Divulgação

Nesta terça-feira, dia 2 de abril, a Câmara Municipal de Ilhéus realizará um ato de mobilização e conscientização popular em defesa dos direitos das pessoas com Transtorno do Espectro Autista (TEA).

O evento proposto pelo vereador reeleito Presidente da Comissão de Direitos Humanos, Pastor Matos (PSD), será realizado em parceria com a Associação de Amigos do Autista – AMA, Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais de Ilhéus – APAE e o Centro de Apoio Universo do Aprender – CAUA.

O objetivo do evento é promover um movimento de conscientização, chamando a atenção da população ilheense para os desafios do Autismo, um transtorno no desenvolvimento do cérebro que afeta cerca de 70 milhões de pessoas em todo o mundo.

Conforme a programação, as atividades terão início as 8 horas na Praça JJ Seabra, em frente ao prédio do Legislativo, com a distribuição de panfletos e adesivos e rodas de conversa. Além dessas ações, será oferecido atendimento médico com a neuropediatra, Dra. Ana Carolina; psicológico, com o Dr. Gustavo Pestana; e psiquiátrico com o Dr. André Luís Rocha. O evento será concluído com a participação de representantes de diversas entidades ligadas à causa, a partir das 16 horas, durante a sessão plenária.  

O vereador Matos, autor da lei n° 3.997/2018 que obriga os estabelecimentos do município a incluírem o símbolo do autismo nas placas de atendimento prioritário, destacou que “ações como essas são de importância fundamental para a conscientização da sociedade e a inclusão social desse público”.

Transtorno do Espectro Autista (TEA): é uma condição resultante de uma complexa desordem no desenvolvimento cerebral. Engloba o autismo, a Síndrome de Asperger, o transtorno desintegrativo da infância e o transtorno generalizado do desenvolvimento não-especificado. Acarretando, assim, modificações importantes na capacidade de comunicação, na interação social e no comportamento. Estima-se que 70 milhões de pessoas no mundo tenham autismo, sendo 2 milhões delas no Brasil, mas até hoje nenhum levantamento foi realizado no país para identificar essa população.