O Centro de Controle de Zoonoses (CCZ) do município alerta à população de Ilhéus que esta época do ano, é favorável ao surgimento de escorpiões, período que as fêmeas têm maior concentração de veneno. Também dá dicas sobre como proceder caso alguém se depare com um desses animais, que está enquadrado na classe dos aracnídeos, assim como as aranhas.

De acordo com o chefe de Vigilância do CCZ, Aloísio Leite, os principais disseminadores de escorpiões, geralmente são cemitérios e imóveis insalubres, e cita os terrenos com entulhos e mato alto, residências com acúmulo de inservíveis, madeiras, sobras de construção e redes de esgoto expostas (inclusive vias públicas).

Algumas espécies têm expectativa de vida de até 10 anos e, para evitar a presença deles dentro de casa, é necessário tomar alguns cuidados preventivos. Como o escorpião se alimenta de baratas, é bom evitar o surgimento do inseto, mantendo o ambiente bem limpo. Pilhas de madeira, cercas, tijolos, ferro velho e entulhos em geral também são os locais prediletos dos escorpiões.

“Estas espécies estão cada vez mais presentes no meio urbano. Se adaptam ao ambiente do homem devido ao crescimento acelerado dos centros. Por isso, é preciso que a população saiba quais medidas adotar para evitar acidentes e mortes por envenenamento. Outra dica é a criação de galinhas, para o caso de propriedades rurais. Elas são um remédio para estes casos ”, sugeriu Aloísio.

Prevenção – Manter limpos os quintais, não acumulando folhas secas, lixo e entulhos. Remanejar periodicamente materiais de construção armazenados, usando luvas de raspa de couro para proteger as mãos. Colocar o lixo em sacos plásticos fechados para evitar baratas e outros insetos. Conservar camas e berços afastados, no mínimo, 10 centímetros da parede.

Segundo o Ministério da Saúde a erradicação da espécie não é possível e nem viável por ser um grande predador natural de baratas e pequenos insetos. O CCZ orienta ainda a contratação de uma empresa especializada para a dedetização dos quintais e paredes é a forma mais correta de evitar a presença dos aracnídeos.

Em caso de acidentes, a Secretaria Municipal de Saúde (Sesau) recomenda ir imediatamente ao hospital mais próximo. Se possível, levar o animal ou uma foto para identificação da espécie, permitindo assim uma avaliação mais eficaz sobre a gravidade do acidente. Comunique e solicite o Setor de Zoonoses pelo telefone 73 99924-6384, uma vistoria para receber outras orientações.