A terceira edição do Prêmio Cidades Sustentáveis (PCS) recebeu 114 inscrições de boas práticas municipais, políticas inovadoras e bem-sucedidas na redução das desigualdades. Foram inscritos projetos e ações públicas de 61 municípios, distribuídos por 15 estados de todo o Brasil. Salvador e Ilhéus são os únicos municípios baianos inscritos, por serem cidades signatárias do PCS e das associações parceiras, fundamentais para disseminação de assuntos que tratam desse objetivo.

A cerimônia de entrega do prêmio acontecerá no dia 18 de setembro, durante a conferência Catalisando Futuros Urbanos Sustentáveis. O encontro reúne o 3º Encontro da Plataforma Global Cidades Sustentáveis e a 2ª Conferência Internacional Cidades Sustentáveis. Especialistas que integram o corpo de jurados realizarão a análise das boas práticas inscritas, de acordo com os critérios estabelecidos.

A premiação irá considerar os resultados concretos e mensuráveis em três categorias: Desigualdade econômica (foco em gênero e raça), Acesso à serviços (Saúde, Educação e Infraestrutura) e Acessibilidade. Neste ano, o prêmio é promovido pelo Programa Cidades Sustentáveis e Oxfam Brasil, em parceria com a Associação Brasileira de Municípios e Frente Nacional de Prefeitos. A iniciativa conta com apoio do CITinova, Fundação Ford e Instituto Arapyaú.

Desigualdade – É um problema muito além da distribuição de renda; está presente no acesso a serviços básicos de saúde e educação, na oferta de equipamentos e em muitas outras áreas como transporte, segurança, habitação e acessibilidade. Elas impactam, sobretudo, a vida da população negra, das mulheres e das minorias. Para saber mais, acesse o site www.cidadessustentaveis.org.br