FIOL é uma das principais obras beneficiadas com os investimentos.

Dos R$ 10 bilhões que o governo federal prometeu investir na Bahia nos próximos quatro anos, existe uma estimativa de que pelo menos R$ 5,2 bilhões irão para duas obras importantes tocadas pelo governo do estado: A Ferrovia de Integração Oeste-Leste (Fiol) e o Porto Sul, em Ilhéus. 

Os governos federal e estadual acirraram sua relação na última semana por conta da paternidade do aeroporto Glauber Rocha, em Vitória da Conquista. A União defendeu que a obra é sua, já que pagou por boa parte do equipamento. O governador Rui Costa, no entanto, argumentou que o estado executou toda a obra.

Do montante de R$ 10 bilhões anunciado pelo ministro da Infraestrutura, Tarcísio Gomes Freitas, a União empenhará pelo menos R$ 2,7 bilhões na Fiol.  A ferrovia é uma obra do governo federal inserida no Programa de Parcerias de Investimentos (PPI), mas, devido à importância e à capacidade para o desenvolvimento econômico do estado, foi tema no último ano de reuniões do governador Rui Costa para atrair investimentos das duas empresas chinesas que formam o consórcio Bahia Mineração. 

A Fiol ligará Figueirópolis, no Tocantins, e a Ferrovia Norte Sul a uma outra obra importante do estado: o futuro Porto Sul, em Ilhéus. A obra é considerada fundamental para a exportação do minério de ferro da Bahia Mineração, proveniente da mina Pedra de Ferro, que fica no município de Caetité. 

A construção do Porto Sul ainda não foi iniciada pela gestão de Rui Costa (PT) devido a problemas na Justiça, mas já conta com a promessa de receber pelo menos R$ 2,5 bilhões do governo federal. Ao todo, Porto Sul e Fiol receberão R$ 5,2 bi da União.