A sala fica localizada no distrito Japu, a 30 quilômetros de Ilhéus.

“Não imaginava que ficaria tão bonita. Estou muito feliz em ver que meu neto, agora irá estudar em um local digno para ele e para todas as nossas crianças da comunidade”, comentou Maria Paixão, de 59 anos e avó de Lucas Gabriel, de 10, aluno do 3º ano.

Gabriel e mais 30 crianças, agora já têm uma história para contar. Mas antes, cabe lembrar o estado que a atual gestão encontrou a Educação – em ruínas. A “escola da vergonha” ganhou repercussão nacional em matéria exibida no Fantástico, em meados de 2017, relembre AQUI.


A revolta com o estado insalubre do local, fez o prefeito Mário Alexandre assegurar as melhorias. “Infelizmente encontramos não apenas esta, mas 119 escolas que sofrem com o descaso dos governos passados. Educação é um direito da crianca”, disse na época, o prefeito de Ilhéus à imprensa.

Na manhã da última quinta-feira (27), uma comitiva municipal acompanhou o gestor, que presidiu o ato de inauguração da nova sala nucleada no distrito Japu, a 30 quilômetros de Ilhéus. Na ocasião, Mário Alexandre destacou a importância da entrega e reafirmou seu compromisso com a Educação.

“Quando estive aqui da última vez disse a mim mesmo que estas crianças nunca mais passariam por isso. Tenho afirmado que o descaso dos que ocuparam o governo ilheense no passado, gerou enormes prejuízos. Contudo, respondemos a isso com muito trabalho, e aqui a prova”, afirmou Mário.    

Na ocasião, a aluna Jamile Silva, de 8 anos leu uma mensagem de agradecimento ao prefeito, por ter cumprido e honrado a sua palavra em construir um espaço digno para se estudar e se aprender. “Estavam desmotivados, agora, voltam à sala de aula porque se sentem gente”, declarou o prefeito.

Tudo isso só foi possível graças a solidariedade do agricultor Domingos Miguel. Triste com a situação, doou o terreno para erguer a escola. “Por mais de vinte anos, muitos vieram aqui e prometeram. Outros, duvidaram, mas, o prefeito Marão entregou uma escola completamente nova e mobilhada”, comemorou.  

No entorno da escola, o município dedicou um espaço criativo, voltado ao lazer e diversão com uso de material reaproveitável. A professora Edilene Almeida ensinou por cinco anos e passou a responsabilidade à professora, Edclea Carvalho, que está há dois anos à frente dos trabalhos educacionais.