Casal trabalhava com agiotagem e foi executado em maio do ano passado.

Outro acusado de envolvimento na morte de um casal de colombianos, ocorrida em maio do ano passado, foi preso na noite desta quarta-feira (1°) em Ilhéus, no litoral sul baiano. Segundo o delegado do núcleo de homicídios da Polícia Civil local, Helder Carvalhal, policiais cumpriram o mandado de prisão preventiva contra Cosme Santana Nunes. Relembre o caso clicando neste link.

Ele e o empresário Magno Rodrigues são acusados pela morte e tentativa de ocultação dos corpos dos colombianos Yorleth Andres Alban Tenório e Diana Paola Zuluaga Grisales .  As vítimas atuavam com agiotagem (empréstimo de dinheiro a juros altos). Ainda segundo o delegado, Cosme confessou participação nos crimes, mas a motivação e autoria apontam para o empresário devido “à farta quantidade de provas”. 

O crime ocorreu no dia 18 de maio do ano passado. Segundo a Polícia, a apuração indica que Magno combinou com Cosme, empregado dele em um Lava Jato, o sequestro e a morte dos colombianos devido ao fato de o empresário dever R$ 7 mil às vítimas. Simulando que iria pagar o débito, Magno, na companhia de Cosme, levou as vítimas até um matagal próximo a um rio e executou as vítimas. Os dois acusados tentavam enterrar as vítimas  no cemitério Aritaguá, quando foram interceptados por policiais militares.

Magno chegou a ser preso em junho do ano passado, mas foi solto através de um habeas corpus dois meses depois. Ele responde o caso em liberdade. Cosme segue à disposição da Justiça na 7ª Coorpin.