O projeto ilheense e exitoso “Educar para não afogar”, iniciativa que destaca a cadeia de sobrevivência no afogamento, estará no bairro Teotônio Vilela, zona oeste da cidade, nesta quinta-feira (1º), às 17h. As atividades acontecem na sede da Associação de Moradores do bairro. A ação visa conscientizar os moradores do bairro sobre os riscos de afogamento durante a pesca e ao banho de rio.

O bairro apresenta índices de afogamento por ser banhado por dois rios, Fundão e o Cachoeira, como afirma o idealizador do projeto e salva-vidas, Domingos Madureira. “Muitas famílias buscam nos manguezais sua fonte de sobrevivência catando mariscos, e por isso, é necessário que a população tenha conhecimento sobre a cadeia de sobrevivência do afogamento, além das técnicas de salvamento e emergência aquática”, argumentou Madureira.

O salva-vidas Domingos salienta ainda que durante a aula prática, por exemplo, os facilitadores aplicam medidas de prevenção, primeiros socorros e técnicas de salvamento na água. “Os alunos participantes aprendem sobre orientações que devem ser repassadas aos banhistas”. Madureira convoca ainda para que todos estejam unidos na prevenção contra os afogamentos no Brasil.

A Prefeitura conta com 29 postos fixos com duplas de salva-vidas para o trabalho de fiscalização e orientação aos banhistas, distribuída entre a praia de Mamoan, no litoral norte, até Águas de Olivença, no litoral sul. O projeto está à disposição de outras localidades. Os interessados devem procurar a base do Corpo de Salva-vidas, na Avenida Soares Lopes, ou ligar para o telefone: (73) 98872-9323.