais de 20 anos a cidade carece de um investimento desse porte”, enfatizou Júlio César Melo, superintendente de Desenvolvimento Econômico, Indústria e Comércio.

O projeto já avançou em muitos pontos. Em maio último, o governador Rui Costa e representantes da Bahia Mineração (Bamin) assinaram o termo de unificação dos terminais do Porto Sul e a constituição da Sociedade de Propósito Específico (SPE). A assinatura do termo permite o início do processo de desapropriações necessário à implantação do Porto.